Privatization of the Brazilian National Health Service (SUS): A literature review based on scientific articles from the Scielo database

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14676

Keywords:

Privatization; Neoliberalism; SUS; Bibliometrics; Social Network Analysis; Brazil.

Abstract

The objective of article is to conduct a bibliographic review of studies related to the privatization of the National Health Service (SUS) in Brazil, organizing the state-of-the-art on the topic and indicating possible existing gaps on the subject, using Scielo database, between the years 1998 and 2020. Bibliometric metrics and Social Network Analysis were also used to support the discussion of results. The results show that a significant part of articles was published between 2011 and 2020. FIOCRUZ is the main institution associated with the authors of the sample. The main scientific journals in terms of number of published articles and in relation to the h5 index are Cadernos de Saúde Pública and Ciência & Saúde Coletiva, respectively. It is observed among the scientific journals the relevance of the collective health area for studies on privatization of the SUS and, as a minority, the contributions of economics, social work and psychology to the development of the theme. The keywords network shows the terms with the highest occurrences among the articles in the sample. As for the network between the articles and the analysis groups of the privatizing elements of the SUS, it was identified that the management, financing and political-institutional framework analysis groups are the most studied, and the groups related to professional training and labor relations, social participation and comparative analysis are little addressed by the articles of the sample, thus representing an interesting path for the development of new studies related to the privatizing elements of the SUS.

References

Bahia, L., & Scheffer, M. (2018). O SUS e o setor privado assistencial: interpretações e fatos. Saúde em Debate, 42, 158-171.

Ballarotti, B., Corneau, F. G., Junqueira, V., & Mendes, Á. (2019). Reflexões de médicos sobre o trabalho na Estratégia de Saúde da Família sob a gestão das Organizações Sociais. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 23, e180082.

Bastian M., Heymann S., & Jacomy M. (2009). Gephi: an open source software for exploring and manipulating networks. International AAAI Conference on Weblogs and Social Media

Bispo Júnior, J. P. (2009). Formação em fisioterapia no Brasil: reflexões sobre a expansão do ensino e os modelos de formação. História, Ciências, Saúde-Manguinhos, 16(3), 655-668.

Borgatti, S. P. (2005). Centrality and network flow. Social networks, 27(1), 55-71.

Campos, C. M. S., Viana, N., & Soares, C. B. (2015). Mudanças no capitalismo contemporâneo e seu impacto sobre as políticas estatais: o SUS em debate. Saúde e Sociedade, 24, 82-91.

Cêa, G. S. D. S., Reis, L. F., & Conterno, S. (2007). Profae e lógica neoliberal: estreitas relações. Trabalho, Educação e Saúde, 5(1), 139-160.

Celuppi, I. C., Geremia, D. S., Ferreira, J., Pereira, A. M. M., & Souza, J. B. D. (2019). 30 anos de SUS: relação público-privada e os impasses para o direito universal à saúde. Saúde em Debate, 43, 302-313.

Contreiras, H., & Matta, G. C. (2015). Privatização da gestão do sistema municipal de saúde por meio de Organizações Sociais na cidade de São Paulo, Brasil: caracterização e análise da regulação. Cadernos de Saúde Pública, 31, 285-297.

Cortés, F. A. M., Coelho, T. C. B., & Sanabria, C. A. P. (2020). Trajetória da privatização do sistema de saúde chileno (1924-2005). Saúde em Debate, 44, 541-555.

Costa, H., Canto, F. L. D., & Pinto, A. L. (2020). Google Scholar Metrics e a proposta do novo Qualis: impacto dos periódicos brasileiros de Ciência da Informação. Informação & Sociedade: Estudos; v. 30 n. 1 (2020), 24(2).

Costa, N. D. R. (2014). Comunidade epistêmica e a formação da reforma sanitária no Brasil. Physis: Revista de Saúde Coletiva, 24, 809-829.

COSTA, Nilson do Rosário. O regime regulatório e o mercado de planos de saúde no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 13, 1453-1462.

d’Ávila, L. S., Andrade, E. I. G., & Aith, F. M. A. (2020). A judicialização da saúde no Brasil e na Colômbia: uma discussão à luz do novo constitucionalismo latino-americano. Saúde e Sociedade, 29, e190424.

Druck, G. (2016). A terceirização na saúde pública: formas diversas de precarização do trabalho. Trabalho, educação e saúde, 14, 15-43.

Garrido-Pinzón, J., & Bernardo, M. H. (2017). Vivências de trabalhadores da saúde em face da lógica neoliberal: um estudo da atenção básica na Colômbia e no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 33, e00050716.

Göttems, L. B. D., & Mollo, M. D. L. R. (2020). Neoliberalism in Latin America: effects on health system reforms. Revista de saude publica, 54, 74.

Harvey, D. (2007). Neoliberalism as creative destruction, ANNALS. AAPSS, 610, 22-44.

Ibarra, D. (2011). O neoliberalismo na América Latina. Brazilian Journal of Political Economy, 31(2), 238-248.

Kingfisher, C., & Maskovsky, J. (2008). Introduction: The limits of neoliberalism.

Langbecker, A., Castellanos, M. E. P., & Catalán-Matamoros, D. (2020). Quando os sistemas públicos de saúde são notícia: uma análise comparativa da cobertura jornalista no Brasil e na Espanha. Ciência & Saúde Coletiva, 25, 4281-4292.

Lara, L. D., Guareschi, N. M. D. F., & Bernardes, A. G. (2016). Reforma sanitária e a privatização da saúde em um contexto biopolítico de garantia de direitos. Psicologia & Sociedade, 28(2), 360-368.

Marques, R., Ximenes, S. B., & Ugino, C. K. (2018). Governos Lula e Dilma em matéria de seguridade social e acesso à educação superior. Brazilian Journal of Political Economy, 38(3), 526-547.

Meireles, E. C. D., & El-Aouar, W. A. (2010). O desafio das ONGs ante a minimização do papel do Estado no cenário global. REGE Revista de Gestão, 9(3).

Morais, H. M. M. D., Albuquerque, M. D. S. V. D., Oliveira, R. S. D., Cazuzu, A. K. I., & Silva, N. A. F. D. (2018). Organizações Sociais da Saúde: uma expressão fenomênica da privatização da saúde no Brasil. Cadernos de Saúde Pública, 34, e00194916.

Morosini, M. V. G. C., Fonseca, A. F., & Baptista, T. W. D. F. (2020). Previne Brasil, Agência de Desenvolvimento da Atenção Primária e Carteira de Serviços: radicalização da política de privatização da atenção básica? Cadernos de Saúde Pública, 36, e00040220.

Noronha, J. C. D., Noronha, G. S. D., Pereira, T. R., & Costa, A. M. (2018). Notas sobre o futuro do SUS: breve exame de caminhos e descaminhos trilhados em um horizonte de incertezas e desalentos. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 2051-2059.

Ocké-Reis, C. O. (2012). SUS: o desafio de ser único. SciELO-Editora FIOCRUZ.

Paim, J. S., & Teixeira, C. F. (2007). Configuração institucional e gestão do Sistema Único de Saúde: problemas e desafios. Ciência & saúde coletiva, 12, 1819-1829.

Paiola, G. C. (2014). Os alicerces econômicos do Brasil atual: heranças de Fernando Henrique Cardoso para seus sucessores. Revista Espaço Acadêmico, 13(155), 51-60.

Pimenta, M. D. C. A, & Pimenta, L. F. (2011). Globalização e desafios urbanos: Políticas públicas e desigualdade social nas cidades brasileiras. EURE (Santiago), 37(112), 43-61.

Saffer, D. A., Mattos, L. V., & Rego, S. R. D. M. (2020). Nenhum Serviço de Saúde a Menos: movimentos sociais, novos sujeitos políticos e direito à saúde em tempos de crise no Rio de Janeiro, Brasil. Saúde em Debate, 44, 147-159.

Santos, M. A. (2013). Lutas sociais pela saúde pública no Brasil frente aos desafios contemporâneos. Revista Katálysis, 16(2), 233-240.

Silva, H. P., & Caxias, M. C. L. (2016). Benefícios para alguns, prejuízos para muitos: razões e implicações da adoção da dupla porta de entrada em hospitais universitários. Saúde e Sociedade, 25, 808-820.

Sousa, A. M. D. C. (2014). Universalidade da saúde no Brasil e as contradições da sua negação como direito de todos. Revista Katálysis, 17(2), 227-234.

Sposati, A. (2018). Descaminhos da seguridade social e desproteção social no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 23, 2315-2325.

Valla, V. V. (1998). Sobre participação popular: uma questão de perspectiva. Cadernos de Saúde Pública, 14, S07-S18.

Published

25/04/2021

How to Cite

OLIVEIRA, B. F. de .; CRUZ, F. P. da .; SOARES, I. M. .; OLIVEIRA, H. R. H. de . Privatization of the Brazilian National Health Service (SUS): A literature review based on scientific articles from the Scielo database. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e9610514676, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.14676. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14676. Acesso em: 29 jan. 2023.

Issue

Section

Review Article