University students' perspectives on Interprofessional Education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14743

Keywords:

Interprofessional Education; Interdisciplinary Placement; Interdisciplinary research.

Abstract

This research aimed to evaluate the perspective of health students on interprofessional education at a public university in the state of Maranhão. A questionnaire was applied with sociodemographic and profile variables of the students and the RIPLS (Readiness for Interprofessional Learning Scale) instrument adapted online with 254 students from the health courses. For the analysis of the statistically significant difference, Student's t test and Anova were calculated for the difference in means and Chi-square for the agreement of the statements alone, considering the significance level of 5%, being analyzed in the Stata version 14 program. results identified that there is a high availability of students of health courses for interprofessional learning, being more accepted in clinical periods / intermediate phase of courses, where it is suggested that collaborative practices will be more required. It is noteworthy that the majority of those surveyed are in a Comfort Zone in relation to Interprofessional Education and Collaborative Practices in the academic environment. The study highlights that extracurricular activities are indispensable tools in the teaching-learning process of interprofessional education and collaborative practices. It concludes the importance of creating and maintaining environments that address the discussion of this theme, so that the collaborative interprofessional practice occurs comprehensively among all students of health courses.

References

Amado, E., & Vilela, R. B. (2017). Educação interprofissional e prática colaborativa em terapia intensiva: perspectiva dos preceptores. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, 10(1).

Barbosa, G. R. (2020). Disponibilidade de estudantes de oito cursos da saúde de uma universidade pública brasileira para a educação interprofissional (Tese de doutorado). Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas. http://repositorio.unicamp.br/bitstream/REPOSIP/346070 /1/Barbosa_GuilhermeRodrigues_D.pdf

Barros, E. R., & Ellery, A. E. L. (2016). Colaboração interprofissional em uma unidade de terapia intensiva: desafios e possibilidades. Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, 17(1), 10-19.

Casanova, I. A., Batista, N. A., & Moreno, L. R. (2018). A Educação Interprofissional e a prática compartilhada em programas de residência multiprofissional em Saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 22, 1325-1337.

Costa, M. V. D. (2016). A educação interprofissional no contexto brasileiro: algumas reflexões. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 20, 197-198.

Costa, M. V. D., & Borges, F. A. (2015). O Pró-PET-Saúde frente aos desafios do processo de formação profissional em saúde. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 19, 753-763.

Crisp, N., & Chen, L. (2014). Global supply of health professionals. New England Journal of Medicine, 370(10), 950-957.

Frenk, J., Chen, L., Bhutta, Z. A., Cohen, J., Crisp, N., Evans, T., & Zurayk, H. (2010). Health professionals for a new century: transforming education to strengthen health systems in an interdependent world. The lancet, 376(9756), 1923-1958.

Gallotti, F. C. M., Dos Santos, L. E. R., Dias, V. G. A., dos Santos Farias, Q. S., Martins, M. D. C. V., de Góis, R. M. O., & Serafini, M. R. (2021). Formação do enfermeiro na perspectiva do cuidado integral e trabalho em equipe. Research, Society and Development, 10(1), e24110111724-e24110111724.

Haugland, M., Brenna, S. J., & Aanes, M. M. (2019). Interprofessional education as a contributor to professional and interprofessional identities. Journal of interprofessional care, 1-7.

Institute of Medicine (2015). Measuring the Impact of Interprofessional Education on Collaborative Practice and Patient Outcomes. The National Academies Press.

Nuto, S. D. A. S., Lima Júnior, F. C. M., Camara, A. M. C. S., & Gonçalves, C. B. C. (2017). Avaliação da disponibilidade para aprendizagem interprofissional de estudantes de Ciências da Saúde. Revista Brasileira de Educação Médica, 41(1), 50-57.

Organização Mundial da Saúde. (2010). Marco para ação em educação interprofissional e prática colaborativa. Editora Freelance.

Peduzzi, M., Agreli, H. L. F., Silva, J. A. M. D., & Souza, H. S. D. (2020). Trabalho em equipe: uma revisita ao conceito e a seus desdobramentos no trabalho interprofissional. Trabalho, Educação e Saúde, 18.

Reeves, S., Lewin, S., Espin, S., & Zwarenstein, M. (2010). Interprofessional teamwork for health and social care. Oxford, UK: Blackwell-Wiley. [Crossref], [Google Scholar].

Reeves, S., Xyrichis, A., & Zwarenstein, M. (2017). Teamwork, collaboration, coordination, and networking: Why we need to distinguish between different types of interprofessional practice. Journal of Interprofessional Care, 32(1), 1-3. https://doi.org/10.1080/13561820.2017.1400150

Rodrigues, J.R.S. (2018). Educação interprofissional em um hospital de trauma no agreste alagoano: perspectivas dos profissionais do NEP em saúde e seus colaboradores (Dissertação de Mestrado). Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ensino na Saúde. Universidade Federal de Alagoas.

Rossit, R. A. S., Freitas, M. A. D. O., Batista, S. H. S. D. S., & Batista, N. A. (2018). Construção da identidade profissional na educação interprofissional em saúde: percepção de egressos. Interface-Comunicação, Saúde, Educação, 22, 1399-1410.

Souto, T. D. S., Batista, S. H., & Alves Batista, N. (2014). A educação interprofissional na formação em psicologia: olhares de estudantes. Psicologia: ciência e profissão, 34(1), 32-45.

Tompsen, N. N., MEIRELES, E., PEDUZZI, M., & TOASSI, R. F. C. (2018). Educação interprofissional na graduação em Odontologia: experiências curriculares e disponibilidade de estudantes. Revista de Odontologia da UNESP, 47(5), 309-320.

Uchôa, P. d. A. (2018). Estágio integrado em Saúde e aprendizagem interprofissional: percepção dos discentes [Dissertação de Mestrado, Faculdade de Medicina, Programa de Pós Graduação em Ensino na Saúde, Universidade Federal de Alagoas]. http://www.repositorio.ufal.br/handle/riufal/3409

Vilela, R. Q. B., & Amado, E. (2018). Educação interprofissional e prática colaborativa em terapia intensiva: perspectiva dos profissionais de saúde. Brazilian Applied Science Review, 2(4), 1247-1268.

Wilhelmsson, M., Ponzer, S., Dahlgren, L. O., Timpka, T., & Faresjö, T. (2011). Are female students in general and nursing students more ready for teamwork and interprofessional collaboration in healthcare?. BMC medical education, 11(1), 1-10.

Published

27/04/2021

How to Cite

CARDOSO, L. F. C. .; FERREIRA, A. P. F. .; SILVA, M. C.; MELO FILHO, C. A. de; LIMA, S. F. .; SILVA, M. C. P. da .; OLIVEIRA JUNIOR, J. de J. .; PASKLAN, A. N. P. University students’ perspectives on Interprofessional Education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e5110514743, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.14743. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14743. Acesso em: 29 jan. 2023.

Issue

Section

Health Sciences