Economic feasibility study of the use of waterless urinal

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25877

Keywords:

Waterless urinal; Economic feasibility; Rational use of water.

Abstract

It is undeniable that water scarcity has been causing rationing in some large Brazilian urban centres. In view of that, the use of water-saving appliances appears as one of the alternatives for the conservation and efficient use of this resource, among them, the waterless urinals stand out, because they bring the savings benefit of water, despite the acquisition and operating costs. This article proposed to analyse the economic feasibility of the use of waterless urinal, for a project lifetime of 20 years, with data referring to the city of João Pessoa – PB (Brazil), comparing them with three types of sanitary appliances: conventional urinal (scenario 1), double-acting sanitary basin (scenario 2) and sanitary basin of single drive (scenario 3). For the residential category, the use of the waterless urinal was not analyzed for scenario 1, while in scenario 2, viability occurs above 20 daily uses for the intermediate charging and 7 daily uses for the highest value tariff. In scenario 3, viability is verified above 7, 4 and 3 daily uses for popular, average and high standard rate, respectively. For the commercial, industrial and public categories, the waterless urinals are economically viable in the scenarios that they replace the sanitary basins. In scenario 2, the numbers of daily uses for economic viability to occur are above 5, 4 and 4, and in scenario 3, 2, 2 and 2 for the commercial, industrial and public categories, respectively.

References

ADVFN – Advanced Financial Network. (2021). Taxa SELIC. https://br.advfn.co m/indicadores/taxa-selic.

Bastos, M. M. A. (2013). Opções tecnológicas para conservação de água e redução de esgoto doméstico em um edifício residencial dotado de sistema de reuso de água cinza. Projeto de Graduação (Graduação em Engenharia Ambiental) – Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória.

Bristow, G., McClure, J. D. & Fisher, D. (2006). Waterless urinals: Features, benefits, and applications. Journal of Green Building, 1(1), 55–62.

CAGEPA – Companhia de Água e Esgotos da Paraíba. (2021). Estrutura Tarifária. http://agenciavirtual.cagepa.pb.gov.br/gsan/exibirConsultarEstruturaTarif ariaPortalCagepaAction.do

Carvalho, M. V. (2021). Análise econômica das opções de biometanização, compostagem e reciclagem para tratamento de Resíduos Sólidos Urbanos no Brasil. Dissertação de Mestrado (Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil e Ambiental) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

Chipako, T. L. & Randall, D. G. (2019). Urinals for water savings and nutrient recovery: a feasibility study. Water SA, 45(2), 266–277.

Fernandes, R. O., Silva, N. J. M., Silva, W. O. (2013). Economia financeira gerada pelo uso de duas tecnologias de conservação da água em uma edificação pública no Cariri Cearense. In: Anais... XX Simpósio Brasileiro de Recursos Hídricos: ABRH, 2013, Bento Gonçalves-RS.

Gil, A. C. (2007). Métodos e técnicas de pesquisa social. (5a ed.), Atlas.

Gomes, H. P. (2019). Abastecimento de água. João Pessoa: LENHS / UFPB.

Gonçalves, R. F. (2006). Uso racional de água em edificações. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES).

Hafner, A. V. (2007). Conservação e reuso de água em edificações – experiências nacionais e internacionais. Dissertação de Mestrado – Universidade Federal do Rio de Janeiro.

IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. (2021). Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo – IPCA. https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas /precos-e-custos/9256-indice-nacional-de-precos-ao-consumidor-amplo.html?=&t=o-que-e

Jimenez Cisneros, B. E., Oki, T., Arnell, N. W., Benito, G., Cogley, J. G., D€Oll, P., Jiang, T. & Mwakalila, S. S. (2014). Freshwater resources. Intergovernmental panel on climate change (IPCC), climate change 2014: impacts, adaptation, and vulnerability. In: Contribution of Working Group II to the Fifth Assessment Report of the IPCC. Cambridge University Press, Cambridge/New York, UK/USA, p. 229-269.

Lopes, M. Z. (2016). Ações de o uso racional da água em edificações públicas. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Engenharia Civil) – Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa.

Marins, N. & Moura, D. A. (2015). Análise da utilização de equipamento economizador na promoção do uso racional de água em prédio público. In: Anais... VI Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental Porto Alegre - RS.

Medeiros, D. L., Kiperstok, A. C., Nascimento, F. R. A., Cohim, E. H. B. & Kiperstok, A. (2021). Human urine management in resource-based sanitation: water-energy-nutrient nexus, energy demand and economic performance. Sustainable Production and Consumption, 26, 988–998.

Richardson, R. J. (2017). Pesquisa social: métodos e técnicas. (4a ed.), Atlas.

São Paulo. Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (SABESP). (2009). Manual de gerenciamento para controladores de consumo de água. São Paulo.

Shmidt, W. (2004). Caracterização e formulação de parâmetros para avaliação de mictórios – o caso do mictório sem água. Dissertação de Mestrado (Escola Politécnica) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

Sampaio, L. S., Vieira, Z. C., Silva Júnior, C. G., Santos, D. K. A. S. & Santos, D. L. (2019). Utilização de mictórios economizadores como forma de reduzir o consumo de água em escolas. In: Anais... XII Encontro de Recursos Hídricos em Sergipe, 2019, Aracaju – SE.

Silva, G. S. (2004). Programas permanentes de uso racional de água em campi universitários: O Programa de Uso Racional de Água da Universidade de São Paulo. Dissertação de Mestrado (Escola Politécnica) – Universidade de São Paulo, São Paulo.

Venancio, D. F. V., Santos, R. M., Cassaro, S. & Pierro, P. C. C. (2015). A crise hídrica e sua contextualização mundial. Enciclopédia Biosfera, 11(22), 1-13.

Published

30/01/2022

How to Cite

CARVALHO, M. V.; MORAIS, L. B. F. de; FARTO, C. D.; ATHAYDE JUNIOR, G. B. Economic feasibility study of the use of waterless urinal. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e43311225877, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25877. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25877. Acesso em: 29 feb. 2024.

Issue

Section

Engineerings