Students with intellectual disabilities: Pedagogical work and teaching sciences

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i5.15337

Keywords:

Special education; Science teaching; Disabled person.

Abstract

Education has sought to adapt its role to the current demands of society, among them, the promotion of equality and learning opportunities. In order to start an understanding of this process, this work sought to describe and analyze the conceptions and practices of some teachers, from the municipality of Aracaju-SE, who teach Sciences, about the process of inclusion of students with intellectual disabilities (ID) in classrooms regular education. The survey was conducted in six schools in Aracaju, from the application of 16 questionnaires to teachers of Elementary School I and II. The data were interpreted using the Bardin Content Analysis method (2016). The results revealed that the intellectual is the most expressive of the deficiencies in the municipality, however, the teachers consulted do not consider themselves qualified to attend DI students in regular classes, given that this unpreparedness is due, according to them, both from deficiencies in initial training. as for continuing education, which requires changes in the current conjuncture of education and the training curriculum of science teachers. For Inclusive Education to be potentiated, it is suggested that teachers be trained to use methodologies focused on the student, so that all students can develop their potential based on the construction of scientific thinking, based on curiosity and the action of interaction with the medium to which they are inserted.

References

Arnal, L. S. P., & Mori, N. N. R. (2007, October). Educação escolar inclusiva: A prática pedagógica nas salas de recursos. In Congresso brasileiro multidisciplinar de educação especial (Vol. 4).

Bardin, L. 2016. Análise de conteúdo. Edições 70.

Barros, A. B., Silva, S. M. M., & Costa, M. D. P. R. (2015). Dificuldades no processo de inclusão escolar: percepções de professores e de alunos com deficiência visual em escolas públicas. Boletim Academia Paulista de Psicologia, 35(88), 145-163.

Belo, C., Caridade, H., Cabral, L., & Sousa, R. (2008). Deficiência intelectual: terminologia e conceptualização. Revista Diversidades, 22(6), 4-8.

Borges, A. C., Oliveira, E. C. B., Pereira, E. F. B. B., & Oliveira, M. D. D. (2013, December). Reflexões sobre a inclusão, a diversidade, o currículo e a formação de professores. In Anais Eletrônicos do Congresso Acadêmico Científico da UEG de Porangatu (Vol. 3, No. 1).

Brasil (2015). Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Diário Oficial da União, 43.

Brasil, Constituição Federal. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF. Ministério das Comunicações.

Brasil, Ministério da Educação. (2008). Política nacional de educação especial na perspectiva da educação inclusiva. Brasília, DF: MEC.

Brasil. Ministério da Educação. (1996). Leis de diretrizes e bases da educação nacional. Brasília, DF: MEC.

Brasil. Secretaria de Educação Especial. (2001). Diretrizes nacionais para a educação especial na educação básica. Secretaria de Educação Especial. Brasília, DF.

Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. (1998). Parâmetros Curriculares Nacionais: Ciências Naturais. Brasília, DF: MEC.

Caiado, K. R. M., de Souza Martins, L., & Antonio, N. D. R. (2009). A Educação Especial em Escolas Regulares: tramas e dramas do cotidiano escolar. Revista Diálogo Educacional, 9(28), 621-632.

Camargo, E. P. D. (2017). Inclusão social, educação inclusiva e educação especial: enlaces e desenlaces. Ciência & Educação (Bauru), 23(1), 1-6.

Carvalho, P. M. D. S., & Silva, F. A. R. (2014). Horta orgânica como ambiente de aprendizagem de educação ambiental para alunos com deficiência intelectual.

Ferlini, G. M. S., & Cavalari, N. (2010). Os benefícios da equoterapia no desenvolvimento da criança com deficiência física. Caderno multidisciplinar de pós-graduação da UCP, pitanga, 1(4), 1-14.

Ferreira, G. C., & Toman, A. (2020). Educação Especial e inclusão: o que mostram as iniciativas de formação continuada?. Revista Docência e Cibercultura, 367-386.

Miranda, T. G., & Galvão Filho, T. A. (2012). O professor e a educação inclusiva: formação, práticas e lugares. Salvador: EDUFBA.

GIL, A. C. (1999). Métodos e técnicas de pesquisa social. 5. ed. Editora Atlas SA

Gil-Pérez, D. G., Montoro, I. F., Alís, J. C., Cachapuz, A., & Praia, J. (2001). Para uma imagem não deformada do trabalho científico. Ciência & Educação (Bauru), 7(2), 125-153.

Glat, R., & de Lima Nogueira, M. L. (2003). Políticas educacionais e a formação de professores para a educação inclusiva no Brasil. Comunicações, 134-142.

Kafrouni, R. M., & de Souza Pan, M. A. G. (2001). A inclusão de alunos com necessidades educativas especiais e os impasses frente à capacitação dos profissionais da educação básica: um estudo de caso. Interação em Psicologia, (Curitiba), 5(1).

Krasilchik, M. (2004). Prática de ensino de biologia. Edusp.

Linsingen, L. V. (2010). Metodologia de ensino de Ciências e Biologia. UFSC (Florianópolis), 122.

Mantoan, M. T. E. (2015). Inclusão escolar: o que é? por quê? como fazer?. Summus Editorial.

Montoan, M. T. E. (2006). Ensaios Pedagógicos. Brasília: Ministério da Educação.

Mendes, E. G. (2006). A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Revista Brasileira de Educação, 11(33), 387-405.

Menezes, R. V. D. P., Nogueira, B. G. D. S. P., Gonçalves, G. M. P., & Costa, R. R. D. P. (2011). Congresso Nacional de Educação. X, Curitiba. O diagnóstico de conhecimentos de biologia dos alunos do ensino médio regular e especial. (Curitiba).

Michels, M. H. (2006). Gestão, formação docente e inclusão: eixos da reforma educacional brasileira que atribuem contornos à organização escolar. Revista Brasileira de Educação, 11(33), 406-423.

Minayo, M. C. D. S., & Sanches, O. (1993). Quantitativo-qualitativo: oposição ou complementaridade?. Cadernos de saúde pública, 237-248.

Nascimento, R. P. D. (2009). Preparando professores para promover a inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais. Londrina. Governo do Paraná

Oliveira, R. Q. D., Oliveira, S. M. B. D., Oliveira, N. A. D., Trezza, M. C. S. F., Ramos, I. B., & Freitas, D. A. (2016). A inclusão de pessoas com necessidades especiais no ensino superior. Revista Brasileira de Educação Especial, 22(2), 299-314.

Piva, S. F. A. (2015). O preconceito na inclusão de alunos com deficiência na escola pública do Distrito Federal.

Pletsch, M. D., & Glat, R. (2012). A escolarização de alunos com deficiência intelectual: uma análise da aplicação do Plano de Desenvolvimento Educacional Individualizado. Linhas Críticas, 18(35), 193-208

Prudêncio, C. A. V. (2013). Perspectiva CTS em estágios curriculares em espaços de divulgação científica: contributos para a formação inicial de professores de Ciências e Biologia. Universidade Federal de São Carlos.

Rodrigues, D., Krebs, R. J., & Freitas, S. N. (2005). Educação inclusiva e necessidades educacionais especiais. Editora UFSM.

Sant'Ana, I. M. (2005). Educação inclusiva: concepções de professores e diretores. Psicologia em estudo, 10(2), 227-234.

SANTOS, B. D. S. (1995). Entrevista com Prof. Boaventura de Souza Santos.

Silva, A. P. M., & Arruda, A. L. M. M. (2014). O papel do professor diante da inclusão escolar.

Soares, J. L. (2000). Biologia: a célula, os tecidos, embriologia. Scipione.

Taquette, S. R., & Borges, L. (2020). Pesquisa qualitativa para todos. Editora Vozes.

Vieira, A. S., & de Sant'Anna, H. M. M. (2015). Orientação sexual: materiais didáticos para aprendizagem de alunos com deficiência intelectual. Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática: questões atuais, 1(1).

Zanini, F. (2007). Educação Inclusiva e o papel do professor especialista. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia da Faculdade de Ciências UNESP–Campus de Bauru). Bauru.

Published

15/05/2021

How to Cite

ANDRADE, J. A. M. de .; SILVA, E. C. da .; PAGAN, A. A. . Students with intellectual disabilities: Pedagogical work and teaching sciences. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 5, p. e52410515337, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i5.15337. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/15337. Acesso em: 2 feb. 2023.

Issue

Section

Education Sciences