Social representations of Nursing academics about cervical cancer

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25982

Keywords:

Precaution; Uterine cervical neoplasms; Woman.

Abstract

Objective: To analyze the social representations of nursing students about cervical cancer, identify, understand and describe the contents and structure of the social representation of nursing students. Objective: To analyze the representational structure of nursing students about cervical cancer. Methodology: qualitative study based on the Theory of Social Representations, in its structural approach, carried out with 57 students from the 1st to the 6th semester of the Nursing course at the State University of Southwest Bahia, Jequié-Ba campus. Data collected through a questionnaire of free evocations to the inducing term cervical cancer, through a form produced on the google forms platform and analyzed using the four-place quadrant technique, aided by the Ensemble software of Programs Permettant l'analyse des Evocations 2005 and by similarity analysis. Results: They evidenced a representational structure of nursing students about cervical cancer consisting of three dimensions: individual, social and imagery, which were managed by a central nucleus formed by the cognems of Pap smears, prevention and treatment. The dimensions and the central core of this representational structure demonstrate the knowledge socially elaborated by the participants. Conclusion: The representational structure presents a possible demonstration of the knowledge of future nursing professionals, opening space for the creation of collaborative practices that will further contribute to their development inside and outside the institution, addressing the importance of women's health, cancer control and prevention of the cervix and other care, where the nurse has fundamental collaboration.

References

Abric, J. C. (1994). Pratiques sociales et representations. Paris: PUF.

Abric, J. C. (1998). A abordagem estrutural das representações sociais. In A. S. Moreira & D. C. Oliveira (Eds.), Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: Ed. AB.

Abric, J. C. (2001b ) Metodología de recolección de las representaciones sociales. In: ABRIC, J.C. Prácticas sociales y representaciones. México: Ediciones Coyoacán. p. 53-74.

Abric, J. C. (2001).O estudo experimental das Representações Sociais. In: Jodelet, D. As representações sociais. Rio de Janeiro: EdUERJ. p.155-172.

Aubert, J.& Abdi, G. (2002).Représentations sociales de la gymnastique chez des enseignants stagiaires d'éducation physique et sportive et choix d'enseignement. Staps.59, (3), p: 9-22.

Brasil. (2019), Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Disponível em: <http://www.oncoguia.org.br/conteudo/sobre-o-cancer/766/128/>

Brasil. (2013), Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos Cânceres do Colo do Útero e da Mama / Ministério da Saúde. Cadernos de Atenção Básica, n. 13. – (2. ed.). Editora do Ministério da Saúde, p 124.

Brasil. (2010), Ministério da Saúde. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Estimativas de incidência e mortalidade por câncer no Brasil. <http://www.inca.gov.br/estimativa/2010/index.asp?link=conteudo_view.asp&ID=5>

Brasil. (2021), Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Disponível em: https://www.inca.gov.br/en/node/1194.

Brasil. (2020) Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. Câncer do colo do útero. Brasília (DF): Ministério da Saúde. <http://www.oncoguia.org.br/conteudo/estatistica-para-cancer-de-colo-do-utero/6717/283/>

Casarin, M, R; Piccoli, J, da, C, A. (2011) Educação em Saúde para Prevenção do Câncer de Colo do Útero em Mulheres do Município de Santo Ângelo/RS. Ciência e Saúde Coletiva. Set. Disponível em:<https://www.scielo.br/j/csc/a/YdnLN6yxz5YX545jhwRv6yL/?lang=pt

Crusoé, N, M, C. (2004) A Teoria das Representações Sociais em Moscovici e sua importância para a pesquisa em educação. Aprender - Cad. De Filosofia e Pisc. Da Educação, Vitória da Conquista, ano II, (2).

Garcia, M et al. (2021). Identificação dos fatores que interferem na baixa cobertura do rastreio do câncer de colo uterino através das representações sociais de usuárias dos serviços públicos. Brazilian Journal of of Health Review,.1 (4), Curitiba., p: 462-1477. file:///C:/Users/Maicla/Downloads/23271-60001-1-PB.pdf.

Jodelet D. (2003) Os métodos das ciências humanas. In: Moscovici S, Buschini F, eds. olhares sobre as metodologias qualitativas. Paris: PUF. p. 139-162.

Kafouri, C. F. A et al. (2019) Fatores prognósticos de resposta à quimioterapia em tumores avançados do colo uterino: o papel da neoangiogênese. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões. Cir. 46 (1).

Leite, C. A et al. (2020) Atribuições do enfermeiro no rastreamento do câncer de colo do útero em pacientes atendidas na Unidade Básica de Saúde. Research, Society and Development. 9 (11).

Machado, L. B., & Aniceto, R. (2010). Núcleo Central e periferia das representações sociais de ciclos de aprendizagem entre professores. Ensaio: Avaliação e Políticas Públicas em Educação, 345- 364.

Mazzotti, A. J. (2002). A abordagem estrutural das representações sociais. Psicologia da Educação, 1º e 2º semestre, 17-37.

Moliner, P. (1994). L'etude experimentale des processus representattionels. Commentaire de l'article de R. Michit. Papers on Social Representations. 118-122.

Moraes, P. R. (2014). A Teoria das Representações Sociais. Revista eletrônica direito em foco, Peruíbe. http://unifia.edu.br/revista_eletronica/revistas/direito_foco/artigos/ano2014/teoria_representacoes.pdfhttp://unifia.edu.br/revista_eletronica/revistas/direito_foco/direito.htm.

Moscovici, S. (1979). A Representação Social da Psicanálise., Zahar Editores.

Moscovici, S. Representações sociais. (2007): investigações em psicologiasocial/Serge Moscovici: editado eminglêspor Gerard Duveen: traduzido do inglês por Pedrinho A. Guareschi.5ª ed. Petrópolis, RJ.Vozes. https://www.passeidireto.com/arquivo/50068063/moscovici--sergerepresentacoes-sociais-investigacoes-em-psicologia-social.

Pereira, A. S., Shitsuka, D, M., Pereira, F .J., & Sitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica [recurso eletrônico], Santa Maria, RS : UFSM, NTE.

Sá, C. P. (2002). Núcleo central das representações sociais. Vozes.

Santos, C. S et al. (2021) Representações Sociais de usuários sobre Doenças Negligenciadas. Research, Society and Development. 10, (3).

Schirmer, L M; Miranda, F, V & Duarte, Í, V. (2014). Mulheres tratadas de câncer do colo uterino: uma análise da questão conjugal. Revista SBPH. 17 (1), Rio de Janeiro jun.

Sclowitz, M, L; Menezes A,M,B; Gigante D, P & Tessaro S. (2005). Condutas na prevenção secundária do câncer de mama e fatores associados. Rev Saúde Pública.39(3):340-9.

Tallon ,B et al. (2020) Tendências da mortalidade por câncer de colo no Brasil em 5 anos (2012-2016). Saúde Debate, 125 (44), Rio de Janeiro, p: 362-371. https://www.scielosp.org/pdf/sdeb/2020.v44n125/362-371/pt.

Vergés, P. (2002). Ensemble de programmes permettant l'abalyse des evocatios - Manuel. Version.

Vergès, P. (2001). L'analyse des représentations sociales par questionnaires. R. franc, sociol. 42, (3), p: 537-561.

Wachelke, J. F. R. Índice de Centralidade de Representações Sociais a partir de Evocações (INCEV) (2008): Exemplo de Aplicação no Estudo da Representação Social sobre Envelhecimento. Psicologia: Reflexão e Crítica. 22, (1), p: 102-110.

Wolter, R. P., Wachelke, J., & Naiff,. D (2016). A abordagem estrutural das representações sociais e o modelo dos esquemas cognitivos de base: perspectivas teóricas e utilização empírica. Temas psicol. 24(3), 1139-1152.

World Health Organization (WHO) (2002b). National cancer control programmes: policies and managerial guidelines. ( 2.ed.). Geneva

World Health Organization (WHO) (2002a). Cervical cancer screening in developing countries : report of a WHO consultation.

Published

29/01/2022

How to Cite

SILVA, M. O. da .; SANTOS, C. S. .; BASTOS, N. L. de M. V. .; MACHADO, J. C. .; OLIVEIRA, Z. M. .; MELO, A. M.; SOUSA, M. L. de .; SOUZA, E. M. M. .; RIBEIRO, M. R. .; SANTOS, M. B. dos; FARIAS, A. de A. .; BARRETO, R. C. .; LEAL, L. S. .; LÔBO , M. P.; GOMES, A. M. T. . Social representations of Nursing academics about cervical cancer. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e42011225982, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25982. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25982. Acesso em: 13 jul. 2024.

Issue

Section

Health Sciences