The Social Worker's Experience in the Out-of-Home Treatment Program with an Emphasis on Trauma and Orthopedic Patients at a Referral Hospital

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i12.44128

Keywords:

Health policy; Unified Health System; Social work.

Abstract

The aim of this study is to learn about the experience of social workers in the Out-of-Home Treatment Program (OHT), with an emphasis on the care of traumatic-orthopedic patients at the Regional Hospital of the Lower Amazon of Pará, Dr. Waldemar Penna - HRBA, in Santarém/PA. This is a qualitative, cross-sectional study with a descriptive approach, based on the theory of historical-dialectical materialism; the sample consisted of 06 Social Workers from the HRBA; a semi-structured interview with open questions was used as the data collection instrument; the data collected was analyzed qualitatively using Bardin's content analysis. At first, there was a brief discussion about public health and its constitution as a social policy; the second section discusses the TFD in the context of the Unified Health System, and finally presents the main results of the research carried out within the scope of the Multiprofessional Residency in Health - Comprehensive Care in Orthopedics and Traumatology, highlighting the difficulties and challenges imposed on the work of the social worker, such as requests from the team that are incompatible with their professional competencies/attributions; precariousness of the TFD services; difficulties in working with the municipalities where the patients come from; lack of knowledge on the part of traumatology and orthopedics users about the rights and services recommended by the TFD Program, among others. In addition, it is important to lay the foundations for public policies that aim to improve the TFD and bring benefits both to users and to the work of health professionals, especially social workers, who must strengthen the category in the face of the challenges posed by day-to-day work.

References

Almeida, J. R. S., et al. (2016). Educação Permanente em Saúde: uma estratégia para refletir sobre o processo de trabalho. Revista de Abeno. 16 (2), 7-15.

Bardin, L. (2016). Análise de Conteúdo. Edições 70.

Brasil. (2012). Código de Ética Profissional. Brasília: CFESS.

Brasil. (2020). Constituição da República Federativa do Brasil [recurso eletrônico]. Brasília: Supremo Tribunal Federal, Secretaria de Documentação.

Brasil. (2023). Ministério da Saúde. Regionalização. https://www.gov.br/saude/pt-br/composicao/se/dgip/regionalizacao

Brasil. (2021). Ministério da Saúde. Regionalização se faz regionalizando: fortalecimento dos processos de governança, organização e integração da rede de atenção à saúde [recurso eletrônico] / Ministério da Saúde, Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (1999). Portaria n° 55 de 24 de fevereiro de 1999. Dispõe sobre a rotina do Tratamento Fora de Domicílio no Sistema Único de Saúde, com inclusão dos procedimentos específicos na tabela de procedimentos do Sistema de Informações Ambulatoriais do SIA/SUS e dá outras providências. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/1999/pr0055-24-02-1999

Brasil. (2007). Portaria n° 2.848 de 2 de 06 de novembro de 2007. Publica a Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais – OPM do Sistema Único de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2007/prt2848_06_11_2007

Brasil. (2008). Portaria n° 1.559 de 1° de agosto de 2008. Institui a Política Nacional de Regulação do Sistema Único de Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/gm/2008/prt1559_01_08_2008.html

Brasil. (2022). Portaria de Consolidação n° 1 de 22 de fevereiro de 2022. Consolidação das normas sobre Atenção Especializada à Saúde. https://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/saes/2022/prc0001_31_03_2022.html

Bravo, M. I. S. (2009). Política de Saúde no Brasil. In: Serviço Social e Saúde: Formação e Trabalho Profissional. (4a ed.), Cortez.

Calixto, R. L. (2023). A Política Social de Tratamento Fora de Domicílio e a garantia de direitos nos cuidados em saúde na assistência à população pobre. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal da Paraíba. João Pessoa.

Carvalho, G. (2013). A saúde pública no Brasil. Estudos Avançados. São Paulo, vol.27, n.78, 2013. http://www.scielo.br/pdf/ea/v27n78/02.pdf

Carvalho, M. S. (2003). A saúde como Direito Social: Fundamentação na Constituição Federal de 1988. Revista de Direito Sanitário. vol.4, n.2.

Conselho Federal de Serviço Social. (2010). Parâmetros para Atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde. CFESS: Brasília, DF.

Escorel, S. (1999). Revisando o Movimento Sanitário. Reviravolta na Saúde: origem e articulação do movimento sanitário. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz.

Escorsim, S. M., & Rosa, A. R. (2021). Acesso ao Transplante de Medula Óssea por meio do Tratamento Fora do Domicílio (TFD). Serviço Social em Revista. 24(2), 547-565.

Fernandes, O. (2016). Instrumentos técnico-operativos no Serviço Social: um debate necessário. Estúdio Texto.

Forte, A. C., et al. (2022). Programa de Tratamento Fora de Domicílio - TFD: um direito do paciente ou faculdade da Administração Pública? Brasilian Journal of Development. Curitiba.

Gil, A. C. (2017). Como elaborar projetos de pesquisa. (6a ed.), Atlas.

Gomes, R. (2014). Pesquisa qualitativa em saúde. Instituto Sírio-Libanês de Ensino e Pesquisa.

Guedes, D. R., et al. (2020). Tratamento Fora de Domicílio (TFD): uma abordagem sobre os desafios e perspectivas dos beneficiários do Município de Macapá. Revista Arquivos Científicos (IMMES). 3(2), 162-170.

Guerra, Y. (1995). A instrumentalidade do Serviço Social. Cortez.

Hospital Regional do Baixo Amazonas. (2023). Instituto Mais Saúde. https://www.institutomaissaude.org.br/hrbapa/

Kruger, T. R. (2010). Serviço Social e Saúde: espaços de atuação a partir do SUS. Revista Serviço Social & Saúde. UNICAMP. 9(10).

Lima, W. F., et al. (2020). Serviço Social e saúde pública: desafios na atuação do assistente social ao usuário da atenção primária à saúde. Research, Society and Development. 9(12), e16491210904.

Machado, E. B. S. (2019). Tratamento Fora de Domicílio e acesso à saúde: a realidade dos pacientes do Transplante Pulmonar. Trabalho de Conclusão de Residência. Programa de Residência Integrada Multiprofissional em Saúde. Programa Atenção Integral ao paciente adulto cirúrgico. Hospital de Clínica de Porto Alegre.

Nemer, C. R. B., et al. (2020). Programa de Tratamento Fora de Domicílio – TFD: análise à luz da integralidade. Enferm. Foco. 11(2), 44-48.

Negreiros, D. A., et al. (2022). Os desafios e perspectivas da atuação profissional de assistentes sociais residentes egressos do Programa de Residência Atenção Integral em Ortopedia e Traumatologia no Oeste do Pará. Reserach, Society and Development. 11(15), e316111537261. http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v11i15.37261

Nogueira, V. M. R., & Mioto, C. T. (2006). Sistematização, Planejamento e Avaliação das Ações dos Assistentes Sociais no Campo da Saúde. Serviço Social e Saúde: Formação e trabalho profissional, Campinas, 15 (01),71-82. https://www.poteresocial.com.br/wp-content/uploads/2021/03/texto-Sistematiza%C3%A7%C3%A3o-Planejamento-e-Avalia%C3%A7%C3%A3o-das-A%C3%A7%C3%B5es-dos-Assistentes.pdf

Pará. (2019). Manual Estadual do Tratamento Fora de Domicílio. Governo do Estado do Pará. Secretaria de Estado de Saúde Pública. Diretoria de Desenvolvimento e Auditoria dos Serviços de Saúde. Departamento de Regulação de Acesso.

Paim, J. S. (2023). Participação Social em Saúde no Brasil: avanços e retrocessos do SUS 10 anos depois das Jornadas de Junho. Cadernos Ibero-Americanos de Direito Sanitário. Brasília, 12 (3).

Paiva, A. B., et al. (2020). Instrumentos Financeiros de Coordenação no SUS. In: Coordenação e Relações Intergovernamentais nas Políticas Sociais Brasileiras. Brasília-DF: Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). http://dx.doi.org/10.38116/978-65-5635-005-9

Pires, M. F. C. (1997). O materialismo histórico-dialético e a educação. Interface: Comunicação, Saúde, Educação. 1(1), 83-94.

Raichelis, R. (2020). As atribuições e competências profissionais à luz da “nova” morfologia do trabalho. Conselho Federal de Serviço Social (CFESS): Brasília.

Sá, A. C. M., et al. (2018). Contribuições da Educação Permanente para Qualificação da Assistência de Enfermagem em um Hospital Público. Revista Brasileira de Ciências da Saúde. 22(1).

Schechtman, A., et al. (2002). Evolução das Políticas e do Sistema de Saúde no Brasil. Caminhos da Saúde Pública no Brasil [online]. Fiocruz.

Silva, D. C., & Kruger, T. R. (2018). Parâmetros para a atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde: o significado no exercício profissional. Temporalis. Brasília, (35), 266-288.

Silva, H. M. (1996). A Política Pública de Saúde no Brasil: Dilemas e Desafios para a Institucionalização do SUS. Dissertação de Mestrado em Administração Pública. Escola Brasileira de Administração Pública. Rio de Janeiro.

Silva, M. F. P. (2018). Tratamento Fora de Domicílio: uma análise sobre a efetividade do programa para atenção das pessoas com doenças crônicas em tratamento em um Hospital Universitário. Trabalho de Conclusão de Curso. Universidade Federal de Paraíba. João Pessoa.

Published

23/11/2023

How to Cite

SILVA, H. de O. da .; SILVA, I. D. e .; NEGREIROS, D. A. de .; MATOS, U. L. .; MAIA, A. B. . The Social Worker’s Experience in the Out-of-Home Treatment Program with an Emphasis on Trauma and Orthopedic Patients at a Referral Hospital. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 12, p. e146121244128, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i12.44128. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/44128. Acesso em: 26 feb. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences