Analysis of textual-discursive composition processes and multiliterate practices in virtual mini course

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25697

Keywords:

Multiliteracies; Text composition; Literacies; Digital literacy; Teaching.

Abstract

This paper analyzes composition procedures in the areas of text and discourse in multiliteracy practices in the early teacher education and investigatives netnographic actions (professional) in the view of academic and teaching literacies development as well as digital multiliterate practices in processes of writing, by people from the Language Portuguese Course, from the in the presential modality. The corpus of analysis is compound by commentaries and textual composition (opinion articles) from students of the first module of the project “From the usual writing to the screen: multiliterate inter-actions in the teacher formative process” (PIBIC research). The methodology included four steps. The first was (i) reading and discussion of the theoretical framework, (ii) drafting an invitation, then (iii) minicourse divulgation, at last, (iv) definition about module's steps, elaborated in a total of 4 weeks. As a method of investigation, in a qualitative perspective of research in education, we chose the action research, with a collaborative scope. As a research method, in a qualitative perspective of research in education, there has been chosen the research-action. The study has confirmed the need of promoting online events which foster teaching practices that constantly need ressignifications. We have been developing actions that have led us to the contemplation of some categories that are text and discourse related in multiliterate virtual environments, affiliated to netnographic studies.

Author Biographies

Ricardo Jorge de Sousa Cavalcanti, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas

Doutor em Linguística, com estágio pós-doutoral em Linguística Aplicada, com ênfase em formação de professores de Língua Portuguesa. Professor e Pesquisador Permanente do Programa de Pós-Graduação em Mestrado Profissional em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) do Insituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal), Campus Benedito Bentes. Atua no Curso de Licenciatura em Letras-Português no Campus Maceió do Ifal.

Rossana Viana Gaia, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas

Doutora em Linguística. Professora Titular e pesquisadora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal), atuando no Curso de Licenciatura em Letras-Português, no Campus Maceió.

Daniel Amorim de Oliveira Felix, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas

Graduando em Letras-Português pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal), Campus Maceió.

Erick Robert Ferreira da Silva, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas

Graduando em Letras-Português pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal), Campus Maceió.

Gustavo Correia dos Santos, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas

Mestrando em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) pelo Insituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal), Campus Benedito Bentes. Professor efetivo de Língua Espanhola do nsituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Alagoas (Ifal), Campus Santana do Ipanema.

References

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular (BNCC). http://basenacionalcomum.mec.gov.br/ .

Branco, E. P. et al. (2019). BNCC: a quem interessa o ensino de competências e habilidades? Rev. Debates em educação. 12(27). https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/7505#:~:text=O%20presente%20estudo%20objetiva%20identificar,ensino%2C%20em%20conson%C3%A2ncia%20com%20a.

Bunzen, C. Apresentação. (2014). In: STREET, Brian. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação, trad. Marcos Bagno. Parábola Editorial, p. 7-11.

Cardoso, N. S., Cavalcanti, R. J. de S., & Lima-Duarte, F. K. (2020). Implicações textual-discursivas na composição do gênero meme: uma análise se sua constituição. Programa de Pós-graduação em Educação (PPGE). Revista Debates em educação, Vol. 11, n. 25, maio/ago. Universidade Federal de Alagoas, UFAL: Maceió, 2020. https://www.seer.ufal.br/index.php/debateseducacao/article/view/8693.

Castro, M. H. G. (2020). Breve histórico do processo de elaboração da Base Nacional Comum Curricular no Brasil. Revista Em aberto, Brasília. 33(107), 95-112. http://rbepold.inep.gov.br/index.php/emaberto/article/view/4530.

Cavalcanti, R.J.de S. (2019). A Argumentação no processo de formação docente: reflexões dos egressos do PIBID subprojeto Letras/Português da Universidade Federal de Alagoas – UFAL. Relatório Final de Pós-Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Letras e Linguística. Universidade Federal de Alagoas, UFAL: Maceió.

Cavalcanti, R. J. S. et al. (2020). Memórias literárias de alunos licenciandos em Letras: problematização acerca do letramento literário. Revista Educação & Linguagem (REdLi). p. 24-39. https://www.fvj.br/revista/revista-educacao-e-linguagem/edicoes/2020-1/

Cavalcanti, R.J.de S, & Felix, Daniel Amorim de Oliveira. (2020). Multiletramentos à luz da BNCC: práticas pibidianas no subprojeto Letras do Instituto Federal de Alagoas (IFAL). In: Maria Edna Porangaba do Nascimento; Juliana Oliveira de Santana Morais (Org.). Práticas em sala de aula: diálogos necessários. Arapiraca/AL: EDUNEAL, 1, 55-72.

Coscarelli, C.V., & Ribeiro, A.E. (2017). Letramento Digital: aspectos sociais e possibilidades pedagógicas. (3.ed.). Ceale/UFMG: Autêntica, 2017.

Davilal, D.; De Souza, R. J., AR, Ma. A. R. (2013). O Uso de Textos Polêmicos em Sala de Aula: formação e prática docente. Educação & Realidade, Porto Alegre, 38(4), 1207-1220, out./dez.

Ferraz, C. P. (2019). A etnografia digital e os fundamentos da Antropologia para estudos em redes on-line. Aurora: revista de arte, mídia e política. São Paulo, 12(35), 46-69, jun.-set. https://revistas.pucsp.br/aurora/article/view/44648.

Fiad, R. S. (2015). Considerações sobre Letramentos Acadêmicos no contexto brasileiro. Pensares em Revista. São Gonçalo-RJ, (6), 23-34, jan. / jun.

Ibiapina, I. (2008). Pesquisa colaborativa: investigação, formação e produção de conhecimentos. Brasília: Líber.

Lüdke, M.; & André, M. E.D.A. (1986). Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. São Paulo: EPU.

Marcuschi, l. a. (2001). da fala para a escrita: atividades de retextualização. 2. ed. são paulo: cortez.

Noveli, M. (2010). Do Off-Line para o Online: A Netnografia como Um Método de Pesquisa ou o que Pode Acontecer quando Tentamos Levar a Etnografia para a Internet? Revista Organizações em Contexto, 2010. p.107-133. https://www.researchgate.net/publication/273481753_Do_Off-Line_para_o_Online_A_Netnografia_como_Um_Metodo_de_Pesquisa_ou_o_que_Pode_Acontecer_quando_Tentamos_Levar_a_Etnografia_para_a_Internet.

Oliveira, G. F. (2017). Os Estudos dos Letramentos Acadêmicos no Brasil: Influências, Origens e Perspectivas. Dissol. Pouso Alegre, (5), 89-101, jan./jun..

Pereira, A. A. S., & Monteiro, J. C. da S. M. (2020). A Netnografia como método de estudo de comportamento em ambientes digitais. Anais do III Simpósio Internacional Interdisciplinar em Cultura e Sociedade. https://www.academia.edu/42991787/A_netnografia_como_m%C3%A9todo_de_estudo_do_comportamento_em_ambientes_digitais.

Ramos, M. N. Pedagogia das competências. Dicionário da educação profissional em saúde, FIOCRUZ. http://www.sites.epsjv.fiocruz.br/dicionario/verbetes/pedcom.html.

Ribeiro, A.E. (2016). Textos multimodais: leitura e produção. São Paulo: Parábola.

Ribeiro, A. E. (2020). Que futuros redesenhamos? Uma releitura do manifesto da Pedagogia dos Multiletramentos e seus ecos no Brasil para o século XXI. Diálogo das Letras, Pau dos Ferros, 9, -19, e02011.

Ribeiro, A. E (2020). Textos multimodais na sala de aula: exercícios. Revista Triângulo, 13(3).

http://seer.uftm.edu.br/revistaeletronica/index.php/revistatriangulo/article/view/5005.

Rojo R.H., & Moura, E.(orgs.). (2012). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola.

Rojo R.H. (2020). Multiletramentos e TDICs em tempos de pandemia - Profa. Dra. Roxane Rojo. Youtube. https://www.youtube.com/watch?v=qp63KQbJX-E&t=3s.

Shepherd, T.G., & Saliés, T.G. (orgs.). (2013). Linguística da internet. São Paulo: Contexto.

Silva, V. C. O., & Vieira, F.M.S. (2019). Ensino de Língua Portuguesa: contexto e a prática de multiletramentos. Appris Editora.

Thiollent, M. (1988). Metodologia da pesquisa-ação. ( 4.ed.) São Paulo: Cortez.

Published

27/01/2022

How to Cite

CAVALCANTI, R. J. de S. .; GAIA, R. V. .; FELIX, D. A. de O. .; SILVA, E. R. F. da .; SANTOS, G. C. dos . Analysis of textual-discursive composition processes and multiliterate practices in virtual mini course. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e35511225697, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25697. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25697. Acesso em: 22 apr. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences