Validated educational technologies for people with diabetes mellitus: Trends in brazilian graduate production

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14639

Keywords:

Nursing; Educational technology; Validation; Diabetes Mellitus; Chronic disease; Teaching.

Abstract

Objective: to identify the trends of scientific production in Brazilian postgraduate studies about educational technologies validated for people with diabetes mellitus. Method: this is a descriptive review, with a narrative approach. A search was carried out at the Bank of Theses and Dissertations of the Coordination for the Improvement of Higher Education Personnel, in order to identify the Theses and Dissertations on the proposed theme. The search was carried out in December 2020 and the strategies "educational technology AND diabet *" and "technology AND diabet *" were used. After selecting and applying the inclusion and exclusion criteria, 19 studies made up this review. Results: 17 dissertations and two theses were found. Studies from 2014 stand out, with predominance in the Northeast and Southeast regions. The contributions of educational technologies validated for people with diabetes mellitus point to the appreciation of the subjects' needs and professional experiences, empowerment for self-care, the need for behavioral changes and disease control and its complications. Conclusion: the health area produces works with the theme of validation of educational technologies, but with a sharp decrease in production about chronic diseases, especially diabetes mellitus.

References

Amaral, P. R. Q. (2018). Um app feito pra mim: desenvolvimento de tecnologia móvel para crianças com diabetes mellitus tipo 1 e suas famílias. 131f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo.

Assunção, A. P. F., Barbosa, C. R., Teixeira, E., Medeiros, H. P. M., Tavares, I. C., & Sabóia, V. M. (2013). Práticas e tecnologias educacionais no cotidiano de enfermeiras da estratégia saúde da família. Rev. Enferm. UFPE. 7(11), 6329-35.

Berardine, L. M. M., Guedes, N. A. C., Ramos, J. P. & Silva, M. G. N. (2014). Tecnologia educacional como estratégia de empoderamento de pessoas com enfermidades crônicas. Rev Enfermagem UERJ. 22(5), 603-9.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica (2013a). Estratégias para o cuidado da pessoa com doença crônica: hipertensão arterial sistêmica. Brasília: Ministério da Saúde, DF, Brasil.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica (2013b). Diretrizes para o cuidado das pessoas com doenças crônicas nas redes de atenção à saúde e nas linhas de cuidado prioritárias. Brasília: Ministério da Saúde, DF, Brasil.

Brasil. Agência Nacional de Saúde Suplementar (2011a). Manual técnico para promoção da saúde e prevenção de riscos e doenças na saúde suplementar / Agência Nacional de Saúde Suplementar (Brasil). – 4. ed. rev. e atual. – Rio de Janeiro: ANS, p. 244, 2011a.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde (2011b). Departamento de Análise de Situação de Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil 2011-2022. Brasília, DF Ministério da Saúde, Brasil.

Brondani, V. F., Schimith, M. D., Puhl, G. S., Buriol, D., Rambo, C. A. M., Gama, D. M. (2020). Agrotóxicos e saúde de trabalhadores rurais: tendências da produção científica no Brasil. Research, Society and Development, 9(9), e950998258.

Ferreira, J. S. S. P. (2018). Tecnologia de Reabilitação no cuidado do diabetes mellitus: desenvolvimento e validação de um software que personaliza a evolução de exercícios para pés e tornozelos. 147f. Dissertação (Mestrado) - Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, São Paulo.

Ferreira, A. C. B. H. (2014). Risco para desenvolver o pé diabético utilizando redes neurais artificiais: uma tecnologia para o cuidado de enfermagem. 102f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora.

Galdino, Y. L. S. (2014). Construção e validação de cartilha educativa para o autocuidado com os pés de pessoas com diabetes. 88f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Grossi, S. A. A. & Pascali, P. M. (2011). Cuidados de Enfermagem em Diabetes mellitus. Itapevi, SP: AC Farmacêutica.

Hermes, T. S. V. (2018). Educação em saúde para crianças diabéticas por meio de cartilha educativa e abordagem lúdica. 176f. Dissertação (Mestrado do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde) - Universidade Estadual do Oeste do Paraná, Cascavel.

IDF. International Diabetes Federation (2019). Guía de Incidência Política de la Novena Edición del Atlas de la Diabetes de la Fid. https://www.diabetesatlas.org/upload/resources/material/20200121_115939_2407-IDF-Advocacy-Guide-SP-Final-lowres-210120.pdf.

International Working Group on the Diabetic Foot (IWGDF). (2015). Guidance on prevention and management of foot problems in diabetes: development of an evidence-based global consensus. http://www.iwgdf.org.

Jasmim, J. S. (2018). Uma cartilha como ferramenta de tecnologia educacional para o desenvolvimento de competências do enfermeiro no cuidado ao paciente com diabetes mellitus na estratégia de saúde da família. 136f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Federal Fluminense, Niterói.

Lacerda, C. M. M. (2017). Construção de cartilha educativa de cuidados preventivos com os pés em pessoas diabéticas. 116f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão em Saúde) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Leal, L. B. (2018). Construção e validação de tecnologia educativa para a prevenção do pé diabético. 95f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Lima, S. A., Mantelo, C. H.P. & Silva, M. S. (2015) Percepção de pessoas com diabetes mellitus, tipo 2, acerca de um processo de educação para a saúde. Rev. Rene. 16(4), 522-31.

Marques, A. B. D. (2018). Aplicativo multimídia em plataforma móvel para a promoção de cuidado com os pés de pessoas com diabetes: ensaio clínico controlado randomizado. 218f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Melo, I. A. (2017). Validação de um manual educativo como tecnologia de enfermagem para pessoas com diabetes mellitus tipo 2. 184f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade federal de Sergipe, Aracaju.

