Pharmacists' perception of their technical-assistance and managerial-technical functions in private community pharmacies

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25743

Keywords:

Pharmaceutical Market; Community pharmacy; Pharmaceutical Management; Pharmaceutical services; Pharmaceutical care.

Abstract

Objective: To identify the duties and/or functions of pharmacists as managerial technicians and as assistance technicians in private community pharmacies. Method: Exploratory, prospective, analytical, and descriptive research, carried out between October and December 2020, using structured interviews via Survey Monkey®, applied to pharmacists working in private community pharmacies in the state of Pará. Results: This is a social representation on the perception of 59 (100.0%) pharmacists’ respondents. 32 (54.2%) were technical-assistance pharmacists and 27 (45.8%) were technical-management pharmacists. The attributions and/or functions of pharmacists were identified as managerial technicians and as assistance technicians in private community pharmacies. Conclusion: It was observed that there is no harmonization of the duties and functions of pharmacists as managerial technicians and as assistance technicians. It is inferred that there are conflicts regarding the understanding of the role of pharmacists as managerial technicians (management) and as assistance technicians (pharmaceutical care).

References

Araújo, P. S., Costa, E. A., Guerra Junior, A. A., Acurcio, F. d. A., Guibu, I. A., Álvares, J., Costa, K. S., Karnikowski, M. G. d. O., Soeiro, O. M., & Leite, S. N. (2017). Pharmaceutical care in Brazil’s primary health care. Revista de Saúde Pública, 51(suppl.2). https://doi.org/10.11606/s1518-8787.2017051007109

Bastos, C. R. G., & Caetano, R. (2010). As percepções dos farmacêuticos sobre seu trabalho nas farmácias comunitárias em uma região do estado do Rio de Janeiro. Ciênc. saúde coletiva. 15(3): 3541-3550. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000900029

Brasil (2001). Conselho Federal de Farmácia. Resolução 357, de 20 de abril de 2001. Aprova o regulamento técnico das boas práticas de farmácia. Brasília. Distrito Federal. RES 339_453 - páginas 823_1232.indd (cff.org.br)

Brasil. (1973). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Lei nº 5.991, de 17 de dezembro de 1973. Dispõe sobre o Controle Sanitário do Comércio de Drogas, Medicamentos, Insumos Farmacêuticos e Correlatos, e dá outras Providências. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. L5991 (planalto.gov.br)

Brasil. (1998). Ministério da Saúde. Portaria GM/MS nº 344, de 12 de maio de 1998. Aprova o Regulamento Técnico sobre substâncias e medicamentos sujeitos a controle especial. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Ministério da Saúde (saude.gov.br)

Brasil. (2004). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução da Diretoria Colegiada n° 306, de 7 de dezembro de 2004. Dispõe sobre o Regulamento Técnico para o gerenciamento de resíduos de serviços de saúde. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Ministério da Saúde (saude.gov.br)

Brasil. (2005). Conselho Nacional de Meio Ambiente. Resolução Conama n° 358 de 29 abril de 2005. Dispõe sobre o tratamento e a disposição final dos resíduos dos serviços de saúde e dá outras providências. Conama. avulso.job (as.org.br)

Brasil. (2009). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 44, de 17 de agosto de 2009. Dispõe sobre Boas Práticas Farmacêuticas para o controle sanitário do funcionamento, da dispensação e da comercialização de produtos e da prestação de serviços farmacêuticos em farmácias e drogarias e dá outras providências, Brasília: Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA. Ministério da Saúde (saude.gov.br)

Brasil. (2011). Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Resolução nº 20, de 5 de maio de 2011. Dispõe sobre o controle de medicamentos à base de substâncias classificadas como antimicrobianos, de uso sob prescrição, isoladas ou em associação. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Ministério da Saúde (saude.gov.br)

Brasil. (2012). Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 466 de 12 de dezembro de 2012. Aprova as diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília. Distrito Federal. Ministério da Saúde (saude.gov.br)

Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Ciência e Tecnologia. Diretrizes metodológicas: preparação de revisão sistemática e metanálise de ensaios randomizados. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2012. 92 p.: il. - (Série A: Normas e Manuais Técnicos).

