The influences of teachers' work in Rio de Janeiro's municipal schools on their mental health

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3250

Keywords:

Mental health; Worker’s health; Teacher.

Abstract

This research sought to understand how teaching is related to the teacher’s mental health. This is an exploratory descriptive study developed in two municipal elementary schools, in a county of Rio de Janeiro’s metropolitan region. A semi-structured interview was carried out, with a previously prepared script and a guiding question. Data analysis was obtained based on Bardin’s content analysis (2011), with the responses being divided into categories. Ten teachers took part in this study. The results showed that teaching and school routine have characteristics that can directly affect teachers’ well-being and influence their mental health, triggering psychic suffering as: stress, tiredness, fatigue, anguish and despair. It was also evidenced that the interferences of a lack of family participation in the student’s human and academic development have a direct influence on dynamics within the school. It was found that it is important to reflect on this subject, because this current phenomenon can affect the teacher’s well-being and its mental health, generating cases of absenteeism and leave from work.

Author Biographies

Vanessa Ramos Lourenço, Universidade Federal Fluminense

Psychologist. Master student of the Academic Program in Health Care Sciences

Geilsa Soraia Cavalcanti Valente, Universidade Federal Fluminense


Nurse. PhD in Nursing. Professor at the Aurora de Afonso Costa Nursing School.

Larissa Vieira Correa, Universidade Federal Fluminense

Student at Aurora de Afonso Costa Nursing School

References

Ataide, P. C & Nunes, I. M. L. (2016). Feminização da profissão docente: as representações das professoras sobre a relação entre ser mulher e ser professora do ensino fundamental. Revista Educação e Emancipação. 9(1):167-188. DOI: http://dx.doi.org/10.18764/2358-4319.v9n1p167-188

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: edições, 70.

Dejours, C. (2018). A loucura do trabalho. 6ª. Ed. São Paulo: Cortez-Oboré.

Dejours, C. (2011). Psicodinâmica do trabalho: Contribuições da Escola Dejouriana à análise da relação prazer, sofrimento e trabalho. São Paulo: Atlas.

Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos. (2016). DIEESE. Anuário da Saúde do Trabalhador. São Paulo.

Jesus, C. S. B & Barbosa, R. J. S. (2016). Trabalho feminino x nível de escolaridade: uma análise sobre a influência da educação para a inserção da mulher no mundo do trabalho. Revista Ártemis, XXI: 131-146. Disponível em: https://periodicos.ufpb.br/ojs/index.php/artemis/article/view/28227

Ludke, M. & Andre; M. E.D.A. (2013). A Pesquisa em educação: abordagens qualitativas. 2 ed. Rio de Janeiro: E.P.U.

Melo, L. F., et al. (2018) Fatores que Afetam a Saúde Docente: Estudo Introdutório em uma Escola de Educação Básica de São Paulo. Revista Ensino, Educação e Ciências Humanas, 19(4): 438-443. DOI: https://doi.org/10.17921/2447-8733.2018v19n4p438-443

Mendes, A. M. (2007). Psicodinâmica do trabalho: Teoria, método e pesquisas. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Niterói (2019). Deliberação CME nº 031 de 22 de dezembro de 2015. Aprova a Carta Regimento das Unidades Públicas Municipais de Educação de Niterói. Disponível em: https://www.mprj.mp.br/documents/20184/193909/Deliberacao_CME_n_031_2015_Aprova_a_Carta_Regimento_das_Unidades_Publicas_de_Educacao.pdf. Acesso em: 10 de Out. de 2019.

Niterói (2019). Portaria Fundação Municipal de Educação. Portaria 087 de 12 de fevereiro de 2011. Dispõe sobre a organização da Rede Municipal de Educação de Niterói. Disponível em: http://www.educacaoniteroi.com.br/wp-content/uploads/2016/04/PORTARIA-FME-087-2011.pdf. Acesso em: 10 Out. 2019.

Nóvoa, A. (2017). Firmar a profissão como professor, afirmar a profissão docente. Cadernos de Pesquisa, [online] 47(166):1106-1133. DOI: https://doi.org/10.1590/198053144843

Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) (2019). Com depressão no topo da lista de causas de problemas de saúde, OMS lança a campanha “Vamos conversar”. Disponível em: https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=5385:com-depressao-no-topo-da-lista-de-causas-de-problemas-de-saude-oms-lanca-a-campanha-vamos-cconversar&Itemid=839.

Pereira, A.S., et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Acesso em: 02 Abril 2020.

Souza, V. S. S. (2014). Estresse Ocupacional e trabalho docente. III Congresso internacional de ciência, tecnologia e desenvolvimento, no período de 20 a 22 de outubro, na UNITAU, São Paulo. Disponível em: http://www.unitau.br/files/arquivos/category_154/MPH1487_1427392935.pdf

Yin, R. K. (2015). Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman.

Published

12/04/2020

How to Cite

LOURENÇO, V. R.; VALENTE, G. S. C.; CORREA, L. V. The influences of teachers’ work in Rio de Janeiro’s municipal schools on their mental health. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 6, p. e50963250, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i6.3250. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/3250. Acesso em: 31 jan. 2023.

Issue

Section

Education Sciences