Pumpkin seed quality under storage and chemical treatment periods

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.26024

Keywords:

Cucurbita pepo L.; Emergency; Germination; Vigor.

Abstract

The informations about methodologies for evaluating the vigor of vegetable seeds is less studied, including species of less commercial interest, such as the most diverse species of pumpkins. Studies involving the storage of these seeds and the effects of chemical treatment on their vigor are necessary for a better understanding of the maintenance of the quality of pumpkin seeds. The objective of this work was to evaluate the quality of “Pumpkin of Pig” seeds under different periods of storage and chemical treatment. The experiment was carried out in the seed analysis laboratory of Instituto Federal Goiano - Campus Ceres. The treatments were: with and without chemical treatment and five storage periods (0, 30, 60, 90 and 120 days). The following analyzes were carried out: physical purity, mass of a thousand seeds, moisture content, electrical conductivity, germination, dry mass of germinated seedlings, field emergence and emergence speed index. Data were submitted to Tukey's test (5%) by Sisvar and regression analysis. It was observed that the stored seeds lost moisture and had an increase in electrical conductivity as a function of storage. There was no significant difference in seed germination with or without the application of chemical treatment in the studied periods. The emergence of seedlings with seed treatment was higher up to 90 days.

Author Biographies

Guilherme Rosario Rodrigues, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano

Estudante do Curso de Agronomia do IF Goiano - Campus Ceres, Ceres/GO.

Luís Sérgio Rodrigues Vale, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Goiano

Engenheiro Agrônomo, Dr. em Agronomia pela Unesp - Campus Botucatu, SP. Atualmente é professor titular do IF Goiano - Campus Ceres, Ceres, GO.

References

Abreu, L. A. S., Carvalho, M. L. M., Pinto, C. A. G. & Kataoka, V. Y. (2011) Teste de condutividade elétrica na avaliação de sementes de girassol armazenadas sob diferentes temperaturas. Revista Brasileira de Sementes, 33 (4), 635-642.

Almeida, A. S., Suñe, A. S., Nunes, C. Á., Melo, A. J., Moura, D. S., Mambrin, R., Otalakoski, J. &Munari, J. (2020). Desempenho dos substratos utilizados para o teste de germinação com sementes de abobora BRS Brasileirinha tratadas. Brazilian Journal of Development, 6 (12), 98197-98205.

Amaro, H. T. R., David, A. M. S. S., Assis, M. O., Rodrigues, B. R. A., Cagussu, L. V. S. & Oliveira, M. B. (2015). Testes de vigor para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de feijoeiro. Ciências Agrárias, 38 (3), 383-389.

Andrade, E. T., Corrêa, P. C., Martins, J. H. & Alvarenga, E. M. (1999). Avaliação de dano mecânico em sementes de feijão por meio de condutividade elétrica. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental-Agriambi, 3 (1), 54-60.

Araújo, R. F., Zonta, J. B., Araujo, E. F., Heberle, E. & Zonta F. M. G. (2011). Teste de condutividade elétrica para sementes de feijão-mungo-verde. Revista Brasileira de Sementes, 33 (1), 123-130.

Bertolin, D. C, Sá, M. E. & Moreira, E. R. (2011). Parâmetros do teste de envelhecimento acelerado para determinação do vigor de sementes de feijão. Revista Brasileira de Sementes, 33 (1), 104-112.

Boligon, A. A., Lúcio, A. D. C. & Garcia, D. C. (2010). Emergência de plântulas de abóbora a partir da avaliação da qualidade das sementes. Ciência Rural, 40 (11), 2274-2281.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2009). Regras para análise de sementes/Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. – Brasília: Mapa/ ACS. 399 p.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2019). Instrução normativa nº 42, de 17 de setembro de 2019. Diário Oficial da União, nº 182, quinta-feira, 19 de set. de 2019.

Campos, L. F. C., Abreu, C. M., Guimarães, R. N. & Seleguini, A. (2015). Escarificação e ácido giberélico na emergência e crescimento de plântulas de biribá. Ciência Rural, 45 (10), 1748-1754.

Cardoso, A. I. I. (2005). Polinização manual em abobrinha: efeitos nas produções de frutos e de sementes. Horticultura Brasileira, 23 (3), 731-734.

Carvalho, N. M. & Nakagawa, J. (2012). Sementes: ciência, tecnologia e produção. 5 ed. Jaboticabal: Funep. 590 p.

Coelho, V. A. T., Souza, C. G., Nascimento, E. S., Lacerda, L. G. & Cardoso, P. A. (2020). Deficiências de macronutrientes em abobrinha italiana (Cucurbita pepo L.): caracterização de sintomas e crescimento. Research, Society and Development, 9 (3), 1–19.

Costa Júnior, J. R., Oliveira, D. E. C., Carvalho, J. M. G., Bueno, Sarah G. S., Ferreira, V. B. & Alves, E. M. (2021). Forma e tamanho de sementes de duas variedades de abóboras durante a secagem. Nativa, 9 (1), 01-08.

Costa, A. R., Faroni, L. R. D., Alencar, E. R., Carvalho, M. C. S. & Ferreira, L. G. (2010). Qualidade de grãos de milho armazenados em silos bolsa. Revista Ciência Agronômica, 41 (1), 200-207.

CPRA - Centro Paranaense de Referência em Agroecologia. (2021). “Abóbora”. Disponível em: http://www.cpra.pr.gov.br/arquivos/File/Abobora.pdf. 2014. Acesso em: 20 de maio de 2021.

Faroni, L. R. A., Barbosa, G. N. O., Sartori, M. A., Cardoso, F. S. & Alencar, E. R. (2005). Avaliação qualitativa e quantitativa do milho em diferentes condições de armazenamento. Engenharia na Agricultura, 13 (3), 193-201.

Figueiredo Neto, A., Lima, M.S., Silva, M.F., Dantas, B.F. &Teixeira, R.A. (2012). Armazenamento e qualidade fisiológica de sementes de abóbora. Revista Brasileira de Agropecuária Sustentável, 2 (2), 44-50.

Freitas, M. C. M. (2011). A cultura da soja no Brasil: o crescimento da produção brasileira e o surgimento de uma nova fronteira agrícola. Enciclopédia Biosfera, 7 (12), 1-12.

Freitas, P. G. N., Claudio, M. T. R., Tavares, A. E. B., Magro, F. O., Cardoso, A. I. I. & Bardiviesso, E. M. (2014). Poda apical para produção de frutos e sementes de abóbora. Revista Agro@mbiente On-line, 8 (2), 230-237.

Goldfarb, M. & Queiroga, V. P. (2013). Considerações sobre o armazenamento de sementes. Tecnologia e Ciência Agropecuária, 7 (3), 71-74.

Gomes Junior, F. G. & Sá, M. E. (2010). Proteína e qualidade de sementes de feijão (Phaseolus vulgaris L.) em função da adubação nitrogenada em plantio direto. Revista Brasileira de Sementes, 32 (1), 34-44.

Maciel, G. M., Carvalho, F. J., Fernandes, M. A. R., Beloti, I. F. & Oliveira, C.S. (2015). Efeitos genéticos, ambientais e período de armazenamento na qualidade de sementes de cebola. Bioscience Journal, 31 (6), 1634-1642.

Maguire, J. D. (1962). Speed of germination-aid in selection and evaluation for seedling emergence and vigor. Crop Science, 2,176-177.

Marcos Filho, J. (2015). Fisiologia de sementes de plantas cultivadas. Londrina: ABRATES. 660p.

Medeiros, L. T., Sales, J. F., Souza, R. G., Alves, B. A. & Freitas, N. F. (2013). Qualidade fisiológica de sementes de amendoim forrageiro submetidas a diferentes tempos e ambientes de armazenamento. Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal, 14 (3), 472-477.

Melo, D., Brandão, W. T. M., Nóbrega, L. H. P. & Werncke, I. (2016). Qualidade de sementes de soja convencional e Roundup Ready (RR), produzida para consumo próprio e comercial. Revista de Ciências Agrárias, 39(2), 300-309.

Nascimento, W. M., Freitas, R. A. & Croda, M. D. (2008). Conservação de sementes de hortaliças na agricultura familiar. Brasília: Comunicado Técnico 54, 1-5.

Nunes, J. C. S. (2016). Tratamento de sementes de soja como um processo industrial no Brasil. Revista SEED News, 20 (1), 26-32.

Paraginski, R. T., Rockenbach, B. A., Santos, R. F. dos, Elias, M. C. & Oliveira, M. (2015). Qualidade de grãos de milho armazenados em diferentes temperaturas. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19 (4), 358-363.

Queiroga, V. P., Castro, L. B. Q., Gomes, J. P., Jerônimo, J. F. & Pedroza, J. P. (2009). Qualidade de sementes de algodão armazenadas em função de diferentes cultivares e teores de água. Revista Caatinga, 22 (4), 136-144.

Sales, M. A. L., Moreira, F. J. C., Ribeiro, A. A., Monteiro, R. N. F. & Sales, F. A. L. (2015). Potencial das sementes de abóbora submetidas a diferentes períodos de embebição. Revista Brasileira de Engenharia de Biossistemas, 9 (4), 289-297.

Silva, J. S., Afonso, A. D. L. & Lacerda Filho, A. F. (1995) Secagem e armazenagem de produtos agrícolas. In: Silva, J. S. Pré-processamento de produtos agrícolas. Juiz de Fora: Instituto Maria, 395-462.

Silva, S. N. & Lopes, J. C. (2012). Qualidade física e fisiológica de sementes de abóbora variedade Jacarezinho. Enciclopédia Biosfera, 8 (15), 1490-1499.

Soares, M. G. O., Soares, J. A., Cezar, M. A., Cardoso, T. A. L. & Lima, J. A. A. (2016). Ocorrência de patógenos em cultivos de melancia e abóbora no sertão da Paraíba. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 11, 07-13.

Tonin, R.B., Lucca Filho, O. A., Labbe, M. L. B. & Rossetto, M. (2014). Potencial fisiológico de sementes de milho híbrido tratadas com inseticidas e armazenadas em duas condições de ambiente. Scientia Agropecuaria, 5 (1), 07-16.

Torres, S. B., Silva, F. G., Gomes, M. D. A., Benedito, C. P., Pereira, F. E. C. B. & Silva, E. C. (2014). Diferenciação de lotes de sementes de quiabo pelo teste de envelhecimento acelerado. Ciência Rural, 44 (12), 2103-2110.

Wagner Júnior, A., Silva, J. O. C, Pimentel, L. D., Santos, C. E. M. & Bruckner, C. H. (2011). Germinação e desenvolvimento inicial de duas espécies de jabuticabeira em função do tamanho de sementes. Acta Scientiarum Agronomy, 33 (1), 105-109.

Zucareli, C., Brzezinski, C. R., Abati, J., Werner, F., Ramos, E. U. & Nakagawa, J. (2015). Qualidade fisiológica de sementes de feijão carioca armazenadas em diferentes ambientes. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, 19 (8), 803-809.

Published

03/02/2022

How to Cite

RODRIGUES, G. R.; VALE, L. S. R. Pumpkin seed quality under storage and chemical treatment periods. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e48311226024, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.26024. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26024. Acesso em: 25 jul. 2024.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences