Confrontation of nursing professionals in the care of oncological children at the end of live

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.26048

Keywords:

Nursing; Oncology; Kids.

Abstract

The child with cancer in the terminal phase requires special attention not only because of the finitude of life, but particularly because of their understanding phase and the need for painful procedures. It aims to understand the nurse's care for hospitalized children with oncological diseases beyond the possibility of cure. To carry out the present study, the bibliographic research method was used in the search for scientific articles, consulting the online databases BDENF, Lilacs and Google academic, covering the search between 2015 and 2020. The study showed two categories: perceptions and reactions emotional aspects of nursing professionals who assist children with cancer and safety management and nursing care in pediatric oncology. It is concluded that the nurse is a multifaceted professional with different skills and attributions, where childhood cancer causes a series of changes, including changes in functional, physical, mental and psychological capacity in the performance of this professional, always needing to implement self-care strategies through your assistance provided.

Author Biographies

Carla de Moraes Ribeiro Henriques, Universidade Iguaçu

Enfermeira. Graduada pela Universidade Iguaçu, Brasil. 

Bruna Porath Azevedo Fassarella, Universidade Iguaçu

Enfermeira. Mestre em Urgência e Emergência. Docente do curso de Enfermagem na Universidade Iguaçu, Brasil.

Larissa Christiny Amorim dos Santos, Universidade Iguaçu

Acadêmica do curso de graduação em Enfermagem da Universidade Iguaçu, Brasil.      

Keila do Carmo Neves, Universidade Iguaçu

Enfermeira. Pós-Graduada em Nefrologia; Mestre e Doutora em Enfermagem pela UFRJ. Docente do Curso de Graduação em Enfermagem da UNIG, Brasil.

Wanderson Alves Ribeiro, Universidade Iguaçu

Enfermeiro. Mestre e Doutorando pelo Programa Acadêmico em Ciências do Cuidado em Saúde pela Escola de Enfermagem Aurora de Afonso Costa da UFF. Docente do Curso de Graduação em Enfermagem Pós-graduação da Universidade Iguaçú, Brasil.

Fernando Salgado do Amaral, Universidade Iguaçu

Enfermeiro graduado pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA). Pós-Graduado em enfermagem em terapia intensiva pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA). Mestre em ensino de Ciências da Saúde e do Meio Ambiente pelo Centro Universitário de Volta Redonda (UNIFOA),  Docente do curso de graduação em Enfermagem pela Universidade Iguaçu, Brasil.

Ana Lúcia Naves Alves, Universidade Iguaçu

Enfermeira. Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal Fluminense (UFF). Doutoranda na Facultad de Humanidades Y Artes. Universidad Nacional de Rosário, UNR, Argentina. Docente do curso de graduação de enfermagem da Universidade Iguaçu

Enimar de Paula, Universidade Iguaçu

Enfermeiro. Mestre em Saúde Materno-Infantil Faculdade de Medicina - Universidade Federal Fluminense – UFF. Docente do curso de Graduação em Enfermagem da UNIG. Coordenador do Curso de Pós-Graduação em Enfermagem em Obstetrícia da Universidade Iguaçu.

Kemely de Castro, Universidade Iguaçu

Acadêmica de enfermagem pela Universidade Iguaçu, Brasil.

Rodrigo de Albuquerque Lins, Universidade Iguaçu

Enfermeiro, graduado pela Universidade Iguaçu. Brasil.

References

Assis, M. N. D., Andrade, A. C. R. D. Rogenski, K. E., Castilho, V & Fugulin, F.M.T (2015). Intervenções de enfermagem em pediatria: Contribuição para a mensuração da carga de trabalho. Revista da escola de enfermagem da USP, 49, 83-89.

Andraus. Lourdes M. S., Munari, Denize B. F., Ruth M. S. & Adenícia C. S. (2016). Incidentes críticos segundo os familiares de crianças hospitalizadas. Rev. enferm. UERJ, 15(4): 574-9.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. (2017). Departamento de Atenção Especializada e Temática. Protocolo de diagnóstico precoce para oncologia pediátrica. http://www1.inca.gov.br/inca/Arquivos/protocolo-de-diagnostico-precoce-do-cancerpediatrico.pdf.

Boyle D. A. (2018). Survivorship. In: Bush NJ, Gorman LM, editors. Psychosocial nursing care along the cancer continuum. (3rd ed.), Pittsburgh: Oncology Nursing Society; 592(1), 230-201.

Brinkman, T.M., Recklitis, C.J., Michel, G., Grootenhuis, M.A. & Klosky, J.L. (2018). Sintomas psicológicos, resultados sociais, realização socioeconômica e comportamentos de saúde entre sobreviventes de câncer infantil: estado atual da literatura. Journal of Clinical Oncology, 36 (21), 2190.https://doi.org/10.1200/JCO.2017.76.5552

Chaves, A. A. (2016). As emoções e os sentimentos na assistência de enfermagem à criança com câncer. Revista Interfaces, 9(3), 89-99.

Docherty S. L., Kayle, M., Maslow, G. R., Santacroce, S. J. (2015). The adolescent and young adult with cancer: a developmental life course perspective. Semin Oncol Nurs, 31(3):186-96. https://doi.org/10.1016/j.soncn.2015.05.006

Dumas, A., Allodji, R., Fresneau, B., Valteau, C. D. & Fayec, E. C. (2017). Pacquement H. The right to be forgotten: a change in access to insurance and loans after childhood cancer? J Cancer Surviv, 11(4), 431-7. https://doi.org/10.1007/s11764-017-0600-9

Duarte, M. L. C. & Noro, A. (2017). Humanização: uma leitura a partir da compreensão dos profissionais da enfermagem. Rev. Gaúcha Enferm, 31(4), 685-692.

Fernandes, L. M. F. A., Anjos, L. M. F. & Rodrigues, M. S. S. (2018). Sofrimento psíquico da equipe de enfermagem no processo morte e morrer da criança oncológica. Acta de Ciências e Saúde, 1 (1), 13-23.

Fitzpatrick, T. R. (2018). Quality of life among cancer survivors: challenges and strategies for oncology professionals and researchers. Cham. Springer International, 8(2), 342-213.

Gomes, I. P. (2016). Gerenciando o cuidado de enfermagem no ambulatório de quimioterapia pediátrica. Rev. Enferm. UFPE online, 4(2), 510-516.

Lima, K. Y. N. & Santos, V. E. P. (2015). Processos de cuidar de crianças com câncer: uma pesquisa documental. Rev enferm UFPE. 8(10):3298-305.

Lage, B. E. C. & Alves, S. M. (2016). (Des)Valorização da enfermagem: Implicações no cotidiano do enfermeiro. Enferm. Foco, 7 (3/4): 12-16.

Melo, W. A., Marcon, S. S. & Uchimura, T. T. (2015). A hospitalização de crianças na perspectiva de seus acompanhantes. Rev. enferm. UERJ.18(4): 565-71.

Melo, L. L. & Valle, E. R. M. (2015). A Brinquedoteca como possibilidade para desvelar o cotidiano da criança com câncer em tratamento ambulatorial. Rev Esc Enferm USP, 44(2), 517-25.

Nathan, P. C., Henderson, T. O., Kirchhoff, A. C., Park, E. R. & Yabroff, K. R. (2018). Financial hardship and the economic effect of childhood cancer survivorship. J Clin Oncol, 36(21):2198-205. https://doi.org/10.1200/JCO.2017.76.4431.

Oliveira, R. R., Santos, L. F., Marinho, K. C., Cordeiro, J. A. B. L., Salge, A. K. M. & Siqueira, K. M. (2015). Ser mãe de um filho com câncer em tratamento quimioterápico: uma análise fenomenológica. Cienc Cuid e Saúde, 9(2):374-82.

Oliveira, R. A., Araujo, J. S., Conceição, V. M. & Zago, M. M. B. (2016). Cancer survivorship: unwrapping this reality. Cien Cuid Saúde, 14(4):1602. https://doi.org/10.4025/cienccuidsaude.v14i4.27445

Paro, D., Paro, J. & Ferreira, D. L. M. (2015). O enfermeiro e o cuidar em oncologia pediátrica. Arq Ciênc Saúde,12(3), 151-57.Disponivel em: http://repositorioracs.famerp.br/racs_ol/vol-12-3/06%20- %20ID132.pdf

Paré, B. E. J, Ruble, K., Bryant, C. & Jacobson, L. (2019). Schooling in survivorship: understanding caregiver challenges when survivors return to school. Psychooncology, 28(4):847-53. https://doi.org/10.1002/pon.5026

Pereira, D. M. B., Bertoldi, K. & Roese, A. (2015). Percepções dos profissionais de enfermagem na assistência a crianças portadoras de câncer. Rev. Enferm. UFSM, 5(1), 112-120.

Poles, K. & Bousso, R. (2006). Compartilhando o processo da morte com a familia: a experiência da enfermeira na UTI pediátrica. Rev Latino-Am Enfermagem, 2(12):2000-13. http://www.scielo.br/pdf/rlae/v14n2/v14n2a09.pdf

Santos, L. S. B., Costa, K. F. L., Leite, A. R., Leite, I. D. R., Oliveira, G. S. C. & Sarmento, N. T. (2017). Percepções e reações emocionais dos profissionais da enfermagem que assistem crianças com câncer. Rev. Enferm. UFPE, 11(4),1616-1623.

Santos, D. V. S., Rodrigues, F. M. S. & Deus, M. M. (2018). Percepções da equipe de enfermagem quanto ao cuidado prestado à criança em cuidados paliativos e sua família/Staff perceptions related to the nursing care provided to the child and family during palliative care. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, 63(3), 198-202.

Silva, D. B., Barreto, J. H. S. & Pianovski, M. A. (2017). Epidemiologia e diagnóstico precoce do câncer na criança. Tratado de pediatria – Sociedade Brasileira de Pediatria. 4, 1534-39.

Silva, M. M., Curty, B. I. C., Duarte, S. C. M., & Zepeda, K. G. M. (2015). Gestão de segurança de enfermagem em enfermarias de oncohematologia pediátrica. Rev. Rene,15 (6),915-924.

Silva, C. M. M., Silva, M. P. C., Ferreira, D. D. O., do Amaral, J. B., Gonçalves, J. R. L., & Contim, D. (2018). Significado do cuidar e seus sentimentos para equipe de enfermagem diante da criança em tratamento oncológico. Revista de Enfermagem e Atenção à Saúde, 7(2).83-94.

Teixeira, M. R., Sanhudo, N. F., Moura, D. C. E. & Bahia, M. T. R. (2018). Processo de enfrentamento emocional da equipe de enfermagem no cuidado de crianças com câncer hospitalizadas. Rev. Enferm. UFSM, 8(2): 263-275.

Tonello, I. M. S., Lunardelli, R. A., & de Almeida Junior, O. F. (2012). Palavras-chave: possibilidades de mediação da informação. PontodeAcesso, 6(2), 21-34.

Vasconcelos, R. O., Rigo, D. F. H., Marques, L. G. S., Nicola, A. L., Tonini, N.S. & Oliveira, J. L. C. (2017). Dimensionamento de pessoal de enfermagem hospitalar: estudo com parâmetros oficiais brasileiros de 2004 e 2017. Escola Anna Nery Revista de Enfermagem, 21(4),1-8.

Vieira, A. P. M. S., Castro, D. L., & Coutinho, M. S. (2016). Assistência de enfermagem na oncologia pediátrica. Rev Eletrônica Atual Saúde 3(3), 67-75

Published

06/02/2022

How to Cite

HENRIQUES, C. de M. R. .; FASSARELLA, B. P. A. .; SANTOS, L. C. A. dos; NEVES, K. do C. .; RIBEIRO, W. A. .; AMARAL, F. S. do; ALVES, A. L. N. .; PAULA, E. de .; CASTRO, K. de .; LINS, R. de A. Confrontation of nursing professionals in the care of oncological children at the end of live. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e58711226048, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.26048. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26048. Acesso em: 26 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences