History and its disciplinary development

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3314

Keywords:

Discourse; History; Critical Discourse Analysis.

Abstract

History is a rich and fertile field of study, as it enables a detailed study of identity, cultural and social knowledge. This, as a science, is built by an immense range of themes distributed under various aspects. Since documentary sources are permeated by discourses, they are then materialized in some form of language. As a social phenomenon, language will always be discourse, since its expression is permeated by individual and collective meanings. The aim of this article is to discuss how history develops as a discipline, through bibliographical research. In order to discuss, we seek a methodological basis for the bias of Critical Discourse Analysis (hereinafter ACD), a theoretical-methodological approach that systematizes the Social Theory of Discourse, by providing scientific support for qualitative studies and that have in the text the main research material.

References

Arostegui, J. (2006). Pesquisa histórica: Teoria e Método. Bauru, SP: Edusc

Barros, J.C.A. (2014). Teoria da história: princípios e conceitos fundamentais. Petrópolis, RJ: Vozes.

Bittencourt, C. M. F. (2008) Ensino de história: fundamentos e métodos. (2.ed.). São Paulo: Cortez.

Bortoluzzi, V. I. (2008) Que justiça é essa? Aspectos Teóricos – Metodológicos da Investigação de Representação Discursiva da Justiça em Acordões de Habeas Corpus e Cartas do Leitor. Tese (Doutorado em Letras). Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria.

Certeau, M. (1982) A Escrita da história. Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Foucault, M. (1996) A ordem do discurso. (15.ed.). São Paulo: Edições Loyola, 1996.

Gagnebin, J.M.(2006) Sete aulas sobre Linguagem, Memória e História. Imago,2006

Goodson, F. I.(1990). Currículo: Teoria e História. Petrópolis, RJ:Vozes.

Le Goff, J. (2003). História e memória. Campinas: Editora da Unicamp.

Hegel, F. (2008). Filosofia da história. Brasília, DF: UNB (original: 1831).

Marx, K.& Engeles, F. (2001) A Ideologia alemã. São Paulo: Boitempo.

Michel, M. H. (2015) Metodologia e pesquisa científica em ciências sociais: um guia prático para acompanhamento da disciplina e elaboração e trabalhos monográficos. (3ª. ed.). São Paulo: Atlas.

Neves, F. M. (2005) História da Educação no Brasil: Considerações historiográficas sobre a sua constituição. In: Rossi, E. R.; Rodrigues, E.; & Neves, F. M. (org.). Fundamentos históricos da educação no Brasil. Maringá: EDUEM.

Picanço, D. C. de L.(2006). Discurso, Linguística e História: Diálogo entre a Linguística e a Teoria de História, através da Análise do Discurso. Tese (Doutorado em letras). Universidade Federal do Paraná.

Pinsky, C. B.(2005). Fontes históricas. São Paulo: Contexto.

Pêcheux, M.(1995). Semântica e discurso: uma crítica à afirmação do óbvio.( 2. ed.) Tradução de Eni P. Orlandi. Campinas, SP: Unicamp.

Ricoeur, P. (2007). A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Unicamp.

Schüler, D. (2000). Heráclito e seu (Dis)Curso. Porto Alegre: L&Pm.

Thompson, J. B. (1995). Ideologia e cultura moderna. Petrópolis: Vozes.

White, H. V. (1973). Metahistory: the Historical Imagination in Nineteenth Century Europe, Johns Hopkins University Press, Baltimore.

Published

11/04/2020

How to Cite

SARAIVA, G. L.; BORTOLUZZI, V. I.; FOLETTO, D.; HENN, L. G. History and its disciplinary development. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 6, p. e26963314, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i6.3314. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/3314. Acesso em: 1 feb. 2023.

Issue

Section

Human and Social Sciences