The curricular structure of initial training in Physical Education in the state of Paraná: an analysis from public and private institutions

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i6.3417

Keywords:

Curriculum; Physical Education; Professional qualification.

Abstract

Objective: This work aimed to analyze how public and private institutions organize the curricula of the Bachelor of Physical Education course in the state of Paraná in the face of the dimensions of knowledge and the dynamics of workload. Methods: For this study were selected 14 institutions (7 public and 7 private) in six regions of the Paraná State/Brazil. After the selection of establishments, the curricular grids of the courses were analyzed, accounting and classifying the disciplines by dimensions of knowledge. For statistical analysis, Mann-Whitney, Qui-scare and Kruskal-Wallis non-parametric tests were performed. The results were described in frequencies, means, medians and interquartile range. Results: The dimension of knowledge with the highest percentage of disciplines is the “Technical-Instrumental”, which, in turn, suggests that the institutions are concerned with the technical training of Bachelor. In addition, private institutions have greater variability of disciplines, while public institutions have greater workload. The analysis also revealed differences between the regions when comparing the workload of the courses. Conclusions: There are distinctions in the way the curricula are organized, essentially in the composition of the dimensions of knowledge as well as in relation to the workload of these axes, which evidences, in a way, the autonomy and identity of the institutions in spite of the regulations and norms in force for structuring the courses.

Author Biographies

Vinicius Machado de Oliveira, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física - UEM/UEL

Marcos Roberto Brasil, Faculdade Guairacá – FAG

Departamento de Educação Física

Pedro Henrique Iglesiaz Menegaldo, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física - UEM/UEL

Matheus Borsato, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física - UEM/UEL

Juliano de Souza, Universidade Estadual de Maringá - UEM

Programa de Pós-Graduação Associado em Educação Física - UEM/UEL

References

Baroni, J. M. B. (2010). Acesso ao ensino superior público: realidade e alternativas. Tese de Doutorado, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP, Brasil.

Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior [CNE/CES]. (2004). Resolução n.7, de 31 de março de 2004 - Institui as diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em educação física, em nível superior de graduação plena. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/ces0704edfisica.pdf

Conselho Nacional de Educação/Câmara de Educação Superior [CNE/CES]. (2009). Resolução n.4, de 6 de abril de 2009 - Dispõe sobre carga horária mínima e procedimentos relativos à integralização e duração dos cursos de graduação em biomedicina, ciências biológicas, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, nutrição e terapia ocupacional, bacharelados, na modalidade presencial. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/rces004_09.pdf

Conselho Nacional de Educação/Conselho Pleno [CNE/CP]. (2002). Resolução n.1, de 18 de fevereiro de 2002 -Institui diretrizes curriculares nacionais para a formação de professores da educação básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/seesp/arquivos/pdf/res1_2.pdf

Conselho Nacional de Educação/Conselho Pleno [CNE/CP]. (2002). Resolução n.2, de 19 de fevereiro de 2002 - Institui a duração e a carga horária dos cursos de licenciatura, de graduação plena, de formação de professores da educação básica em nível superior. Recuperado de http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP022002.pdf

Caldarelli, C. E., Perdigão, C., Câmara, M. R. G., Santos, J. P. A., & Souza, S. C. I. (2014). Análise de indicadores de produção científica e geração de conhecimento nas universidades estaduais paranaenses. Teoria e Evidência Econômica, 20(43), 313-336.

Carmo, K. L. F., Fleck, C. F., & Santos, J. U. L. (2015). Docente em universidade pública ou privada? desafios, oportunidades e diferenças. Revista de Administração IMED, 5(2), 166-180.

Chiarini, T., & Vieira, K. P. (2012). Universidades como Produtoras de Conhecimento para o Desenvolvimento Econômico: Sistema Superior de Ensino e as Políticas de CT&. RBE, 66(1), 117–132.

Gil, A. C. (2002). Como elaborar projetos de pesquisa, São Paulo: Atlas.

Inep – Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira. (2018). Censo da Educação Superior 2018. Recuperado de: http://download.inep.gov.br/educacao_superior/censo_superior/documentos/2019/censo_da_educacao_superior_2018-notas_estatisticas.pdf

Marcon, D., Graça, A. B. S., & Nascimento, J. V. (2011). Critérios para a implementação de práticas pedagógicas na formação inicial em educação física e implicações no conhecimento pedagógico do conteúdo dos futuros professores. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 25(3), 497-511.

Martins, I. M. L. (2015). Intervenção profissional e formação superior em Educação Física: Articulação necessária para a qualidade do exercício profissional. CONFEF.

McCowan, T. (2005). O crescimento da educação superior privada no Brasil: implicações para as questões de eqüidade, qualidade e benefício público. Archivos Analíticos de Políticas Educativas, 13(27), 1-22.

Mendes, C. L., Prudente, P. L. G. (2011). Licenciatura x Bacharelado: o currículo da educação física como uma arena de luta. Impulso, 21(51), 97-108.

Pimenta, S. G. (1999). Formação de professores: identidade e saberes da docência. In Pimenta, S. G. (Ed.). Saberes pedagógicos e atividade docente. São Paulo: Cortez.

Pires, A. F.; Barbosa-Rinaldi, I. P.; Souza, J. (2018). O que tem sido ou não tem sido a formação profissional em Educação Física no brasil? reflexões e provocações a partir da teoria da modernização reflexiva. Movimento, 24(4), 1407-1420.

Pizani, J., & Barbosa-Rinaldi, I. P. (2014). Identidade dos cursos de licenciatura e bacharelado em Educação Física no Paraná: uma análise das áreas do conhecimento. Revista Brasileira de Educação Física e Esporte, 28(4), 671-682.

Secretária de Modalidades Especializadas de Educação [SEMESP]. 2016. Mapa do ensino Superior de 2016. Recuperado de http://convergenciacom.net/pdf/mapa_ensino_superior_2016.pdf

Silva, A. B., Bonfim, M. P., Velozo, É. J., Santos Junior, E. F., Silva, F. S. T., Motta, A. P., Lima, Á. V. &, Terra, B. R. C. S. S. R. (2014). Um estudo sobre a relação das disciplinas dos cursos de graduação em ciências contábeis com os setores econômicos dos arranjos produtivos locais nas regiões sul e sudeste do brasil. Polêmica, 13(2).

Soczek, D., & Alencastro, M. (2012). Pesquisa acadêmica em instituições de ensino superior particulares: desafios e perspectivas. Revista Intersaberes, 7(13), 46 – 66.

Souza, J. (2019). Educação Física reflexiva – problemas, hipóteses e programa de pesquisa. Movimento, 25, 1-15.

Utida, V. H. S., Paganini, J., Fagundes, R. R., Amaral, L. E. F., & Oliveira, V. R. C. (2012). Estrutura Curricular dos Cursos de Fisioterapia do Estado de Goiás: Um destaque a saúde coletiva. Revista Movimenta, 5(4), 293-302.

Published

11/04/2020

How to Cite

OLIVEIRA, V. M. de; BRASIL, M. R.; MENEGALDO, P. H. I.; BORSATO, M.; SOUZA, J. de. The curricular structure of initial training in Physical Education in the state of Paraná: an analysis from public and private institutions. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 6, p. e24963417, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i6.3417. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/3417. Acesso em: 30 jan. 2023.

Issue

Section

Education Sciences