Core strength and respiratory and aerodynamic vocal measurements of popular singers: clinical trial

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8580

Keywords:

Acoustics; Breathing Exercises; Dysphonia; Singing; Voice training.

Abstract

Objective: to investigate the effect of an intensive physical therapy training of the core strength on respiratory and aerodynamic vocal measurements of popular professional singers. Methods: Randomized clinical trial. Sample composed of popular professional singers, eight in the control group and eight in the study group, who underwent the physiotherapeutic protocol. The measurements of maximum phonation time, sound pressure level and dynamic extension were under the responsibility of Speech Therapy professionals and the measurements of forced vital capacity, activation of the transverse abdomen muscle, and maximum respiratory pressures were under the responsibility of Physiotherapy professionals. The results were compared in the pre and post intensive physical therapy training. Results: In the treated group, there was a significant improvement in forced vital capacity, sound pressure level, activation of the transverse abdomen muscle, and maximum phonation time of /e/ voiceless. Conclusion: The intensive physical therapy training of the core strength caused an improvement in respiratory and aerodynamic vocal measurements of popular professional singers.

References

Alba, P. C., Martinelli, A. M., & Campagna, R. M. (2014). As características e os benefícios das praticantes do método pilates na cidade de SINOP-MT. Revista Internacional em Saúde Coletiva, 4(4).

Andrade, S. R., Cielo, C. A., Schwarz, K., & Ribeiro, V. V. (2016). Terapia vocal e sons nasais: efeitos sobre disfonias hiperfuncionais. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 18(1), 263-272.

Barrichelo-Lindström, V., & Behlau, M. (2009). Resonant voice in acting students: perceptual and acoustic correlates of the trained y-buzz by Lessac. Journal of Voice, 23(5), 603-609.

Beber, B. C., & Cielo, C. A. (2010). Medidas acústicas de fonte glótica de vozes masculinas Normais. Pró-Fono Revista de Atualização Científica, 3(22), 299-304.

Behlau, M., Madazio, G., Feijó, D., & Pontes, P. A. (2013). Avaliação da Voz. In: Behlau, M. Voz: o livro do especialista. Rio de Janeiro: Revinter, 85-245.

Bessa, E. J. C., Lopes, A. J., & Rufino, R. A. (2015). Importância da medida da força muscular respiratória na prática da pneumologia. Revista Pulmão, 24(1), 37-41.

Biason, D. F., Miranda, M. J. M., Camera, F. D., & Wisniewski, M. S. W. (2015) Fortalecimento muscular expiratório e produção vocal na Doença de Parkinson. Perspectiva, 39(145), 131-142.

Brasil, Ministério da Saúde. (2007). I Levantamento Nacional sobre os padrões de consumo de álcool na população brasileira. Brasília: Secretaria Nacional Antidrogas, 2007.

Chaves, C. P. G., Simão, R., & Araújo, C. G. S. (2002). Ausência de variação da flexibilidade durante o ciclo menstrual em universitárias. Revista Brasileira Medicina do Esporte, 8(6), 212-218.

Christmann, M. K., Scherer, T. M., Cielo C. A., & Hoffmann, C. F. (2013). Tempos máximos de fonação de futuros profissionais da voz. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 15(3), 358-363.

Cielo, C. A., Christmann, M. K., Scherer, T. M., & Hoffmann, C. F. (2014). Fluxo aéreo adaptado e coeficientes fônicos de futuros profissionais da voz. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 16(2), 546-553.

Cielo, C. A., Finger, L. S., Rosa, J. C., & Brancalioni, A. R. (2011). Lesões organofuncionais do tipo nódulo, pólipo e edema de Reinke. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 13(4), 735-748.

Cielo, C. A., Ribeiro, V. V., & Hoffmann, C. F. (2015). Sintomas vocais de futuros profissionais da voz. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 1(17), 34-43.

Cordeiro, G. F., Montagnoli, A. N., Nemr, N. K., Menezes, M. H. M., & Tsuji, D. H. (2012). Comparative Analysis of the Closed Quotient for Lip and Tongue Trills in Relation to the Sustained Vowel /e/. Journal of Voice, 6(1), 17-22.

D’avila, H., Cielo, C. A., & Siqueira, M. A. (2010). Som fricativo sonoro /Ž/: modificações vocais. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 12(6), 915-924.

Dall’Ago P., Chiappa, G. R. S., Guths, H., Stein, R., & Ribeiro, J. P. (2006). Inspiratory muscle training in patients with heart failure and inspiratory muscle weakness: a randomized trial. Journal of the American College of Cardiology, 47(4), 757–763.

Dutton, M. (2006). Fisioterapia ortopédica. Porto Alegre: Artmed.

Ferreira, F. V., Cielo, C. A., & Trevisan, M. E. (2012). Força muscular respiratória, postura corporal, intensidade vocal e tempos máximos de fonação na doença de Parkinson. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal,14(2),361-368.

Finger, L. S., & Cielo, C. A. (2009). Modificações vocais acústicas produzidas pela fonação reversa. Revista da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia, 14(1), 15-21.

Finger, L. S., Cielo, C. A., & Schwarz, K. (2009). Acoustic vocal measures in women without voice complaints and with normal larynxes. Brazilian Journal of Otorhinolaryngology, 75(3), 432-440.

Fitz, F. F., Costa, T. F., Yamamoto, D. M., Resende, A. P. M., Stupp, L., Sartori, M. G. F., ...Castro, R.A. (2012). Impacto do treinamento dos músculos do assoalho pélvico na qualidade de vida em mulheres com incontinência urinária. Revista Associação Médica Brasileira, 2(58),155-159.

Fontana, P., & Marin, L. (2013). A influência de um programa de treinamento respiratório na qualidade vocal e função pulmonar dos participantes do Coral Unochapecó. Revista Fisisenectus, 1(2), 25-33.

Frigo, L. F., Gonçalves, D. S., Trevisan, M. E., Marques, C. T., & Cielo, C. A. (2020). Core strength and voice of popular singers: randomized clinical trial. Research, Society and Development, 9(8), e934986561.

Gava Júnior, W., Ferreira, L. P. A., & Silva, M. A. (2010). Apoio respiratório na voz cantada: perspectiva de professores de canto e fonoaudiólogos. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 12(4), 551-562.

Gordon, K. , & Reed, O. (2020). The role of the pelvic floor in respiration: a multidisciplinary literature review. Journal of the Voice, 34(2), 243-249.

Griffin, B., Woo, P., Colton, R., Casper, J., & Brewer, D. (1995). Physiological characteristics of the supported singing voice. A preliminary study. Journal of Voice, 9(1), 45–56.

Guyton, A.C., & Hall, J.E. (2012). Tratado de fisiologia médica. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Hernandez, A. J., & Nahas, R. M. (2003). Diretriz da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte. Modificações dietéticas, reposição hídrica, suplementos alimentares e drogas: comprovação de ação ergogênicos e potenciais riscos para a saúde. Revista Brasileira Medicina do Esporte, 15(2), 03-12.

Jesus, L. T., Baltieri, L., Oliveira, L.G., Angeli, L. R., Antonio, S. P., Pazzianotto-Forti, E.M. (2015). Efeitos do método Pilates sobre a função pulmonar, a mobilidade toracoabdominal e a força muscular respiratória: ensaio clínico não randomizado, placebo-controlado. Fisioterapia e Pesquisa, 22(3), 213-22.

Joshi, A., & Watts, C. R. (2016). Measurement Reliability of Phonation Quotient Derived From Three Aerodynamic Instruments. Journal of Voice, 30(6), 773.e13–773.e19.

Kisner, C., & Colby, L. A. (2005). Exercícios terapêuticos: fundamentos e técnicas. São Paulo: Manole.

Knorst, M., Cavazzoto, K., Henrique, M., & Resende, T. (2012). Intervenção fisioterapêutica em mulheres com incontinência urinária associada ao prolapso de órgão pélvico. Revista Brasileira de Fisioterapia, 16(2), 102-107.

Korelo, R. I., Kosiba, L.G., & Matos, R. A. (2011). Influência do fortalecimento abdominal na função perineal, associado ou não à orientação de contração do assoalho pélvico, em nulíparas. Revista Fisioterapia e Movimento, 24(1), 75-85.

Lopes, L. W., & Lima, I. L. B. (2014). Características vocais de cantores populares da cidade de João Pessoa. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, 18(1), 21-26.

Lu, F. L., Presley, S., & Lammers, B. (2013). Efficacy of intensive phonatory-respiratory treatment (LSVT) for presbyphonia: two case reports. Journal of Voice, 27(6), 786e12-786e22.

Martinez, B. P., Silva, J. R., Silva, V. S., Gomes Neto, M., & Forgiarini Júnior, L. A. (2015). Influência de diferentes posições corporais na capacidade vital em pacientes no pós‐operatório abdominal superior. Revista Brasileira de Anestesiologia, 65(3), 217-221.

Mello Ê. L., Ballestero, L. R. B., & Silva, M.A.A. (2015). Postura corporal, voz e autoimagem em cantores líricos. Per Musi-Revista Acadêmica de Música, (31),74-85.

Miglioranzi, S. L., Cielo, C. A., & Siqueira, M. A. (2012). Capacidade vital e tempos máximos de fonação de /e/ emitido de forma áfona, de /s/ em mulheres adultas. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 14(1), 97-103.

Pascotini, F. S., Denardi, C., Nunes, G. O., Trevisan, M. E., & Antunes, V. D. P. (2014). Treinamento muscular respiratório em pacientes em desmame da ventilação mecânica. Arquivos Brasileiros de Ciência da Saúde, 39(1), 12-26.

Pasqualoto, A. S, Floriano, G. P., Bonamigo, E. C. B., & Bittencourt, D. C. (2009). Efeitos de um treinamento muscular respiratório sobre a capacidade funcional de um paciente asmático. Revista Contexto e Saúde, 8(16), 151-155.

Patel, R. R., Bless, D. M., & Thibeault, S. T. (2011). Boot camp: a novel intensive approach to voice therapy. Journal of Voice, 25(5), 562-569.

Pereira, C. A. C. (2002). Espirometria. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 28(supl. 3).

Pereira, N. H., Fernandes, P. M., Santos, R. N. L. C., Carvalho, C. P. G. P., Soares M. E. S. M., & Santos, A. C. B. C. (2015). Comparação dos valores obtidos e previstos das pressões respiratórias máximas em adultos jovens. Ciências, Cuidado e Saúde, 14(1), 955-961.

Pereira, N. T., Ferreira, L. A. B., & Pereira, W. M. (2010). Efetividade de exercícios de estabilização segmentar sobre a dor lombar crônica mecânico-postural. Fisioterapia em Movimento, 23(4), 605-14.

Pessoa, M. B. S., Houri Neto, M., Montemezzo, L. S., Andrade, A. D., & Pereira, V. F. (2014). Equações de predição para força muscular respiratória segundo diretrizes internacionais e brasileiras. Revista Brasileira de Fisioterapia,18(5), 410-418.

Pinho, S. M. R. (2003). Fundamentos em fonoaudiologia. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Porolnik, S., Braz, M. M., Padilha, J. F., & Seidel, E. J. (2015). Ativação do centro de força e da musculatura respiratória de idosas com e sem incontinência urinária de esforço. Fisioterapia Brasil, 16(2), 101-106.

Roman-Niehues, G., & Cielo, C. A. (2010). Modificações vocais acústicas produzidas pelo som hiperagudo. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal,12(3), 462-470.

Rossi, D. C., Munhoz, D. F., Nogueira, C. R., Oliveira, T. C. M., & Britto, A. T. B. O. (2006). Relação do pico de fluxo expiratório com o tempo de fonação em pacientes asmáticos. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 8(4), 509-17.

Santos, C. I. S., Cardoso, M. T., Ribeiro, M. A. G., & Conti, P. B. M. (2009). Atuação da fisioterapia respiratória na osteogênese imperfeita e asma. Fisioterapia Brasil, 10(5), 376-379.

Santos, M., Cancelliero-Gaiad, K. M., & Arthuri, M. T. (2015). Efeito do método Pilates no Solo sobre parâmetros respiratórios de indivíduos saudáveis. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 23(1), 24-30.

Silva, G. F., & Luna, C. L. C. (2009). Análise perceptivo-auditiva de parâmetros vocais em cantores da noite do estilo musical brega da cidade do Recife. Speech, Language, Hearing Sciences and Education Journal, 11(3), 457-464.

Silva, M. A. C., Dias, J. M., Silva, M. F., Mazuquin, M. F., Abrão, T., & Cardoso, J. R. (2013). Análise comparativa da atividade elétrica do músculo multífido durante exercícios do Pilates, série de Williams e Spine Stabilization. Revista Fisioterapia e Movimento, 26(1), 87-94.

Silva, M. G. F., Fernandes, C. P., Santos, T. C. S., & Silva, T. L. P. (2012). Suplementação oral de L-carnitina associada ao treinamento físico e muscular respiratório na doença pulmonar obstrutiva crônica: estudo preliminar. Revista Fisioterapia e Pesquisa, 19(4), 320-325.

Siqueira, G. R., Alencar, G. G., Oliveira, N. K., & Leite, F. N. T. S. (2014). A eficácia da estabilização segmentar vertebral no aumento do trofismo dos multífidos e melhora da dor em portadores de hérnia discal lombar. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, 22(1), 81-91.

Souza, N. B., & Silva, M. A. A. (2016). Diferentes abordagens de ensino para projeção vocal no canto lírico. Per Musi - Revista Acadêmica de Música, (33), 130-146.

Souza, R. B. (2002). Pressões respiratórias estáticas máximas. Jornal Brasileiro de Pneumologia, 28(supl, 3), 155-165.

Trindade, M. A., Souza, T. L. F., & Albuquerque, A. L. P. (2015). A interpretação da espirometria na prática pneumológica até onde podemos avançar com o uso dos seus parâmetros. Revista Pulmão, 24(1), 3-7.

Van Lierde, K. M., D'haeseleer, E., Baudonck, N., Claeys, S., Bodt, M., & Behlau, M. (2011). The impact of vocal warm-up exercises on the objective vocal quality in female students training to be speech language pathologists. Journal of Voice, 25(3),115-21.

Published

04/10/2020

How to Cite

FRIGO, L. F.; GONÇALVES, D. da S.; TREVISAN, M. E.; MARQUES, C. T.; CIELO, C. A. . Core strength and respiratory and aerodynamic vocal measurements of popular singers: clinical trial. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e4389108580, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8580. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8580. Acesso em: 26 jun. 2022.

Issue

Section

Health Sciences