Pharmacotherapy and antimicrobial resistance in patients hospitalized in an intensive care unit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i12.43991

Keywords:

Anti-bacterial agents; Intensive care units; Drug resistance, bacterial.

Abstract

The present study aims to identify the profile of antibacterial resistance in pharmacotherapy used in patients in an Intensive Care Unit (ICU) of a private hospital in Cascavel – PR. The objective is to identify the main resistant bacteria, the antibiotic therapy used and define the resistance profile of the identified microorganisms. This study is characterized as a retrospective cross-sectional observational study, based on exams carried out on patients admitted to an ICU of a private hospital in Cascavel – PR, from 2020 to 2021. The results were a higher prevalence of infection in male patient’s male (65.42%) and a higher rate of cases over 49 years of age. The biological sample used in both years analyzed was tracheal secretion with 61.82% in 2020 and 48.08% in 2021. and a total of 14 species of bacteria isolated. A prevalence of Klebsiella pneumoniae was observed with 36.64% of the total positive cultures in the period, followed by Pseudomonas aeruginosa (18.69%) and Staphylococcus aureus (11.21%). Regarding antibiotic resistance, K. pneumoniae presented an average of 62% to the drugs used in its treatment, accompanied by P. aeruginosa with an average of 57% resistance, and S. aureus presented 73.5%. The high prevalence of antibiotic resistance in the ICU of this institution suggests the need for improved surveillance and control of infections. This study offers data to improve clinical practice as well as the management of infections in the inpatient sector.

References

Aguari, E. B., & Guimarães, I. M. B. S. (2023). Prevalência de bactérias multirresistentes nas unidades de terapia intensiva em um hospital do interior de São Paulo. Repositório Universitário da Ânima. TCC de Graduação.

Barsotti, N. S., do Carmo, B. N. C., Antunes, A. A., & Lisboa, G. P. (2020). Colonização por Staphylococcus aureus em pacientes HIV positivos no município de Santos/SP, Brasil: Prevalência e perfil de resistência aos antimicrobianos. Revista Brasileira de Ciências Biomédicas, 1(2), 62-71.

Bôtelho, E. X., Melo, R. D. O. A., de Gusmão, N. B., & Ximenes, R. M. (2022). Prevalência e perfil de resistência aos antimicrobianos de Staphylococcus aureus em hospitais do Brasil: uma revisão integrativa da literatura. Research, Society and Development, 11(6), e2711628744-e2711628744.

Caumo, K. S., Duarte, M., Cargnin, S. T., Ribeiro, V. B., Tasca, T., & Macedo, A. J. (2010). Resistência bacteriana no meio ambiente e implicações na clínica hospitalar. Revista Liberato: revista de divulgação de educação, ciência e tecnologia. 11(16), 89-188.

Campos, L. R. P. (2022). Características epidemiológicas, clínicas e microbiológicas dos pacientes vítimas de trauma com bacteremia por agentes multirresistentes. Tese de Doutorado, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo.

Gama, D. M., Souza, I. F. P. D., Francisco, K. D., Souza, J. G. D., Moreira, J. P., & Gama, L. M. D. (2019). Fatores que contribuem para o desenvolvimento de bactérias resistentes em unidades de terapia intensiva. Revista de Trabalhos Acadêmicos-Universo Campos dos Goytacazes, 2(11).

da Silva Dias, G. C., Resende, J., de Souza Fontes, A. M., de Araújo, L. B., & de Brito Röder, D. V. D. (2022). Infecção de corrente sanguínea associada a cateter venoso central: incidência, agentes etiológicos e resistência bacteriana. Archives of Health Sciences, 29(1), 16-20.

de Souza, L. C. R., Bezerra, N. V., & da Trindade, E. L. (2021). Aspectos epidemiológicos de Acinetobacter baumannii e avaliação do perfil de resistência em amostras biológicas de pacientes atendidos em um hospital oncológico em Belém-PA. RevSALUS-Revista Científica Internacional Da Rede Académica Das Ciências Da Saúde Da Lusofonia, 3(1), 49-55.

Ferreira, J. M. C. (2022). Klebsiella pneumoniae e a ameaça da resistência aos antibióticos (Dissertação de doutorado). Repositório da Universidade de Lisboa.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia Estatística. Cidades. Paraná. Cascavel. http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=410480.

Gato, P. C., Maia, A. L., dos Santos, K. A. S., dos Santos, L. A., & da Silva, E. M. R. (2022). Perfil de resistência bacteriana da Klebsiella pneumoniae na unidade de terapia intensiva em um hospital de ensino no oeste do Pará no período de 2018 a 2019. Brazilian Journal of Development, 8(1), 1208-1225.

Kapadia, S. N., Abramson, E. L., Carter, E. J., Loo, A. S., Kaushal, R., Calfee, D. P., & Simon, M. S. (2018). The expanding role of antimicrobial stewardship programs in hospitals in the United States: lessons learned from a multisite qualitative study. The Joint Commission Journal on Quality and Patient Safety, 44(2), 68-74.

Lima, M. L. X. D. (2022). Uma revisão da literatura sobre Pseudomonas aeruginosa: fatores de virulência e resistência bacteriana (Monografia de graduação, Universidade Federal do Rio Grande do Norte).

Lopes, A. C. C., Silva, C. A. L., Oliveira, J. S. de, & Alves, J. T. C. (2020). Fatores de risco para infecção por Pseudomonas aeruginosa em relação a infecções hospitalares. Brazilian Journal of Development, 6(1), 2121–2130.

Miquet, G. (2017). Resistencia a los antimicrobianos. Revista de Investigaciones Agropecuarias, 43(1), 3.

Mota, L. M., Vilar, F. C., Dias, L. B. A. et al. (2010). Uso Racional de Antimicrobianos, Condutas em Enfermaria de Clínica Médica de hospital de média complexidade – Parte 1. Revista de Medicina, 43(2), 164-171.

Ogushi, C. (2022). Pseudomonas aeruginosas e Acinetobacter baumanni: perfil antimicrobiano atual das duas principais espécies de bacilos gram-negativos não fermentadores de glicose causadores de infecção em UTIs (Monografia de graduação, Universidade Anhembi Morumbi).

Padiyara, P., Inoue, H., & Sprenger, M. (2018). Global Governance Mechanisms to Address Antimicrobial Resistance. Infectious Diseases (Auckland), 11, 1-4.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Universidade Federal de Santa Maria.

Rezende, R. B., & do Nascimento Nogueira, I. M. C. (2022). Prevalência e perfil de sensibilidade dos gêneros Klebsiella spp. e Staphylococcus spp. isolados da urocultura de pacientes de um laboratório privado de análises clínicas no município de Conselheiro Lafaiete-MG/Brasil. Research, Society and Development, 11(1), e32811124855-e32811124855.

Santos, N. de Q. (2004). A resistência bacteriana no contexto da infecção hospitalar. Scielo Brasil. https://www.scielo.br/j/tce/a/KrkXBPPt83Zy vMBmxHL8yCf/?lang=pt

Silva, T. M. F., et al. (2021). Infecções hospitalares associadas a bacilos gram-negativos não fermentadores em unidade de terapia intensiva: revisão narrativa. Revista Eletrônica Acervo Saúde, 13(3), e6685-e6685.

Wisniewski, G. V., Fiorin, T. M., & Alves, I. A. (2020). Identificação e Avaliação do Perfil de Resistência de Bactérias Isoladas da Unidade de Terapia Intensiva de um Hospital da Região Noroeste do Rio Grande do Sul. Revista Interdisciplinar em Ciências da Saúde e Biológicas, 4(1), 11-23.

Published

15/11/2023

How to Cite

ANTUNES, N. J.; SOUZA, A. G. P. de .; SILVA, C. M. da .; PEDER, L. D. de . Pharmacotherapy and antimicrobial resistance in patients hospitalized in an intensive care unit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 12, p. e71121243991, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i12.43991. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/43991. Acesso em: 22 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences