Cooperative Learning as an active methodology in High School: Perception of students from a public school in the City of Milagres, Ceará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v10i8.17166

Keywords:

Active Methodology; Teaching-Learning; Students; Cooperative learning.

Abstract

The need to develop teaching methodologies that are, in fact, efficient for the construction of knowledge is indisputable. In this perspective, there are indications in the literature that the cooperative learning methodology is configured as a viable alternative, which contributes to greater interaction between those involved and the development of social and cognitive skills. Thus, this work aims to analyze the perception of high school students in relation to the contributions of that methodology, outlining its positive and negative points. Data collection took place through the application of previously structured questionnaires following the ethical criteria of the research, in 1st and 3rd year classes, comprising a sample of 42 students, whose participation was voluntarily. The results obtained show that the vast majority of students are in favor of the teaching methodology in question, classifying it as a determinant for their learning process, as it improves school performance and promotes the socialization of knowledge. Therefore, it is concluded that despite the problems mentioned by some students, the use of the cooperative methodology promotes greater interaction among students, with significant results in increasing school performance and in the acquisition of social skills.

Author Biography

Dennis Bezerra Correia, Universidade Regional do Cariri

Graduated in Biological Sciences (2018) and specialization in Environmental Education (2019), both from the Regional University of Cariri, URCA - CE. He is a specialist in Environmental Management and Auditing (2020) by the Faculty of Venda Nova do Imigrante - FAVENI). He has experience in Environmental Education, working on the following topics: Social and Environmental Education and Social and Biodiversity.

References

Andrade, C. D. N. R. (2011). Aprendizagem cooperativa: estudo com alunos do 3º CEB (Doctoral dissertation, Instituto Polittécnico de Bragança, Escola Superior de Educação).

André, M. (2013). O que é um estudo de caso qualitativo em educação?. Revista da FAEEBA, 22(40).

Bardin, L. (2004). Análise de conteúdo. 3ª. Lisboa: Edições, 70, 223.

Bello, M. M. S., Capellini, V. L. M. F., & Ribeiro, J. A. G. (2018). A APRENDIZAGEM COOPERATIVA NO CENÁRIO EDUCACIONAL ACADÊMICO BRASILEIRO. Nuances: estudos sobre Educação, 29(1).

PROGRAMA, D., & BITU, C. B. APRENDIZAGEM COOPERATIVA: UMA ANÁLISE DA ESCOLA ESTADUAL DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ALAN PINHO TABOSA.

Costa, J. P. A. (2015). Aprendizagem cooperativa: presença ou ausência no ensino das artes visuais em Portugal? (Master's thesis).

de Pinho, E. M., Ferreira, C. A., & Lopes, J. P. (2013). As opiniões de professores sobre a aprendizagem cooperativa. Revista Diálogo Educacional, 13(40), 913-937.

Driver, R., Asoko, H., Leach, J., Mortimer, E., & Scott, P. 1999.Construindo conhecimento científico na sala de aula. Tradução: Eduardo Mortimer. Química Nova na Escola, São Paulo, n. 9, p.31-40

Firmiano, E. P. (2011). Aprendizagem cooperativa na sala de aula. Programa de Educação em células cooperativas–PRECE.

Fuks, H. (2000). Aprendizagem e trabalho cooperativo no ambiente AulaNet. Revista Brasileira de Informática na Educação, 6(1), 53-74.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa (Vol. 4, p. 175). São Paulo: Atlas.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. Ediitora Atlas SA.

Gumiero, R., & de Araújo, K. (2019). Contribuições de Paulo Freire e Célestin Freinet ao processo de ensino-aprendizagem. Acta Scientiarum. Education, 41, e41255-e41255.

Johnson, D. W., Johnson, R. T., & Holubec, E. J. (1999). El aprendizaje cooperativo en el aula.

Johnson, D., Johnson, R., & Smith, K. (1998). A aprendizagem cooperativa retorna às faculdades. Change, 3(4), 91-102.

Ludovino, P. N. B. (2012). A aprendizagem cooperativa: uma metodologia a aplicar nas disciplinas de História e de Geografia.

Magalhães, A. M. C. (2014). A aprendizagem cooperativa enquanto estratégia para a promoção da atenção dos alunos: o caso de uma turma do 10º ano na disciplina de Economia (Doctoral dissertation).

Marques, K. C. M., Camacho, R. R., & de Alcantara, C. C. V. (2015). Avaliação do rigor metodológico de estudos de caso em contabilidade gerencial publicados em periódicos no Brasil. Revista Contabilidade & Finanças-USP, 26(67), 27-42.

Marques, S. P. D. (2013). aprendizagem cooperativa como possibilidade de superação das dificuldades no aprendizado da química: o olhar dos educandos no ensino médio.

Marques, S. P. D., Ávila, F. N., Dias Filho, F. A., & Silva, M. G. V. (2016). Aprendizagem cooperativa como estratégia no aprendizado de química no ensino médio. Conexões-Ciência e Tecnologia, 9(4), 57-66.

Menezes, M. G., Barbosa, R., & Jófili, Z. (2007). Aprendizagem Cooperativa: O que pensam os estudantes. Linguagens, Educação e Sociedade, 17, 51-62.

