Psychosocial Attention Center Alcohol and Other Regional Drugs: Potentiality and Obstacles

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25304

Keywords:

Mental Health; Mental Health Services; Regionalization.

Abstract

The device that orders care in the territory recommended by the Psychiatric Reform Law is the Psychosocial Care Centers. In the four decades since the beginning of the anti-asylum movement, many advances have taken place, but today it is possible to perceive the lack of credibility with the Mental Health Policy in the spheres of government, going back in the forms of treatment. This scenario enhances this study, which aims to evaluate a regional Psychosocial Care Center for alcohol and other drugs based on the potential and obstacles identified by different interest groups. Of a qualitative nature, the Fourth Generation Assessment was used. The collection period was between May and November 2018 through documentary research, semi-structured interviews and focus groups. Interest groups were selected to define the participants: managers, workers and users. The thematic groups were: the regional configuration, intersectoriality and matrix support. The conclusion was that regionalization, used as a management strategy, needs regular renegotiations between managers to ensure the functioning and assistance to the treatment; intersectoriality and matrix support, facilitators of expanded care, have the greatest obstacles in the distance and in the definition of roles of network services.

Author Biography

Daiana Foggiato de Siqueira, Universidade Federal de Santa Maria

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta do departamento de Enfermagem da Universidade Federal de Santa Maria.

References

Almeida, D. R, Soares, J. N. C, Dias, M. G, Rocha F. C, Andrade Neto G. R & Andrade, D. L. B. (2020) Care for carriers of mental disorder in primary care: an interdisciplinary and multiprofessional practice. R. pesq.: cuid. fundam. online. 12(1), 420-425.

Amarante, P. & Nunes, M. O. (2018) A reforma psiquiátrica no SUS e a luta por uma sociedade sem manicômios. Ciência & Saúde Coletiva. 23(6), 2067-2074.

Amarante, P. (2010). Psiquiatria Social e Reforma Psiquiátrica. (4a ed.), Fiocruz.

Backes, D. S., et al. (2011) Grupo focal como técnica de coleta e análise de dados em pesquisas qualitativas. O mundo da saúde. 35(4), 438-442.

Bertoldo, N. R. (2016) Projeto Institucional do Centro de Atenção Psicossocial Regional Padre Otávio Ferrari. RS, Nova Palma, 2016.

Brasil. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei no 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Diário Oficial da União de 29.06.2011. Brasília, DF, 2011b. http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/decreto/d7508.htm.

Brasil. Lei no 10.216, de 6 de abril de 2001. Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF, 2001a. [citado em 2017 set. 15]. Disponível em: http://hpm.org.br/wp-content/uploads/2014/09/lei-no-10.216-de-6-de-abril-de-2001.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Nota Técnica Nº 11 de o4 de fevereiro de 2019. Esclarecimentos sobre as mudanças na Política Nacional de Saúde Mental e nas Diretrizes da Política Nacional sobre Drogas. Coordenação-Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas Brasília, DF, 2019. http://pbpd.org.br/wp-content/uploads/2019/02/0656ad6e.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Diretrizes e normas regulamentadoras sobre pesquisa envolvendo seres humanos. Resolução 466. Brasília: CNS, 2012.

Brasil. Ministério da Saúde. Lei n.º 10.708, de 31 de julho de 2003, institui o auxílio reabilitação para pacientes egressos de internações psiquiátricas 103 (Programa De Volta Para Casa). Diário Oficial da União. Brasília, DF, 2003.

Brasil. Ministério da Saúde. O SUS de A a Z: garantindo saúde nos municípios. Brasília: Ministério da Saúde: 2009. http: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/sus_az_garantindo_saude_municipios_3ed_p1.pdf.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria MS/GM nº 336 de 19 de janeiro de 2002. Estabelece que os Centros de Atenção Psicossocial poderão constituir-se nas seguintes modalidades de serviços: CAPS I, CAPS II e CAPS III, definidos por ordem crescente de porte/complexidade e abrangência populacional. Brasília: Ministério da Saúde, 2002. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2002/prt0336_19_02_2002.html. Acessado em 19 jan. 2018.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº- 3.090, de 23 de dezembro de 2011. Estabelece que os Serviços Residenciais Terapêuticos (SRTs), sejam definidos em tipo I e II, destina recurso financeiro para incentivo e custeio dos SRTs, e dá outras providências. Brasília, DF, 2011a.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria Nº 95, de 26 de janeiro de 2001. Da Norma Operacional da Assistência à Saúde – NOAS-SUS 01/2001 que amplia as responsabilidades dos municípios na Atenção Básica, define o processo de regionalização da assistência, cria mecanismos para o fortalecimento da capacidade de gestão do Sistema Único de Saúde e procede à atualização dos critérios de habilitação de estados e municípios. Ministério da Saúde. Brasília, DF, 2001b.: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2001/prt0095_26_01_2001.html.

Brasil. Ministério da Saúde. SAS/DAPES. Coordenação Geral de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas. Saúde Mental em Dados – 12, Ano 10, nº 12, outubro de 2015. Brasília, 2015. Informativo eletrônico de dados sobre a Política Nacional de Saúde Mental. 48p. www.saude.gov.br/bvs/saudemental.

Brasil. Portaria GM/MS nº 3.088, de 23 de dezembro de 2011. Institui a Rede de Atenção Psicossocial para pessoas com sofrimento ou transtorno mental e com necessidades decorrentes do uso de crack, álcool e outras drogas, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília, DF, 2011c. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2011/prt3088.

Dantas, N. F. & Passos, I. C.F. (2018) Apoio matricial em saúde mental no SUS de Belo Horizonte: perspectiva dos trabalhadores. Trabalho, Educação, Saúde. 16(1), 201-220.

Fidelis, A. C. (2018) Sentido do cuidado em saúde mental: sobre a rede de atenção psicossocial do Sistema Único de Saúde. Trabalho, Educação, Saúde. 16(2), 561-582.

Figueiredo, M. D. & Campos, R. O. (2009) Saúde Mental na atenção básica à saúde de Campinas, SP: uma rede ou um emaranhado? Ciência & Saúde Coletiva. 14(1), 129-138.

Guba, E. G. & Lincoln, Y. S. (2011) Avaliação de quarta geração / tradução Beth Honorato. Editora da Unicamp.

Hirdes, A. & Scarparo, H. B. K. (2015) O labirinto e o minotauro: saúde mental na Atenção Primária à Saúde. Ciência saúde coletiva. 20(2), 383-393.

Hoff, L. R. (2016) Público e Privado na política de saúde mental: inflexões de “um mundo à parte”. EDIPUCRS.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. CENSO 2010. Nova Palma. https://cidades.ibge.gov.br/brasil/rs/nova-palma/panorama.

Iglesias, A. & Avellar, L. Z. (2019) Matriciamento em Saúde Mental: práticas e concepções trazidas por equipes de referência, matriciadores e gestores. Ciênc. saúde coletiva. 24(4), 1247-1254.

Kantorski, L. P. et.al. (2011) Avaliação de Quarta Geração: aplicação no campo da saúde mental. Desafios da avaliação de programas e serviços em saúde: novas tendências e questões emergentes. Campos, R.O. & Furtado, J. P. (Org.). Editora da Unicamp, 2011.

Kantorski, L. P. et.al. (2009) Avaliação de Quarta Geração: contribuições metodológicas para avaliação de serviços de saúde mental. Interface – Comunicação, Saúde, Educação. 13(31), 343 – 55.

Leal, B. M. & Antoni, C. (2013) Os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS): estruturação, interdisciplinaridade e intersetorialidade. Aletheia, Canoas, (40), 87-101.

Nova Palma. Prefeitura Municipal De Nova Palma. (2003) Projeto Institucional do Centro de Atenção Psicossocial Regional Padre Otávio Ferrari. RS, Nova Palma.

Nova Palma. Prefeitura Municipal De Nova Palma. (2019) Dados Gerais do Município de Nova Palma. RS, Nova Palma.

Righi, L. & Gonçalves, C. (2018) Cartografia e Hermenêutica nos Enlaces da Pesquisa Participativa. Revista Polis e Psique. 8(1), 132-143.

Rio Grande Do Sul. Secretaria da Saúde. Plano Estadual de Saúde: 2016/2019. Grupo de Trabalho de Planejamento, Monitoramento e Avaliação da Gestão (Org.) Porto Alegre, 2016a. 228 p. Il. Disponível em: http://www.saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201701/05153251-pes-2016-2019-sesrs.pdf. Acessado em 28 jan. 2019.

Rio Grande Do Sul. Secretaria Estadual de Saúde (SES). Resolução nº 555/2012. Comissão Intergestores Bipartite 2016. SES, 2016b.

Saad, D., S., Saad, D. S., &Machado, M. V. M. (2012) Quarta Colônia de imigração italiana, patrimônio cultural e turismo no planalto central do Rio Grande do Sul, no Sul do Brasil. Revista América Patrimônio. 4(1), 55-68.

Souza, F. S. P. & Jorge, M. S. B. (2018) O retorno da centralidade do hospital psiquiátrico: retrocessos recentes na política de saúde mental. Trabalho, Educação, Saúde. 17(1), e0017201.

Teixeira, C. F. (2002) Promoção e vigilância da saúde no contexto da regionalização da assistência à saúde no SUS. Cadernos Saúde Pública. 18(supl), 153-162.

Published

17/01/2022

How to Cite

CARVALHO, K. L.; RIGHI, L. B.; PINHEIRO, M. C. da C.; FERRER, A. L. .; ARNEMANN, C. T. .; COSTA, D. F. C. da; SIQUEIRA, D. F. de. Psychosocial Attention Center Alcohol and Other Regional Drugs: Potentiality and Obstacles . Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e2311225304, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25304. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25304. Acesso em: 4 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences