Central auditory processing disorder and learning difficulty from the perspective of psychopedagogy

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8548

Keywords:

Auditory processing; Disorder; Learning difficulties; Psychopedagogical intervention.

Abstract

This research aims to reflect on the relationship between Central Auditory Processing Disorder and the process of learning to read and write from a psychopedagogical perspective. The literature review was adopted for this research in a described and qualitative approach. The results showed that the central auditory processing disorder (CAPD) constitutes a disorder that affects the understanding of sounds that reach the cerebral cortex, preventing the subject from being able to interpret them correctly, compromising the assimilation of the information received. So, the symptoms of CAPD can present as difficulties in reading and writing, slow response to sound stimuli, lack of understanding of what is heard, inattention, among others. It is concluded that, the early diagnosis, carried out by professionals qualified in the field of audiology, contributes for the subject with CAPD to recover their hearing skills fully or partially, enabling the development in the learning of this subject in a satisfactory way, even improving your self-esteem. And that through psychopedagogical intervention it is possible to obtain a satisfactory result that meets the needs of this subject, collaborating significantly in the construction of his learning.

References

Abreu, M. (2016) O processo de inclusão escolar de alunos com distúrbio do processamento auditivo central (DPAC) em escolas públicas de Brasília. (Dissertação de mestrado). Departamento de Psicologia, Universidade Católica de Brasília – UnB, Brasília, DF, Brasil.

Albernaz, P. (1997). Logoaudimetria. In: Pereira, L., Schochat, E. (Orgs). Processamento auditivo central: Manual de avaliação. São Paulo: Lovise, 1997, cap. 2, 37-42.

Almeida, Z. L. M., Rocha, T. C. M., & Schettini, R. C. (2011). Distúrbio do processamento auditivo: o que é? orientações aos pais e professores. (2a ed.) Ribeirão Preto: Book Toy, 2011.

Boccato, V. R. C. (2006). Metodologia da pesquisa bibliográfica na área odontológica e o artigo científico como forma de comunicação. Rev. Odontol. Univ. Cidade São Paulo, 18(3), 265-274.

Condurú, M., & Maués, L. (2019). Comportamento informacional de pais de crianças com distúrbio de processamento auditivo central (DPAC). Revista Brasileira de Biblioteconomia e Documentação, 15(2), 159-179.

Capovilla, A., Suiter, I., & Capovilla, F. (2004). Avaliação e intervenção em distúrbio da linguagem escrita. Revista Psicopedagogia, 21(64), 57-68.

Cardoso, A., Silva, M., & Pereira, M. (2013). Consciência fonológica e a memória de trabalho de crianças com e sem dificuldades na alfabetização. CoDAS, 25(2), 110-114.

Caumo, D., & Ferreira, M. (2009). Relação entre desvios fonológicos e processamento auditivo. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 14(2), 234-240.

Deveikis, M. et al. (2015). Processamento auditivo: marcadores de tempo por habilidade auditiva. Medicina, 48(5), 449-456.

Diniz, C. (2011). Supervisão pedagógica em atendimento particular a aluna que apresenta dislexia e alteração no processamento auditivo central: Um estudo de caso. (Trabalho de Conclusão de Curso). Departamento de Psicologia Escolar e do Desenvolvimento, Universidade de Brasília - UnB, Brasília, DF, Brasil.

Fernández, A. (1991). A inteligência aprisionada. Porto Alegre: Artmed, 1991.

Freire, P. (1987). Pedagogia do oprimido. (17a ed.) Rio de Janeiro: Paz & Terra.

Gielow, I. (1997). Terapia fonoaudiológica para desordem do processamento auditivo central em crianças: estratégias baseadas em experiência clínica. In: Pereira, L., & Schochat, E. (Orgs). Processamento auditivo central: Manual de avaliação. São Paulo: Lovise, cap. 6, 79-84.

Gonçalves, F., Vieira, M., & Pereira, L. (208, nov.). Efeito do treino auditivo-motor no processamento auditivo de escolares. Einstein, 16(4), 1-11.

Guitarrara, S. (2008). O computador na aprendizagem da leitura e da escrita: O processo de mediação. (Trabalho de Conclusão de Curso). Departamento de Educação, Centro Universitário Moura Lacerda, Ribeirão Preto, SP, Brasil.

Juchem, L. (2004). Processamento auditivo nas dificuldades de aprendizagem: Um programa de intervenção terapêutica. (Dissertação de mestrado). Programa de Pós-graduação em Distúrbios da Comunicação Humana, Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria, RS, Brasil.

Kozlowski, L. et al. (2004). A efetividade do treinamento auditivo na desordem do processamento auditivo central: Estudo de caso. Revista Brasileira de Otorrinolarinologia, 70(3), 427-432.

Leite, S., & D’estefano, C. (2006). A Informática no processo de alfabetização escolar: um estudo de caso. Práxis Educativa, Ponta Grossa, 1(2), 17-30.

Leonço, V. (1998). Do fracasso ao sintoma: A intervenção psicopedagógica nos caminhos da aprendizagem. Revista de Letras, Porto Alegre, 23(24), 1-14.

Lopes, A., Munhoz, G., & Bozza, A. (2015). Audimetria tonal liminar e de altas frequências. In: BOÉCHAT, Edilene et al. (Orgs). Tratado de audiologia. (2a ed.), cap. 4, 57-66, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Martins, J.; Pinheiro, M., & Blasi, H. (2008). A utilização de um software infantil na terapia fonoaudiológica de distúrbio do processamento auditivo central. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 13(4). Recuperado de https://www.scielo.br/scielo.php?p id=S1516-80342008000400016&script=sci_arttext.

Melo, L. (2015). Aconselhamento e orientação familiar. In: BOÉCHAT, Edilene et al. (Orgs). Tratado de audiologia. (2a ed.), cap. 26, 478-480, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Minayo, M. C. S. (2013). O desafio do conhecimento: Pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec.

Morais, A. (2019). Consciência fonológica na educação infantil e no ciclo de alfabetização. Belo Horizonte: Autêntica.

Nunes, C. L. (2015). Processamento auditivo: Conhecer, avaliar e intervir. Lisboa: Papa-Letras.

Olivares, J., & Lima, S. (2014). O distúrbio do processamento auditivo central e a intervenção psicopedagógica. Psicologia & Saberes, Maceió, 3(4), 1-14.

Oliveira, A., Cardoso, A., & Capellini, Simone. (2011, jun.). Desempenho de escolares com distúrbio de aprendizagem e dislexia em testes de processamento auditivo. Rev. Cefac, 13(3). Recuperado de https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-1846201100030 0015&lng=pt&tlng=pt

Pain, S. (1985). Diagnóstico e tratamento dos problemas de aprendizagem. Porto Alegre: Artmed.

Pelitero, T., Manfredi, A., & Schneck, A. (2010). Avaliação das habilidades auditivas em crianças com alterações de aprendizagem. Revista Cefac, 12(4), 662-670.

Pereira, D. (2009). Diagnóstico e intervenção psicopedagógica com adultos: um estudo de caso. Revista da Associação Brasileira de Psicopedagogia, [s. l.], 26(80), 265-273.

Pereira, H. K. (2018). Transtorno do processamento auditivo central: Orientando a família e a escola. São José dos Campos: FCEE.

Pereira, K. (2014). Manual de orientação: Transtorno do processamento auditivo – TPA. Florianópolis: Dioesc.

Pereira, L. (2015). Avaliação e terapia dos distúrbios do processamento auditivo em pré-escolares. In: SIH, Tania (Org). V Manual de otorrinolaringologia pediátrica do Iapo. São Paulo: Iapo, cap. 18, 285-288.

Reis, A., & Frizzo, A. (2015). Potencial evocado auditivo cognitivo. In: BOÉCHAT, Edilene et al. (Orgs). Tratado de audiologia. (2a ed.), cap. 12, 140-150, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Santos, M. J., & Maluf, M. R. (2007). Intervenções em consciência fonológica e aprendizagem da linguagem escrita. Boletim – Academia Paulista de Psicologia, São Paulo, 27(1), 95-108.

Santos, T. (2015). Diagnóstico audiológico em crianças. In: BOÉCHAT, Edilene et al. (Orgs). Tratado de audiologia. (2a ed.), cap. 20,407-412, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Silva, T., & Barbosa, J. (2017). Distúrbio do processamento auditivo central: A importância do diagnóstico precoce para o desenvolvimento da criança. Anais do Encontro Internacional de Formação de Professores, 10, 2017, Aracaju: Unit, 1-16.

Sousa, A., Lourinho, L., & Vasconcelos, A. (2018). A intervenção psicopedagógica na aquisição da leitura e escrita. In: Lourinho, L., Gomes, S. & Vasconcelos, A (Orgs). Temas em psicopedagogia 1(3), 45-55, Fortaleza: Novas Edições Acadêmicas.

Teixeira, C. et al. (2015). Sistema auditivo central. In: BOÉCHAT, Edilene et al. (Orgs). Tratado de audiologia. (2a ed.), cap. 1, 9-13, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Volpato, E. S. N. (2000, mar. abr.). Pesquisa bibliográfica em ciências biomédicas. J. Pneumol., São Paulo, 26(2), 77-80.

Vygostky, L. (1991). A formação da mente. São Paulo: Martins Fontes.

Wertzner, H. et al. (2007). Características fonológicas de crianças com transtorno fonológico com e sem histórico de otite média. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 12(1), 41-47.

Published

22/09/2020

How to Cite

SANTOS, S. S. dos .; SANTOS, M. S. dos; LOURINHO, L. A. . Central auditory processing disorder and learning difficulty from the perspective of psychopedagogy. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e1799108548, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8548. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8548. Acesso em: 28 jun. 2022.

Issue

Section

Education Sciences