Miranda, C. S. N. D., Barbosa, M. S., & Moisés, T. F. D. (2011). A aprendizagem em células cooperativas e a efetivação da aprendizagem significativa em sala de aula.

Moreira, J. I. D. (2012). A aprendizagem cooperativa: Aplicação ao 8. º ano de escolaridade na disciplina de História.

Moreira, M. A. (2000). Aprendizagem significativa crítica (critical meaningful learning). Teoria da Aprendizagem Significativa, 47.

Bacich, L., & Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso Editora.

Moura, F. A. N. (2018). Estudo de Caso “A Propaganda no Estado Novo”: Uma abordagem de ensino/aprendizagem construtivista e cooperativa (Doctoral dissertation, Universidade de Coimbra).

Nitzke, J. A., & Franco, S. R. K. (2002). Aprendizagem cooperativa: utopia ou possibilidade?. Informática na educação: teoria & prática. Porto Alegre. Vol. 5, n. 2 (nov. 2002), p. 23-30.

da Silva, F. C. S., Alves, M. C., Bordoni, A. J., Takahashi, D. A. G., da Silveira, M. P., & Kiouranis, N. M. M. (2019). Mitos e verdades: uma atividade avaliativa sobre uma sequência didática com o tema petróleo. Scientia Naturalis, 1(2).

Pereira, I. V., & Silva, C. A. T. (2018). Aprendizagem cooperativa como estratégia de ensino para a contabilidade: Habilidades intelectuais da taxonomia do domínio cognitivo. REVISTA AMBIENTE CONTÁBIL-Universidade Federal do Rio Grande do Norte-ISSN 2176-9036, 10(1), 54-70.

Pereira, M., & Sanches, I. R. (2013). Aprender com a diversidade: as metodologias de aprendizagem cooperativa na sala de aula. Nuances: estudos sobre Educação, 24(3), 118-139.

Scheibel, M. R., Silveira, R. M. C. F., Resende, L. M., & Júnior, G. S. (2009). Aprendizagem cooperativa: uma opção metodológica para se trabalhar as questões da ciência e da tecnologia nos cursos de formação de professores. Revista Brasileira de Ensino de ciência e tecnologia, 2(2).

Marques, S. P. D., Ávila, F. N., Dias Filho, F. A., & Silva, M. G. V. (2016). Aprendizagem cooperativa como estratégia no aprendizado de química no ensino médio. Conexões-Ciência e Tecnologia, 9(4), 57-66.

Scherer, S., & Brito, G. D. S. (2014). Educação a distância: possibilidades e desafios para a aprendizagem cooperativa em ambientes virtuais de aprendizagem. Educar em Revista, (SPE4), 53-77.

Silva, Â. J. D. (2007). Aprendizagem cooperativa no ensino de química: uma proposta de abordagem em sala de aula.

Silveira, D. T., & Córdova, F. P. (2009). A pesquisa cientítica. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009. p. 33-44.

Teixeira, J. C. G. (2016). O contributo da Aprendizagem Cooperativa para o desenvolvimento do domínio curricular da escrita (Doctoral dissertation).

Valente, J. M. G. M. (2010). Trabalhar no grupo e com o grupo: uma estratégia para a inclusão de uma criança com Atraso Global do Desenvolvimento (Master's thesis)., Recuperado de: http://www.educ.fc.pt/docentes/ichagas/mi2/InesMarisaRogerioAvaliacao RevLitpdf

Torres, P. L., & IRALA, E. A. F. (2014). Aprendizagem colaborativa: teoria e prática. Complexidade: redes e conexões na produção do conhecimento. Curitiba: Senar, 61-93.

Vasconcelos, Y. L., & Manzi, S. M. S. (2017). Processo ensino-aprendizagem e o paradigma construtivista. Interfaces Científicas-Educação, 5(3), 65-74.

Vieira, H. R., & Ciasca, M. I. F. L. (2019). Contribuições da Aprendizagem Cooperativa na formação acadêmica e humana de graduandos da Universidade Federal do Ceará. Da Investigação às Práticas: Estudos de Natureza Educacional, 9(1), 114-128.

Yin, R. K. (2015). Estudo de Caso-: Planejamento e métodos. Bookman editora.

Published

10/07/2021

How to Cite

SILVA, R. A. R. .; CORREIA, D. B.; AMARO, B. B. D. F.; SILVA, M. S. A. da; QUEIROZ, M. B.; LIMA, L. A. de; VITOR, L. N. A. .; SANTOS, R. H. L. dos; VERÇOSA, C. J.; FIGUEROA, M. E. . V. .; CABRAL, C. da P. .; SANTOS, M. A. F. dos .; FIGUEIRÊDO, F. V. .; OLIVEIRA, J. P. C. de .; TORRES, C. M. G. .; OLIVEIRA, E. C. C. de . Cooperative Learning as an active methodology in High School: Perception of students from a public school in the City of Milagres, Ceará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 10, n. 8, p. e17410817166, 2021. DOI: 10.33448/rsd-v10i8.17166. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/17166. Acesso em: 25 jul. 2024.

Issue

Section

Education Sciences