Railways in Brazil: Future and ongoing projects

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.14917

Keywords:

Modes of transport; Railway modal; Railway superstructure.

Abstract

The Brazilian truck drivers' strike in Brazil in May 2018 was merely an illustration of the current scenario of transportation modes in the country. The dominant use of the highways in relation to other modalities means that the logistics and transportation of cargo and passengers throughout the national territory is precarious and deficient. The predominance of the modal route results in underutilization of railways, one of the most important modalities in the development of great world powers, such as Germany and the United States. Thus, this research aims to analyze the current and future scenario of Brazilian railways. For this, future and ongoing projects of this mode of transport in Brazil were researched in the literature. Even nowadays it is very unexplored, the Brazilian railway network has an enormous potential, which, in order to be better utilized, needs to be increased. Making projects that are being built and future projects can expand the country's rail network.

Author Biographies

André Augusto Nóbrega Dantas, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás

Possui graduação em Engenharia Civil pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2012), mestrado em Engenharia Civil - Geotecnia também pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (2015) e doutorado em Geotecnia pela Universidade de Brasília. É professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás. Tem experiência na área de Engenharia Civil, com ênfase em Geologia de Engenharia, Geotecnia Ambiental, Geotecnia Aplicada à Mineração e Pavimentação, atuando principalmente nas seguintes áreas: barragens de rejeito, estabilidade, ensaios de laboratório, caracterização geotécnica e tecnológica de solos, resíduos industriais e de mineração, reciclagem e reaproveitamento de resíduos e gestão de pavimentos.

Yuri Sotero Bomfim Fraga, Universidade de Brasília

Doutorando (início em março/2019 e previsão de conclusão em dezembro/2022) e mestre (2019) em Estruturas e Construção Civil pela Universidade de Brasília - UnB. Especialista em Engenharia de Segurança do Trabalho pela Universidade Candido Mendes - UCAM (2018), pós-graduando em Especialização em Engenharia de Estruturas de Concreto Armado pela Faculdade Única de Ipatinga - FUNIP, graduado em Engenharia Civil pela Universidade Tiradentes - UNIT (2016) e em Inglês pelo Fisk (2012). Possui experiência na construção, orçamento e planejamento de conjuntos habitacionais populares, edificações verticais de alto padrão e Obras de Arte Especiais - OAEs, além de atuação como docente nas disciplinas Geometria Construtiva, Projeto Arquitetônico, Hidráulica, Hidrologia Geral, Instalações Elétricas, Instalações Hidráulicas, Prevenção e Combate de Incêndio e SPDA e Materiais de Construção I e II. Em 2019 atuou como professor substituto do Departamento de Engenharia Civil e Ambiental da UnB na área de sistemas construtivos e materiais de construção e atualmente desenvolve projetos de engenharia (arquitetônico, elétrico, hidrossanitário e combate a incêndio) com auxílio dos softwares Revit, QiElétrico e QiHidrossanitário. Os principais temas de pesquisa são: materiais cimentícios suplementares, nanomateriais, concreto de alto desempenho, microestrutura do concreto e tecnologia BIM.

References

Agência Nacional de Transportes Terrestres. (2018). Infraestrutura Ferroviária. http://www.antt.gov.br/ferrovias/index.html.

Albuquerque. (2011). Ferrovias: Aspectos Técnicos de Projeto. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Departamento Geral de Ciência e Tecnologia Aeroespacial. Instituto Tecnológico de Aeronáutica, ITA.

Alves, D. H., Assis, L. A., Santos, V. E. S. & Tavares, F. B. R. (2018). Impactos da greve dos caminhoneiros à luz do código de defesa do consumidor. JURIS – Revista da Faculdade de Direito, 28(2), 155-166.

Barra, G. M. J., Silva, R. O. & Silveira, R. I. M. (2020). Impacto da greve dos caminhoneiros na gestão de risco em cadeias de suprimentos: o caso de um hospital da zona da mata mineira. Brazilian Journal of Production Engineering – BJPE, 6(6), 11-28

Bozoky, M. J., Oliveira, A. A. P., Deliberador, L. R., Formigoni, A. & Jacubavicius, C. (2014). Análise do modal ferroviário no transporte de soja do centro oeste aos portos. INOVAE – Journal of Engineering, Architecture and Technology Innovation, 2(1), 50-61.

Colavite, A. S. & Konishi, F. (2015). A matriz do transporte no Brasil: uma análise comparativa para a competitividade. VII SEGeT – Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 1-11.

Confederação Nacional da Indústria. (2014). A ferrovia Norte-Sul e a interligação nacional. CNI.

Constran. (2013). Relatório Anual 2013. http://www.kmzconteudo.com.br/wp-content/uploads/conteudo/constran-2013-relatorioanual.pdf

Deimling, M. F., Parizotto, D., Pauleck, E. C. & Santos, T. A. (2016). Análise da Influência da Logística de Transportes Rodoviários no Custo Brasil. Revista de Admnistração do Unifatea – FAF, 13(13), 166-188.

Estrela, C. (2018). Metodologia Científica: Ciência, Ensino, Pesquisa. Editora Artes Médicas

Folha de São Paulo. (2018). País não utiliza um terço da malha ferroviária existente, diz CNI. https://www1.folha.uol.com.br/mercado/2018/06/pais-nao-utiliza-um-terco-da-malha-ferroviaria-existente-diz-cni.shtml.

Gonçalves, I. M. (2011). Estudo logístico para exportação do completo soja – corredor ferroviário centro leste. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-graduação em Engenharia Civil. Universidade Federal de Uberlândia, UFU.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). O Brasil no mundo. https://cnae.ibge.gov.br/en/component/content/article/94-7a12/7a12-vamos-conhecer-o-brasil/nosso-territorio/1461-o-brasil-no-mundo.html.

Ludke, M. & Andre, M. E. D. A. (2013). Pesquisas em educação: uma abordagem qualitativa. São Paulo: E.P.U.

Oliveira, M. N. & Vieira, O. H. P. (2018). Agronegócio no oeste baiano e os principais municípios na dinâmica da produção de grãos: uma análise shifit-share com bases na produção de soja, milho e algodão para os anos de 2001 e 2010. VIII Semana de Economia: políticas públicas para o desenvolvimento.

Pereira, M. A., Rosa, F. S. & Lunkes, R. J. (2015). Análise da eficiência ferroviária no Brasil nos anos entre 2009 a 2013. Transportes, 23(3), 56-63.

Piazera, A. B. (2017). Estudo Comparativo entre Tecnologias Inovadoras em Superestrutura Ferroviárias. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Departamento de Engenharia Civil. Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC.

Rodrigues, M. S., Santos, R. L. C. & Almeida, J. C. M. M. (2019). Perspectivas futuras para o modal rodoviário: avanços estruturais na baixada santista. Revista e-F@tec, 9(1), 1-13.

Santos, D. B., Lima, R. C., Bassi, R. E., Rodrigues, E. F. & Maiellaro, V. R. (2018). A infraestrutura no transporte ferroviário no Brasil. South American Development Society Journal, 4(10), 38-51.

Silva, B. L., Sarmento, T. A., Santos, V. E. S. & Tavares, F. B. R. (2019). Crise petrolífera e o descaso rodoviário: da dependência ao colapso. Revista da Universidade Vale do Rio Verde, 17(1), 1-10.

Silva, L. L. & Chaves, E. P. S. (2020). Análise da variação dos preços da cesta básica antes e depois da greve dos caminhoneiros no Brasil em 2018. Revista de Empreendedorismo e Gestão de Micro e Pequenas Empresas, 5(1), 1-15.

Valec. (2018). Mapa das Ferrovias. http://www.valec.gov.br/ferrovias.

Villar, L. B. & Marchetti, D. S. (2007). Dimensionamento do potencial de investimentos no setor ferroviário. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social. https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/handle/1408/14176.

Published

05/05/2021

How to Cite

DANTAS, A. A. N.; FRAGA, Y. S. B. Railways in Brazil: Future and ongoing projects. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e25010514917, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.14917. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/14917. Acesso em: 30 jan. 2023.

Issue

Section

Engineerings