Knowledge of the Nursing team about the transfusion process in the Intensive Care Unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25945

Keywords:

Nursing Assistance; Knowledge; Nursing; Blood transfusion.

Abstract

Objective: to describe the knowledge of the nursing team about the transfusion process in the Intensive Care Unit. Methodology: a descriptive cross-sectional study, with a quantitative approach. Participated nurses, nursing technicians and nursing assistants who worked in the Intensive Care Unit of a general hospital that is a reference for urgent and emergency care. Results: 44 (80.0%) of the professionals reported not having received previous training in hemotherapy, 39 (70.9%) stated that they do not participate periodically in training that addresses aspects such as transfusion and adverse reactions, and 12 (21.9 %) mentioned knowing the ordinances dealing with the Technical Regulations for Hemotherapeutic Procedures. Anemia (56.9%) and hemorrhage (15.4%) were the most cited responses as an indication for transfusion of red blood cell concentrate. Coagulopathies (35.3%) and thrombocytopenia (57.5%) were the most common indications for the infusion of fresh and concentrated platelet plasma. Chills (69.1%), itching (60.0%), sweating (52.7%), tachycardia (50.9%) and respiratory distress (49.1%) were the most suggestive signs and symptoms of transfusion reactions cited. Only 2 (3.6%) participants correctly mentioned the time of onset of possible complications. Conclusion: there was a deficiency in the knowledge of the nursing team professionals about blood transfusion, as well as the negative impact generated by the lack of training and guidance on the subject in the professionals' knowledge. It emphasizes the importance of the need for interventions such as continuing and permanent education, as well as the periodic training of professionals of the nursing team on performance in this practice.

References

Benites, R. M. (2013). A formação em hemoterapia no Rio Grande do Sul: um olhar necessário. Monografia (Especialização) - Curso de Formação Integrada Multidisciplinar em Educação e Ensino em Saúde, Núcleo de Educação, Avaliação e Produção Pedagógica em Saúde, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/115467/000953945.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Brasil. (2016). Ministério da Saúde. Portaria Nº 158, de 04 de fevereiro de 2016. Ementa: Redefine o regulamento técnico de procedimentos hemoterápicos. Diário Oficial da União, Poder Executivo, Brasília, DF, 05 fev. 2016. (1). 37-100. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2016/prt0158_04_02_2016.html.

Brasil. (2015). Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Especializada e Temática. Guia para uso de hemocomponentes. 2.ed., 1. reimpr. Brasília: Ministério da Saúde. http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/guia_uso_hemocomponentes_2ed.pdf.

Brazeiro, L. A., Pereira, P. C., Cardoso, L. S., Scherer, A. C., de Vargas, E., & Cardoso, L. S. (2021). O Entendimento dos Profissionais de Enfermagem sobre os cuidados em Hemoterapia e Segurança. In Congresso Internacional em Saúde. https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/conintsau/article/download/19349/18082.

Carneiro, V. S. M., Barp, M., & Coelho, M. A. (2017). Hemoterapia e reações transfusionais imediatas: atuação e conhecimento de uma equipe de enfermagem. REME – Rev Min Enferm, 21:e-1031. https://cdn.publisher.gn1.link/reme.org.br/pdf/e1031.pdf.

Conselho Federal de Enfermagem. (2020). Resolução nº 629/2020: Aprova e Atualiza a Norma Técnica que dispõe sobre a Atuação de Enfermeiro e de Técnico de Enfermagem em Hemoterapia. Brasília. http://www.cofen.gov.br/resolucao-cofen-no-629-2020_77883.html.

Conselho Federal de Enfermagem. (1986). Lei n.7498/86, de 25 de junho de 1986: Dispõe sobre a regulamentação do exercício da Enfermagem e dá outras providências. Brasília. http://www.cofen.gov.br/lei-n-749886-de-25-de-junho-de-1986_4161.html.

Conceição, G. M. N. (2015). Conhecimento dos enfermeiros de unidades de terapia intensiva adulto sobre as reações transfusionais. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) – Curso de Graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre. https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/135489/000987141.pdf?sequence=1&isAllowed=y.

Costa, M. L. A. S., Merighi, M. A. B., & Jesus, M. C. P. (2008). Ser enfermeiro tendo sido estudante-trabalhador de enfermagem: um enfoque da fenomenologia social. Acta paulista de enfermagem, 21(1), 17-23. https://www.scielo.br/j/ape/a/DR7LP88VhQs4r8zXXLmLwYp/?format=pdf&lang=pt.

Estrela, C. (2018). Metodologia Científica: Ciência, Ensino, Pesquisa. Editora Artes Médicas.

Ferreira, E. B., Santos, V. G. D. S., da Silva, F. P., da Silva, R. A., de Souza, C. F. Q., Da Costa, V. C., ... & Guimarães, T. M. R. (2021). Hemovigilância: conhecimento da equipe de enfermagem sobre reações transfusionais. Enfermagem em Foco, 12(4). http://revista.cofen.gov.br/index.php/enfermagem/article/view/4479.

Ferreira, O., Martinez, E. Z., Mota, C. A., & Silva, A. M. (2007). Avaliação do conhecimento sobre hemoterapia e segurança transfusional de profissionais de enfermagem. Revista Brasileira de hematologia e hemoterapia, 29(2), 160-167. https://www.scielo.br/j/rbhh/a/SZmkpxYmf3YDPQrXRvrDVcq/?format=pdf&lang=pt.

Fidlarczyk, D., & Ferreira, S. S. (2008). Enfermagem em Hemoterapia. Rio de Janeiro: MedBook. Editora Científica Ltda.

Fontana, R. T., & Brigo, L. (2012). Estudar e trabalhar: percepções de técnicos de enfermagem sobre esta escolha. Escola Anna Nery, 16(1), 128-133. https://www.scielo.br/j/ean/a/g6cVQ9Rrv5YVNMT8g7CDxVD/?format=pdf&lang=pt.

Lopes, M. J. M., & Leal, S. M. C. (2005). A feminização persistente na qualificação profissional da enfermagem brasileira. Cadernos Pagu, (24), 105-125. https://www.scielo.br/j/cpa/a/W4mKrfz7znsdGBdJxMHsGPG/?format=pdf&lang=pt.

Mattia, D., & Andrade, S. R. (2016). Cuidados de enfermagem na transfusão de sangue: um instrumento para monitorização do paciente. Texto & Contexto Enfermagem, 25(2). https://www.scielo.br/j/tce/a/pDt9MgrD4SczNMRGNmzVyBt/?lang=en.

Silva, K. F. N., Soares, S., & Iwamoto, H. H. (2009). A prática transfusional e a formação dos profissionais de saúde. Revista Brasileira de Hematologia e Hemoterapia, 31(6), 421-426. https://www.scielo.br/j/rbhh/a/xRDks4LwvsDqXSNXyj5sr6Q/?format=pdf&lang=pt.

Silva, M. A., Torres, G. V., Melo, G. S. M., Costa, I. K. F., Tiburcio, M. P., & Farias, T. Y. A. (2009). Conhecimento acerca do processo transfusional da equipe de enfermagem da uti de um hospital universitário. Ciência, Cuidado e Saúde, 8(4), 571-578. https://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/9676/5389.

Souza, G. F., Nascimento, E. R. P., Lazzari, D. D., Böes, A. A., Iung, W., & Bertoncello, K. C. (2014). Boas práticas de enfermagem na unidade de terapia intensiva: cuidados durante e após a transfusão sanguínea. Revista Mineira de Enfermagem, 18(4), 939-954. http://www.reme.org.br/artigo/detalhes/974.

Tavares, J. L., Barichello, E., Mattia, A. L. de, & Barbosa, M. H. (2015). Fatores associados ao conhecimento da equipe de enfermagem de um hospital de ensino sobre hemotransfusão. Revista Latino-Americana de Enfermagem, 23(4), 595-602. https://www.scielo.br/j/rlae/a/PYh44nMnnyQqnSkv6B3sTnt/?format=pdf&lang=pt.

Vieira, M. S. (2012). Conhecimento da equipe enfermagem sobre hemoterapia. Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) – Curso de Graduação em Enfermagem, Centro Universitário Univates, Lageado. https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/417/1/MarinaVieira.pdf.

Published

05/02/2022

How to Cite

ANDRADE, L. C. de .; DUPRAT, I. P.; MARTINS, C. M. A. .; MACEDO, A. C. de; OLIVEIRA, J. M. de. Knowledge of the Nursing team about the transfusion process in the Intensive Care Unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e55111225945, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25945. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25945. Acesso em: 28 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences