Quality of life of healthcare students using active teaching-learning methodology

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14737

Keywords:

Health Sciences students; Quality of Life Indicators; Problem-Based Learning; Teaching; Active teaching-learning methodologies.

Abstract

Objective: To evaluate the quality of life of health science students who use active teaching-learning methodology. Methodology: Observational cross-sectional study, carried out at a Public University located in the south-central region of the state of Sergipe. The sample was non-probabilistic for convenience, consisting of 141 students from the courses of nursing, pharmacy, physiotherapy, speech therapy, medicine, nutrition, dentistry and occupational therapy. A characterization instrument and the World Health Organization’s Quality of Life-Bref were applied. Data collection was performed using an online form sent to all students' e-mail. The data were stored and analyzed using BioEstat version 5.0 and GraphPad Prism version 7.0 Results: Health science students had scores below the average of general quality of life and of the physical, psychological, social relations and environment domains in the first, third and fifth cycle of graduation. It was shown that the longer the self-directed study time, the greater the change in quality of life, especially in the psychological domain. Conclusion: The use of active methodologies alters the quality of life of health science students in varied scores and depending on the undergraduate cycle.

References

Abate, M. A., Stamatakis M. K., & Haggett R. R. (2003). Excellence in curriculum development and assessment. Am J Pharmac Educ, 67(3).

Bento, A., & Mendes, G. (2007). A transição do ensino secundário para o ensino superior: factores contributivos para uma boa adaptação e relação com o sucesso académico universitário [Internet]. In: Anais do IX Congresso da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação: 2007, Legis Editora, 245-51

Caballero, C., Llanos, R. A., & Sañudo, J. P. (2006). Burnout, engagement y rendimiento académico entre estudiantes universitarios que trabajan y aquellos que no trabajan. Revista Psicogente, 9(16):11-27.

Cabral, J., & Matos, P. M. (2010). Preditores da adaptação à universidade: o papel da vinculação, desenvolvimento psicossocial e coping. Psychologica, 52(1):55-77.

Castro, A. R. (2017). Reflexões sobre a saúde mental do estudante universitário: estudo empírico com estudantes de uma instituição pública de ensino superior. Revista Gestão em Foco-Edição nº 9.

Cazolari, P. G., Cavalvante, M. S., Demarzo, M. M. P., Cohrs, F. M., Sanudo, A. & Schveitzer, M. C. (2020). Níveis de Burnout e Bem-Estar de Estudantes de Medicina: um Estudo Transversal. Rev. bras. educ. med, 44(4).

Chagas, N. B., Sanches, F. B., Silva, R. F., Melo, D. G., Germano, C. M. R. & Avó, L. R. S. (2018). Qualidade de Vida de Estudantes de Medicina em um Curso que Adota Metodologias Ativas de Ensino-Aprendizagem. Revista brasileira de educação médica, 42 (4): 96-102.

Colares, K. T. P. &amp , Oliveira, W. (2018). Metodologias Ativas na formação profissional em saúde: uma revisão. Revista SUSTINERE, 7(2).

Cunha, S. M., & Carrilho, D. M. (2005). O processo de adaptação ao ensino superior e o rendimento acadêmico. Psicologia Escolar e Educacional, 9(2):215-24.

Fleck, M. P. A., Sérgio Louzada, S., Xavier, M., Chachamovich, E., Vieira, G., Santos, L. & Pinzon, V. (2000). Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida "WHOQOL-bref". Rev. Saúde Pública, 34(2):178-183.

Medina, M. S., Plaza, C. M., Stowe, C. D., Robinson, E. T., DeLander, G., Beck, D. E., et al. (2013) Center for the Advancement of Pharmacy Education (CAPE) Educational Outcomes. Am J Pharm Educ, 2(1).

Oliveira, A. L. (2009). A auto-eficácia para a aprendizagem autodirigida como pilar fundamental da educação e aprendizagem ao longo da vida: Continuação dos estudos de validaçãodo Self-Efficacy for Self-Directed Learning Questionnaire. Psycologica, 51(2)57-71.

Rocha, L., Rubim, L. G., Bernardino, F. M. & Duarte, M. S. Z. (2019). Qualidade de vida e depressão: estudo comparativo entre etapas no curso de medicina em metodologia ativa. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 11(11).

Santos, B. O., & Bittencourt, F. O. (2017). Análise da Qualidade de Vida e fatores associados dos Acadêmicos da área de saúde de uma Faculdade Particular. Id on Line Rev. Palc, 10(33).

Souza, E. F. D., Silva, A. G. & Silva, A. I. L. F. (2018). Active methodologies for graduation in nursing: focus on the health care of older adults. Ver. Bras Enferm, 71(2):920-4.

Souza, L. S., Santos, D. A. N. & Murgo, C. S. (2020). Metodologias ativas na educação superior brasileira em saúde. Revista Internacional, 7(1).

Teixeira, M. A. P., Dias, A. C. G., Wottrich, S. H., & Oliveira, A. M. (2008). Adaptação à universidade em jovens calouros. Psicol. Esc. Educ. (Impr.), 12(1): 185-202.

Touso, M. F. S., Silva, G. A. B., Carvalho, I. N. & Alves, G. F. (2020). Adaptação do estudante de medicina no primeiro ano da graduação: fatores protetores e estressores e risco da síndrome de burnout. Rev. Nova Paideia - Revista Interdisciplinar em Educação e Pesquisa Brasília/DF, 2(2):93 - 112.

Trópia, P. V., Silva, L. B., Mariano, A. S., Mathias Filho, R., Maia, A. S., & Gomes, D. C. et al. (2018). V Pesquisa Nacional de Perfil Socioeconômico e Cultural dos (as) Graduandos (as) das IFES. Fórum Nacional, 6(2): 300-320.

Venturini, A. C. (2017). A presença das mulheres nas universidades brasileiras: um panorama de desigualdade. Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 & 13thWomen’s Worlds Congress (Anais Eletrônicos).

World Health Organization. (2013). Global status report on road safety 2013: supporting a decade of action. Luxembourg: WHO.

Published

01/05/2021

How to Cite

ARAÚJO, D. da C.; ALMEIDA, C. P. .; SANTANA , L. R. P. .; MOTA, S. B. .; SANTOS, A. D. dos .; LIMA, S. V. M. A. .; ARAÚJO, K. C. G. M. de .; ALVES, J. A. B. .; VAEZ, A. C. Quality of life of healthcare students using active teaching-learning methodology. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e15410514737, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.14737. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14737. Acesso em: 29 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences