The role of teachers, children in health care and in hospital toys: different challenges

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.26052

Keywords:

Child; Education; Teacher; Plaything.

Abstract

This article aims to present the role of the teacher in guaranteeing the right to education to children in health treatment, in addition to discussing the importance of the hospital toy library to guarantee the right to play and to promote culture in this context, considering the challenges of these actions in different times. The work of teachers in hospital pedagogical care, at home and in support homes for sick children, and the toys that work in hospital toys, have existed for a long time in Brazil, with specific legislation. Many children during the stages of hospitalization or treatment of the disease, have had their schooling processes interrupted due to the absence of effective public policies for this area and an ignorance of their rights. The majority of the population, however, is still unaware of this right to education, to play, to teachers and jokers. It is necessary, therefore, to discuss these issues, so that the challenges, especially regarding the recognition of this work, are overcome.

Author Biographies

Joelma Fátima Castro, Universidade Estadual de Maringá

Mestranda do Programa de Pós- Graduação (PPE) na Universidade Estadual de Maringá.Formada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) em 2019. Participou do Programa Institucional de Bolsa á Docência(PIBID) com foco em matemática (CAPES), realizou pesquisa com o tema: As contribuições de Maria Montessori para o ensino da matemática nos anos iniciais. Possui experiência na área de Educação Infantil. Participou do Programa Residência Pedagógica, núcleo Gestão Escolar (CAPES), desenvolveu uma pesquisa intitulada: A percepção matemática na educação infantil: em busca de possibilidades didáticas, participa da Oficina Pedagógica de Matemática (OPM/UEM), do Grupo de estudos e pesquisa em Educação Social em Saúde.

Ercília Maria Angeli Teixeira de Paula, Universidade Estadual de Maringá

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Estadual de Campinas (1989), mestrado em Educação pela Universidade de São Paulo (1994) e doutorado em Educação pela Universidade Federal da Bahia (2005) e Pós-doutorado no Programa de Pós Graduaçao em Educação e Contemporaneidade da Universidade do Estado da Bahia - UNEB com o Prof. Dr. Augusto Cesar Rios Leiro. FoI professora da Educação Infantil de Creche Pública; escolas particulares de Educação Infantil em São Paulo e professora Hospitalar do Hospital Sarah de Brasília e São Luis do Maranhão, no qual foi também, diretora da creche do Hospital Sarah São Luis. Atuou doze anos como docente da Universidade Estadual de Ponta Grossa - UEPG (1998-2010) e também trabalhou cinco anos no Programa de Pós Graduação em Educação desta Universidade (2005-2010). Neste programa, foi líder do Grupo de Estudos e Pesquisas em Pedagogia Social. Também foi docente da Universidade Federal do Espírito Santo - UFES (2010-2012). É professora associada da Universidade Estadual de Maringá UEM do Departamento de Teoria e Prática da Educação (DTP) e do Programa de Pós Graduação em Educação da UEM (PPE/UEM) É lider do Grupo de Estudos Educação Social em Saúde (GEPESS). Na UEM, foi coordenadora pedagógica da creche da universidade por 1 ano. É sócio da Associação Nacional de Pós Graduação e Pesquisa em Educação (ANPED) e participa do GT de Educação Popular. As áreas de pesquisa são Educação Social em Saúde, Pedagogia Hospitalar, Infâncias, Cartas Pedagógicas, Vídeo-Cartas, Juventudes e Formação de Professores.

References

Alves, A. M. M., & Grützmann, T. P. (2020). Literatura infantil no ensino da matemática: Relações presentes na formação inicial do futuro docente. Cadernos de Letras 1(38), 201-214.

Bernardinelli, L. L., & Carvalho, V. M. G. (2011). A importância da literatura infantil. Revista Científica do Unisalesiano, 455-460.

Bogdan, R. C.; Biklen, S. K (1994). Investigação qualitativa em educação: uma introdução à teoria e aos métodos. Porto Editora.

Brasil. (1996) Lei das Diretrizes e Bases da Educação.

Brasil (1988). [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil. Supremo Tribunal Federal.

Brasil (2002). Classe hospitalar e atendimento pedagógico domiciliar: estratégias e orientações. Secretária de Educação Especial. Brasília, MEC/SEESP.

Brasil (2005) Lei no 11.104 de 21 de março de 2005. Dispõe sobre a obrigatoriedade de instalação de brinquedotecas nas unidades de saúde que ofereçam atendimento pediátrico em regime de internação. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, DF.

Brasil (2018). Lei no 13.716, de 24 de setembro de 2018. Brasília.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc59.htm

Brasil (1998) Referencial curricular nacional para educação infantil: conhecimentos do mundo.

Coelho, N. N. (2000). Literatura Infantil: teoria: análise: didática. São Paulo: Moderna.

Conselho nacional dos direitos da criança e do adolescente. (1995) Direitos da criança e do adolescente hospitalizados. Resolução n°14, de 13/10/1995. Diário Oficial da União: República Federativa do Brasil. Brasília.

https://portaldeboaspraticas.iff.fiocruz.br/biblioteca/resolucao-n-41-de-13-de-outubro-de-1995/

Costa, S. A. F.; Ribeiro, C, A., Borba, R, I, H, & Sanna, M, C. (2014). Brinquedoteca hospitalar no Brasil: Reconstruindo a história de sua criação e implantação (au). Hist.. enferm. Ver. Eletrônica. 5(2), 206-223.

Creswell, J. W. (2010). Projeto de pesquisa: método qualitativo, quantitativo e misto, Porto Alegre: Artmed.

Fonseca, E. S. (1999). Classe hospitalar: ação sistemática às necessidades pedagógico-educacionais de crianças e adolescentes hospitalizados. Temas sobre Desenvolvimento, 8(44), 32-37.

Fonseca, E. S. (2005). Classe hospitalar e atendimento escolar domiciliar: direito de crianças e adolescentes doentes. Revista Educação e Políticas em Debate, 4, 12-28.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar Projetos de Pesquisa (4a ed.), Atlas

Lino, A. M. (2018). Olhares e narrativas de crianças hospitalizadas sobre a vida escolar. São Carlos: Universidade Federal de São Carlos.

Lopes, B. A., & Paula, E. M. A. T. (2012). O significado das festas em uma brinquedoteca hospitalar: promoção da saúde, da cultura e da vivência da infância para crianças enfermas. Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar. 15(1).

Matos, L. P. K., & Paula, E. M. A. T. (2011). O papel da literatura infantil para crianças e adolescentes hospitalizados no enfrentamento dos medos infantis. In: Anais do X Congresso Nacional de Educação-EDUCERE. I Seminário Internacional de Representações Sociais, Subjetividade e Educação-SIRSSE, Curitiba, PR.

Medeiros. J. B. (2000). Redação cientifica: A prática de fichamentos, resumos e resenhas. (4a ed.), Atlas.

Menezes, C. V. A. (2010). Serviço de atendimento à rede de escolarização hospitalar: o caráter inovador na construção de uma política pública no estado do Paraná. In Serviço de atendimento à rede de escolarização hospitalar (SAREH). Cadernos temáticos, Curitiba-SEED/PR, 15-30.

Oliveira, É. F de., Silva, V. M da, & Fantacini, R. A. F. (2016). Pedagogia hospitalar: a brinquedoteca em ambientes hospitalares. Research, Society and Development,, 88-104.

Paula, E.M.A.T., & Foltran, E. P. Brinquedoteca hospitalar: Direito das crianças e adolescentes hospitalizados. Revista Conexão UEPG, 3(1), 1-5.

Paula, E. M. A. T. (2004). Educação, diversidade e esperança: A práxis pedagógica no contexto da escola hospitalar. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA.

Paula, E. M. A. T., & Davina, L. G. C. T. (2018). Literatura infantil para crianças enfermas: Contribuições na formação de professores. Nuances: estudos sobre Educação, 29(3), 95-107.

Paula, E. M. A. T. (2015). Escola no hospital: Espaço de articulação entre educação formal e educação não formal.

http://livrozilla.com/download/390342.

Paula, E. M. A. T. (2010) Pedagogia hospitalar social: Reflexões teóricas. In: Anais do III Congresso Internacional de Pedagogia Social, São Paulo, SP.

Santana, C. (2012). Práticas de leitura em um hospital do município de Vitória/ES. Vitória: Universidade Federal do Espírito Santo.

Silva, N., & Andrade, E. S. (2013). Pedagogia Hospitalar. Fundamentos e Práticas de humanização e cuidado. Cruz das Almas.

Vendrame, E. C. S. (2015). Da história contada ao sujeito da contação: Como me fiz contadora de história. Maringá: Universidade Estadual de Maringá, Maringá, PR.

Zaias, E. (2012). Os desafios da constituição do currículo para a escola no hospital. In: Anais do Seminário de pesquisa em educação da região sul, Caxias do Sul, RS.

Zaias, E., & Paula, E. M. A. T. (2010). A produção acadêmica sobre práticas pedagógicas em espaços hospitalares: análise de teses e dissertações. Educação Unisinos, 14(3), 222-232.

Zimmermann, A., Bonifácio, A, R., Nascimento, R, & Kibrit, S, Z. (2017). Pedagogia hospitalar favorecendo a continuidade escolar da criança hospitalizada. Doxa: Ver. Bras. Psicol. Educ. 19(1), 62-66.

Published

29/01/2022

How to Cite

CASTRO, J. F.; PAULA, E. M. A. T. de . The role of teachers, children in health care and in hospital toys: different challenges. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e42311226052, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.26052. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/26052. Acesso em: 30 may. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences