Spirituality and Health: a look through different social actors

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25874

Keywords:

Spirituality; Health; Religion.

Abstract

There have been a lot of quality of Life surveys for some time. Since the end of the 1970s, the World Health Organization has recognized spiritual well-being as an important dimension for the balance of the individual, thus, thinking about health is not only referring to biological, physical and mental data, but to a constant search for well-being, quality of life and balance in all aspects of existence. Objective: to analyze how spirituality can influence the health and emotional aspects of different social actors with different beliefs and religions. Methodology: The research is characterized as a qualitative and descriptive study, with the purpose of knowing and describing the reality of different social actors with different beliefs and religions. Results: it was possible to perceive that the sample profile is mostly men (77.8%), brown and white with 33.3% each, with complete higher education (50%), active in the labor market (66.7%), income above one minimum wage (72.2%), living in urban areas (83.3%), of the Catholic religion (44.4%), with a regular level of quality of life (56.3%). Conclusion: The narratives point to spirituality as an important personal device to face daily divergences, consequently the aspects involving health. It is suggested that new studies be launched focused on the theme with an emphasis on the field and performance of Occupational Therapy.

References

Ammatuzi, M. M. (2003) Fé e Ideologia na Compreensão Psicológica da Pessoa. Psicologia: Reflexão e Crítica, 16 (3), 569-575.

Araújo, L. S & Oliveira, I. B. S & Jaramillo, S. R. (2014) Espiritualidade e a Prática da Terapia Ocupacional: Interfaces no campo da ocupação humana. TOG (A Coruña), 11 (20).

Baldicera, C. R & Trindade, M. N. P. (2011) Depressão em Religiosos: Existe Influência da Religiosidade e Espiritualidade? (TCC para graduação em Terapia Ocupacional), Santa Maria, RS.

Batista, L. A. (2018) Neuroteologia: Fundamentos e Perspectivas. (Dissertação em Ciências da Religião), São Paulo.

Castro, M. G; Andrade, T. M. R & Muller, M. C (2006). Conceito mente e corpo através da história. Psicologia em Estudo, Maringá, 11.(1), 39-43, jan./abr.

Comin, F. S & Figueiredo, I. A (2018). Concepções de saúde, doença e cuidado em Primeiras estórias, de Guimarães Rosa. Saúde e Sociedade. São Paulo, 27 (3), 883-897.

Dantas, I. D. O; Melo, W. P. P & Carvalho, R. R. F (2019). A oração na bíblia e nas comunidades cristãs. I Semana Nacional de Teologia, Filosofia e Estudos de Religião I Colóquio Filosófico: Filosofia e Religião.

Gomes, N. S.; Farina, M. & Forno, C. D (2014). Espiritualidade, Religiosidade e Religião: Reflexão de Conceitos em Artigos Psicológicos. Revista de Psicologia da IMED, 6 (2), 107-112.

Gonçalves, H. A; Nascimento K. C. S & Santos, A. P. A. L (2018). Espiritualidade e Religiosidade: A fé cristã e o papel da oração no processo de enfrentamento da doença. Paralellus, Recife, 9 (20).

Marcolino, T. Q (2009). A porta está aberta: aprendizagem colaborativa, prática iniciante, raciocínio clínico e terapia ocupacional. (Tese de doutorado), Universidade Federal de São Carlos, São Carlos.

Mângia, E, F (2000). A trajetória da terapia ocupacional da psiquiatria às novas instituições e estratégias de promoção de saúde mental. Revista de Terapia Ocupacional da Universidade de São Paulo, São Paulo, 11 (1), 28-32.

Martins, P. M. F (2019). A oração além das palavras. Revista. Terra & Cultura., Londrina, 35 (68), jan./jun.

Martins, A. A (2010). A pastoral da Saúde e sua importância no mundo da saúde: da presença solidária ao transcender a dor e o sofrimento. O Mundo da Saúde, São Paulo, 34 (4): 547-552.

Melo, C. F; Sampaio, I. S; Souza, D. L. A & Pinto, N. S (2015). Correlação entre religiosidade, espiritualidade e qualidade de vida: uma revisão de literatura. Estududos e Pesquisas em Psicologia., Rio de Janeiro, 15 (2), 447-464.

Minayo, M. C. S (2009). Pesquisa Social. Teoria, método e criatividade. 28 ed. Petrópolis: Vozes.

Minayo, M. C. S. (2012). Análise qualitativa: teoria, passos e fidedignidade. Ciência & Saúde Coletiva, 17 (3), 621-626.

Nunes, G. C.; Nascimento, M. C. D & Luz, M. A. C. A (2016). Pesquisa Científica: conceitos básicos. Id on Line Revista Multidisciplinar e de Psicologia, 10 (29).

Peres, M. F. P. Arantes, A. C. L. Q, Lessa, S. P & Caous C. A (2007). A importância da integração da espiritualidade e da religiosidade no manejo da dor e dos cuidados paliativos. Revista de Psiquiatria Clínica, 34 (1), 82-87.

Pereira, E. F; Teixeira, C. S & Santos, A (2012). Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, São Paulo, 26 (2), .241-50.

Pinto, C. & Ribeiro, J. L. P (2007). Construção de uma escala de avaliação da espiritualidade em contextos de saúde. Arquivos de Medicina, Porto Seguro, 21 (2).

Ribeiro, F. M. L & Minayo, M. C. S (2019). O papel da religião na promoção da saúde, na prevenção da violência e na reabilitação de pessoas envolvidas com a criminalidade: revisão de literatura. Ciência & Saúde Coletiva, 19 (6), 1773-1789.

Scliar, M (2007). História do Conceito de Saúde. PHYSIS: Revista Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, 17 (1)29-41.

Seidl, E. M. F & Zannon, C. M. L. C (2004). Qualidade de vida e saúde: aspectos conceituais e metodológicos. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, 20 (2), 580-588.

Silva, J. B & Silva, L. B (2014). Relação entre Religião, Espiritualidade e Sentido da Vida. Revista da Associação Brasileira de logoterapia e Análise Existencial; 3 (2), 203-215.

Silva, M. S (2013). A Espiritualidade Na Atenção Em Saúde Em Geral no Brasil. (TCC para graduação em Terapia Ocupacional), Universidade de Brasília, Faculdade de Ceilândia.

Silva, O. G (2018). A importância da oração para uma vida de fé. (Dissertação) em Teologia. São Leopoldo.

Simões, N. D, Martins, P. G, Santos, R. O. P, Santana, F. R & Pilger, C (2018). Espiritualidade e saúde: experiência de uma disciplina na graduação de enfermagem. Revista de Enfermagem, 181-191.

Thurow, A. C, Charão, C. S, Mortagua, E. O, & Souza, L, M (2017). Bem-Estar Espiritual e Religião em Doutorandos de Universidade Comunitária. Revista de Psicologia da IMED, Passo Fundo, 9 (2), 77-92.

Toniol, R. (2015) Espiritualidade que faz bem. Pesquisas, Políticas Públicas e Práticas Clínicas pela Promoção da Espiritualidade da Espiritualidade como Saúde. Sociedad y Religión, 43 (XXV), 110-143.

Zanini, R. L. (2019) Religião e Ciência: caminho de aliança ética. Caderno teológico da PUC PR; 1, 91-104.

Zanotelli, M. I. G. (2016) Espiritualidade e qualidade de vida: perspectivas para o século XXI. (Dissertação) em Religião e Esfera Pública.

Published

29/01/2022

How to Cite

TRINDADE , K. A. .; ANDRADE, L. F. .; SAMPAIO, P. Y. S. .; MELO, M. S. S. .; HERNANDES, R. S. . Spirituality and Health: a look through different social actors. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e41311225874, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25874. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25874. Acesso em: 4 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences