Non-pharmacological treatment of arterial hypertension in primary care: An integrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i7.16644

Keywords:

Hypertension; Health Education; Primary health care.

Abstract

Objective: Analyze the tools used in the non-drug treatment of systemic arterial hypertension in the context of primary care. Method: It is an Integrative Literature Review in which bibliographic survey was used as a methodological resource on the following platforms: Lilacs, Medline, CVSP, Scielo as well as the Google Scholar platform, adding scientific studies covered between the years 2015 to 2020. In this bibliographic survey carried out over the internet the descriptors were used: Arterial Hypertension, Non-pharmacological Treatments and Primary Care. Results and Discussion: Based on the studies used in this research, it was found that non-pharmacological treatments have a valuable importance for the therapy of systemic arterial hypertension, even reflecting the prevention of diseases in patients with risk factors and comorbidity. Conclusion: It was allowed to understand that non-pharmacological treatments have positive effects, but need continuous monitoring, taking into account the social context and personal difficulties of each individual.

References

Brasil. (2013). Departamento de Informática do SUS. Hiperdia – Sistema de Cadastramento e Acompanhamento de Hipertensos e Diabéticos. Ministério da Saúde. http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?hiperdia/cnv/hdMA.def

Canadá (2020). Hypertension Highlights (Guideline). Hypertension Canada. https://hypertension.ca/wp-content/uploads/2018/07/Hypertension-Guidelines-English-2018-Web.pdf

Consolim-Colombo, F. M., & Saraiva, J. F. K., & Izar, M. C. O. (2019). Tratado de Cardiologia: SOCESP. editora Manole.

Dantas, R. C. O., & Roncalli, A. G. (2019). Protocolo para indivíduos hipertensos assistidos na Atenção Básica em Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 24(1), 295-306.

Favaro, D. T. L. et al. (2016). Impact of educational group strategy to improve clinical and glycemic parameters in individuals with diabetes and hypertension. Investigación y Educación en Enfermería, 34(2), 314-321.

Fiório, C. E. et al. (2020). Prevalência de hipertensão arterial em adultos no município de São Paulo e fatores associados. Revista Brasileira de Epidemiologia, 23.

Freitas, M. M. A. et al. (2018). Intervenções não-farmacológicas associadas à prevalência e incidência da hipertensão arterial: uma revisão integrativa. Fisioterapia Brasil, 19 (2), 265-271.

Gewehr, D. M. et al. (2018). Adesão ao tratamento farmacológico da hipertensão arterial na Atenção Primária à Saúde. Saúde em Debate, 42(116), 179-190.

Jardim, P. C. B. V. (2018). A SBC e a Hipertensão Arterial: É Hora de Ação. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 111(3), 343-344.

Kim, J. K. et al. (2020). Effectiveness of a comprehensive blood pressure control program in primary health care in Peru. Revista Panam Salud Publica, 44(18), 1-8.

Kuhmmer, R. et al. (2016). Effectiveness of multidisciplinary intervention on blood pressure control in primary health care: a randomized clinical trial. BMC health services research, 16 (1), 1-13.

Laboissière, P. (2019). Hipertensão afeta um em cada quatro brasileiros adultos. Agência Brasil. https://agenciabrasil.ebc.com.br/saude/noticia/2019-04/hipertensao-afeta-um-em-cada-quatro-brasileiros-adultos.

Macete, K. G. & Borges, G. F. (2020). Não Adesão ao Tratamento não Medicamentoso da Hipertensão Arterial Sistêmica. Saúde em Foco, 7(1), 128-154.

Machado, J. C. et al. (2016). Análise de três estratégias de educação em saúde para portadores de hipertensão arterial. Ciência & Saúde Coletiva, 21(2), 611-620.ver o ano.

Malachias, M. V. B. et al. (2016). 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 107(3), 1-103.

Malachias, M. V. B. et al. (2017). 7ª Diretriz Brasileira de Hipertensão Arterial. Revista Brasileira de Hipertensão, 24(1),1-91.

Malta, D. C. et al. (2018). Prevalência da hipertensão arterial segundo diferentes critérios diagnósticos, Pesquisa Nacional de Saúde. Revista Brasileira de Epidemiologia, 28 (1).

Massing, L. T. & Portella, M. R. (2015). Fatores determinantes da adesão de hipertensos a conduta dietoterápica. Revista de Atenção à Saúde, 13(43), 37-45.

Oliveira, B. L. C. A. et al. (2020). A influência da Estratégia Saúde da Família no uso de serviços de saúde por adultos hipertensos no Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, 23.

Oliveira, G. M. M. et al. (2017). 2017: Diretrizes em Hipertensão Arterial para Cuidados Primários nos Países de Língua Portuguesa. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 109(5), 389-396.

Organização Pan-Americana da Saúde (2020). Doenças cardiovasculares. https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=52 53:doencas-cardiovasculares&Itemid=1096.

Pelazza, B. B. et al. (2020). Ações específicas para o controle da pressão de pulso em hipertensos e diabéticos. Revista Nursing, 23(261), 3594-3599.

Rocha, M. L., & Borges, J. W., & Martins, M. F. S. (2017). Adesão ao tratamento da hipertensão arterial entre usuários da estratégia saúde da família em um município do Piauí. Revista de APS, 20(1), 6-20.

Santiago, E. R. C. et al. (2019). Prevalência e Fatores Associados à Hipertensão Arterial Sistêmica em Adultos do Sertão de Pernambuco, Brasil. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 113(4), 687-695.

Scholze, A. S. et al. (2019). Hipertensão Arterial Sistêmica: a Perspectiva dos Docentes no Ensino Médico. Revista Brasileira de Educação Médica, 43(4), 82-91.

Toledo, M. T. T et al. (2017). Aconselhamento sobre modos saudáveis de vida na Atenção Primária à Saúde. O Mundo da Saúde, 41(1), 87-97.

Published

29/06/2021

How to Cite

COSTA, A. J. R. .; GHIDETTI, C. A. .; MACEDO, R. F. .; GODOY, J. S. R. .; TEIXEIRA, C. A. B. Non-pharmacological treatment of arterial hypertension in primary care: An integrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 7, p. e46110716644, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i7.16644. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/16644. Acesso em: 27 jun. 2022.

Issue

Section

Health Sciences