Menezes, L. C. G. (2016). Eficácia de filme educativo de curta-metragem para o autocuidado com o pé diabético: ensaio clínico controlado randomizado. 264f. Tese (Doutorado em Enfermagem) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Mendes, E.V. (2012). O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde.

Moura, M. B. (2017). Percurso dialógico no desenvolvimento de uma gerontotecnologia: pesquisa-ação com usuários de insulina. 176f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Estadual de Maringá, Paraná.

Moher, D., Liberati, A., Tetzlaff, J., Altman, D.G. (2015). The PRISMA Group. Principais itens para relatar Revisões sistemáticas e Meta-análises: A recomendação PRISMA. Epidemiol Serv Saúde. 24(2), 335-42.

Muro, E. S. (2018). Avaliação das propriedades psicométricas de um aplicativo para o exame dos pés da pessoa com diabetes mellitus. 99f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Alfenas, Minas Gerais, Alfenas.

Oliveira, S. M. S. (2015). Diabetes e analfabetismo: elaboração e avaliação de estratégia educacional para tratamento independente. 97f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Instituto de Ensino e Pesquisa, Belo Horizonte.

Organização Pan-Americana da Saúde. (2011). Doenças crônicas não transmissíveis: estratégias de controle e desafios e para os sistemas de saúde. Traduzido por Flávio Goulart, Brasília, DF, Organização Pan-americana da Saúde.

Pimentel, T. S. (2018). Construção e validação do instrumento para consulta de enfermagem ao indivíduo com diabetes mellitus tipo 2. 130f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade Federal de Sergipe, Aracaju.

Pinafo, E., Nunes, E. F. P. A., González, A. D. & Garanhani, M. L. (2011). Relações entre concepções e práticas de educação em saúde na visão de uma equipe de Saúde da Família. Trab. Educ. Saúde, Rio de Janeiro, 9(2), 201-221.

Rebouças, T. S. (2018). Desenvolvimento e validação de tecnologia educativa para adolescentes com diabetes mellitus tipo 1. 114f. Dissertação (Mestrado Profissional) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Rother, E.T. (2007). Revisão sistemática x revisão narrativa. Acta paulista de enfermagem [online], 20(2),2.

Serafim, A. R. R. M. (2018) Desenvolvimento de jogo educativo para adolescentes com diabetes mellitus tipo 1. 116f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Schmidt, M.I., Duncan, B.B., Silva, G.A., Menezes, A.M., Monteiro, C.A., Barreto, S.M., Chor, D. & Menezes, P.R. (2011). Chronic non communicable diseases in Brazil: burden and current challenges. Lancet, 377(9781), 1949-1961.

Santos, A.L., et al. (2018). Viver e conviver com diabetes: dificuldades experienciadas no enfrentamento e manejo da doença. Revista de Enfermagem UERJ, 26, e18221.

Santos, I.M., et al. (2020). Conhecimento e atitudes de usuários com Diabetes Mellitus em uma unidade de ambulatório especializada. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 12(12), e4148.

Silva, A.N.S. (2017). Elaboração de tecnologia educativa (website) para o adolescente com diabetes mellitus tipo 1: subsídios ao cuidado clínico de enfermagem. 102f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual do Ceará, Fortaleza.

Silva, S.M., Luiz, R.R.& Pereira, R.A. (2015). Fatores de risco e proteção para doenças cardiovasculares em adultos de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Rev. Bras. Epidemiol. 18(2), 425-438.

Sociedade Brasileira de Diabetes. (2017). Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018. São Paulo: Clannad. http://www.diabetes.org.br/profissionais/images/2017/diretrizes/diretrizes-sbd-2017-2018.pdf&gt

Sousa, L.B., Torres, C.A., Pinheiro, P.N.C. & Pinheiro, A.K.B. (2010). Práticas de educação em saúde no Brasil: a atuação da enfermagem. REUERJ, 18(1), 55-60.

Terzic, A.& Waldman, S. (2011). Chronic diseases: the emerging pandemic. Clinical and translational science, 4(3), 225-226.

Teixeira, E. (2010). Tecnologias em enfermagem: produções e tendências para a educação em saúde com a comunidade. Rev. Eletr. Enferm. [Internet],12(4), 598. http://www.fen.ufg.br/revista/v12/n4/v12n4a01.htm.

Wild, C.F.W, Nietsche, E., Salbego, C., Teixeira, E.& Favero, N.B. (2019). Validation of educational booklet: an educational technology in dengue prevention. Rev Bras Enferm. 72(1),1318-25.

Who. (2012). World Health Organization.65th World Health Assembly closes with new global health measures. http://www.who.int/mediacentre/news/releases/2012/wha65_closes_20120526/en/index.html

Xavier, G. A. (2016). Tecnologia educativa sobre índice glicêmico para orientar pessoas com diabetes fundamentada em king. 92f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade Estadual do Ceará.

Published

01/05/2021

How to Cite

GAMA, D. M. .; SILVA, L. M. C. da; SCHIMITH, M. D.; FERNANDES, M. N. da S. .; WICKERT, D. C. .; BRONDANI, V. de F.; PIMENTÃO, A. da R.; SIQUEIRA, L. Q. Validated educational technologies for people with diabetes mellitus: Trends in brazilian graduate production. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e14810514639, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.14639. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14639. Acesso em: 29 jan. 2023.

Issue

Section

Review Article