Brasil. (2013). Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 557 de 25 de julho de 2013. Dispõe sobre a direção técnica ou responsabilidade técnica de empresas ou estabelecimentos que dispensam, comercializam, fornecem e distribuem produtos farmacêuticos, cosméticos e produtos para a saúde.. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil. (2013). Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 585 de 29 de agosto de 2013. Regulamenta as atribuições clínicas do farmacêutico e dá outras providências. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil. (2013). Conselho Federal de Farmácia. Resolução nº 586 de 29 de agosto de 2013. Regula a prescrição farmacêutica e dá outras providências. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil. (2014). Presidência da República. Lei nº 13.021, de 8 de agosto de 2014. Dispõe sobre o exercício das atividades farmacêuticas nas farmácias comunitárias. Brasília. Distrito Federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil.

Brasil. (2014). Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Serviços farmacêuticos na atenção básica à saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. – Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 108 p.: il. – (Cuidado Farmacêutico na atenção básica; caderno 1). ISBN 978-85-334-2196-7).

Brasil. (2016). Conselho Federal de Farmácia. Programa de Suporte ao Cuidado Farmacêutico na Atenção à Saúde – PROFAR / Conselho Federal de Farmácia. – Brasília: Conselho Federal de Farmácia. 76 p.

Brasil. (2016). Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 510, de 07 de abril de 2016. Dispõe sobre as normas aplicáveis a pesquisas em Ciências Humanas e Sociais cujos procedimentos metodológicos envolvam a utilização de dados diretamente obtidos com os participantes ou de informações identificáveis ou que possam acarretar riscos maiores o que os existentes na vida cotidiana. Brasília. Distrito Federal.

Brasil. (2017). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação Câmara de Educação Superior. Resolução nº 6, de 19 de outubro de 2017. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Farmácia e dá outras providências. Brasília. Distrito Federal.

Brasil. (2017). Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação. Conselho Nacional de Saúde. Resolução nº 546 CNE/CES, de 7 de abril de 2017. Institui diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em Farmácia. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 16 jun. 2017. Seção 1, p. 36.

Brasil.(2009). Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Assistência Farmacêutica e Insumos Estratégicos. Diretrizes para estruturação de farmácias no âmbito do Sistema Único de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde; 2009. 44p.

Choe, H. M., Lin, A. T., Kobernik, K., Cohen, M., Wesolowicz, L., Qureshi, N., Leyden, T., Share, D. A., Darland, R., & Spahlinger, D. A. (2018). Michigan pharmacists transforming care and quality: Developing a statewide collaborative of physician organizations and pharmacists to improve quality of care and reduce costs. Journal of Managed Care & Specialty Pharmacy. 24(4), 373–378. https://doi.org/10.18553/jmcp.2018.24.4.373

Cordina, M., Safta, V., Ciobanu, A., & Sautenkova, N. (2008). An assessment of community pharmacists' attitudes towards professional practice in the Republic of Moldova. Pharmacy practice. 6(1):1-8. https://doi.org/10.4321/s1886-36552008000100001

Correr, C. J., Otuki, M. F., & Soler, O. (2011). Assistência farmacêutica integrada ao processo de cuidado em saúde: gestão clínica do medicamento. Rev Pan-Amaz Saúde. 2(3):41-49.

Costa, F. A., Scullin, C., Al-Taani, G., Hawwa, A. F., Anderson, C., Bezverhni, Z., Binakaj, Z., Cordina, M., Foulon, V., Garcia de Bikuña, B., de Gier, H., Granås, A. G., Grinstova, O., Griese-Mammen, N., Grincevicius, J., Grinceviciene, S., Kaae, S., Kubiliene, L., Mariño, E. L., Westerlund, T. (2017). Provision of pharmaceutical care by community pharmacists across Europe: Is it developing and spreading? Journal of Evaluation in Clinical Practice, 23(6), 1336-1347. https://doi.org/10.1111/jep.12783

Cruz, W. M., Queiroz, L. M. D., Soler, O. (2020). Cuidado farmacêutico para utentes de farmácia comunitária privada: Revisão sistemática. Braz. J. of Develop. 6(10):78682-78702. ISSN 2525-8761. DOI:10.34117/bjdv6n10-340

Dos Reis, T. M., Guidoni, C. M., Girotto, E., Rascado, R.R., Mastroianni, P.C., Cruciol, J.M. & Pereira, L. R. L. (2015). Assistência farmacêutica em farmácias comunitárias brasileiras: Conhecimento e prática. African Journal of Pharmacy and Pharmacology, 9 (9), 287-294. https://doi.org/10.5897/AJPP2014.4239

Dosea, A. S., Brito, G. C., Santos, L. M. C., Marques, T. C., Balisa-Rocha, B., Pimentel, D., Bueno, D., & Lyra, D. P. (2016). Establishment, implementation, and consolidation of clinical pharmacy services in community pharmacies. Qualitative Health Research, 27(3), 363-373. https://doi.org/10.1177/1049732315614294

El Hajj, M. S., AL-Saeed, H. S., & Khaja, M. (2016). Qatar pharmacists’ understanding, attitudes, practice and perceived barriers related to providing pharmaceutical care. International Journal of Clinical Pharmacy, 38(2), 330-343. https://doi.org/10.1007/s11096-016-0246-0

Farina, S. S., & Romano-Lieber, N. S. (2009). Atenção farmacêutica em farmácias e drogarias: Existe um processo de mudança? Saúde e Sociedade, 18(1), 7-18. https://doi.org/10.1590/s0104-12902009000100002

Ferreira, R. L. & Soler, O. (2021). Prática de governança e gestão técnica da assistência farmacêutica no Município de Xinguara, Pará. Research, Society and Development, 10(4). http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i4.14416

Gomes, C. A. P. G., Fonseca, A. L., Machado, M. C. Rosa, M. B., Fassy, M. F., Silva, R. M. C., Santos, F. J. P., & Soler, O. (2010). A assistência farmacêutica na atenção à saúde. Belo Horizonte: Ed. FUNED. 144 p.

Holdford, D. A. (2018). Resource-based theory of competitive advantage – a framework for pharmacy practice innovation research. Pharmacy Practice, 16(3):1351. https://doi.org/10.18549/pharmpract.2018.03.1351

Melo, A. C., Trindade, G. M., Freitas, A. R., Resende, K. A., & Palhano, T. J. (2021). Community pharmacies and pharmacists in Brazil: A missed opportunity. Pharm Pract (Granada). 19(2):2467. https://doi.org/10.18549/PharmPract.2021.2.2467

Melo, A. C., Trindade, G. M., Freitas, A. R., Resende, K. A., & Palhano, T. J. (2021). Community pharmacies and pharmacists in Brazil: A missed opportunity. Pharmacy Practice. 19(2):2467. https://doi.org/10.18549/pharmpract.2021.2.2467

Mendes, E. V. (2012). O cuidado das condições crônicas na atenção primária à saúde: o imperativo da consolidação da estratégia da saúde da família. Brasília: Organização Pan-Americana da Saúde. 512 p.: il. ISBN: 978-85-7967-078-7

Minayo, M. C. S.; Costa, A. P. (2018). Fundamentos Teóricos das Técnicas de Investigação Qualitativa. Revista Lusófona de Educação, 40:139-153. ISSN 1645-7250

Moullin, J. C., Sabater-Hernández, D., & Benrimoj, S. I. (2016). Qualitative study on the implementation of professional pharmacy services in Australian community pharmacies using framework analysis. BMC Health Services Research, 16(1). https://doi.org/10.1186/s12913-016-1689-7

Muller, M. (2019). Serviços Farmacêuticos - A Nova Aposta na Competição do Varejo. Instituto de Ciência, Tecnologia e Qualidade. https://ictq.com.br/varejo-farmaceutico/775-servicos-farmaceuticos-a-novaaposta-na-competicao-do-varejo.

Oliveira, N. V. B. V. d., Szabo, I., Bastos, L. L., & Paiva, S. P. (2017). Atuação profissional dos farmacêuticos no Brasil: Perfil sociodemográfico e dinâmica de trabalho em farmácias e drogarias privadas. Saúde e Sociedade. 26(4):1105-1121. https://doi.org/10.1590/s0104-12902017000002

Qato, D. M., Zenk, S., Wilder, J., Harrington, R., Gaskin, D., & Alexander, G. C. (2017). The availability of pharmacies in the United States: 2007–2015. Plos One. 12(8):Artigo e0183172. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0183172

Reis, T. M., Rocha, K. S. S., Barros, I. M. C., Santos, L. M. C., Paixão, F. P., Almeida, F. H. O., et al. (2015). Pharmacists' skills in conducting clinical services in community pharmacies in urban areas of Northeast Brazil. Latin American Journal of Pharmacy, 34(4), 725-731. 725-731 Lyra LAJP 4066: Lyra (latamjpharm.org)

Santos Júnior, G. A. d., Ramos, S. F., Pereira, A. M., Dosea, A. S., Araújo, E. M., Onozato, T., Pimentel, D. M. M., & Lyra, D. P. d. (2018). Perceived barriers to the implementation of clinical pharmacy services in a metropolis in Northeast Brazil. Plos One, 13(10), Artigo e0206115. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0206115

Serafin, C., Júnior D. C., Vargas M. (2015). Perfil do farmacêutico no Brasil: relatório. – Brasília: Conselho Federal de Farmácia. 44p.: il. ISBN 978-85-89924-16-0

Soler, O., Rosa, M. B., Fonseca, A. L., Fassy, M. F., Machado, M. C., Silva, R. M. C., Gomes, C. A. P. (2010). Assistência farmacêutica clínica na atenção primária à saúde por meio do Programa Saúde da Família. Rev. Bras. Farm. 91(1):37-45. ISSN 0370-372X

Soler, O., Sinimbu, A. V., Figueredo, D. C. d., Vieira, H. K. d. S., Galucio, N. C. d. R., Pinheiro, P. D. N. Q., Sena, S. S. I., Silva, V. G. d., Vieira, V. M. B., & Ledo, Y. (2018). A reorientação da assistência farmacêutica na secretaria municipal de saúde de Belém (PA): Relato de experiência. Revista Eletrônica de Farmácia, 14(4). https://doi.org/10.5216/ref.v14i4.45427

Turato, E. R. (2005). Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde: Definições, diferenças e seus objetos de pesquisa. Revista de Saúde Pública, 39(3), 507–514. https://doi.org/10.1590/s0034-89102005000300025

Yin, R. K. (2015). Estudo de caso: Planejamento e métodos. (5a ed.). Bookman.

Zekan, L., Mestrovic, A., Seselja Perisin, A., Portolan, M., Jambrek, N., Jager, S., Sepetavc, M., & Modun, D. (2017). Clinical knowledge of community pharmacists in Croatia for detecting drug-related problems. International journal of clinical pharmacy, 39(6), 1171–1174. https://doi.org/10.1007/s11096-017-0546-z

Published

26/01/2022

How to Cite

MORAES FILHO, D. da S. .; MARTINS , L. H. C. .; COSTA, R. N. .; QUEIROZ, L. M. D. de .; PASSOS, M. M. B. dos .; SOLER, O. Pharmacists’ perception of their technical-assistance and managerial-technical functions in private community pharmacies. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e33611225743, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25743. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25743. Acesso em: 21 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences