Physiological performance of RR soybean seeds in Glyphosate subdoses submitted to biostimulant

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8725

Keywords:

Herbicide; Glycine max; Resistence test; Vigor.

Abstract

Transgenic soybean has a mechanism of resistance to glyphosate, but there are studies that demonstrate negative effects of this herbicide on the initial stage of seed development. There are also reports that the use of the biostimulant prevents the loss of seed vigor in the initial phase when in contact with Glyphosate. This study aimed to evaluate the effect of glyphosate and biostimulant underdoses on soybean seeds. A completely randomized design in a 2x5 factorial scheme was used, with four replications. The seeds were subjected to five sub-doses of Glyphosate zapp 620 (0; 3.5; 7.0; 10.5 and 14 mL-1 L) and seed treatment with Stimulate® at 0 and 7.5 mL L-1. In the laboratory, the experimental units consisted of germination paper rolls with soybean seeds, to evaluate first germination count tests, accelerated aging, cold test, root and shoot length, electrical conductivity, dry root mass and aerial part and total germination. The treatments with biostimulant in the seed under Glyphosate underdoses increase the total germination of the seedlings and present greater vigor for the resistance tests, however it reduces the vigor and reduces the growth rate and dry matter accumulation of the aerial part and root.

Author Biography

Sebastião Ferreira de Lima, Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Professor dos cursos de Agronomia, Engenharia Florestal e pós-graduação em produção vegetal da UFMS, campus de Chapadão do Sul.

References

Albrecht, L. P., Braccini, A. L., Scapim, C. A., Ávila, M. R. & Albrecht, A. J. P. (2012). Biorregulador na composição química e na produtividade de grãos de soja. Revista Ciência Agronômica, 43(4), 774-782.

Amaral, A. J., Bertol, I., Cogo, N., P. & Barbosa, F., T. (2008). Redução da erosão hídrica em três sistemas de manejo do solo em um Cambissolo Húmico da região do Planalto Sul-Catarinense. Revista brasileira de ciência do solo, 32(5), 2145-2155.

Ávila, M. R., Lucca, A. B., Scapim, C. A., Albrecht, L. P., Tonin, A.T. & Stulp, M. (2008). Bioregulator application, agronomic efficiency, and quality of soybean seeds. Scientia Agricola, 65(6), 567-691.

Bertagnolli, C. M. (2005). Detecção e quantificação de sementes de soja geneticamente modificada resistente ao glifosato em sistema hidropônico. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. (Doutorado em Ciência e Tecnologia de Sementes).

Bertolin, D. C., Desá, M. E., Arf, O. Júnior, E. F, Colombo, A. S & Carvalho, F. L. B. M. (2010). Aumento da produtividade de soja com a aplicação de bioestimulantes. Bragantia, 69(2) 2, 339-347.

Bervald, C. M. P., Mendes, R. C., Timm, F. C., Moraes, D. M., Barros, A. C. S. A., Peske, S. T. (2010). Desempenho fisiológico de sementes de soja de cultivares convencional e transgênica submetidas ao glifosato. Revista Brasileira de Sementes, 32(2),9-18.

Brasil. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. (2009). Regras para análise de sementes. Brasília: Mapa/ACS.

Calegari, A., Heckler, J. C., Santos, H. P., Pitol, C., Fernandes, F. M., Hernani, L.C. & Gaudêncio, C. A. (1998). Culturas, Sucessões e Rotações. In: Sistema Plantio Direto. O produtor pergunta a Embrapa responde. Dourados: Embrapa-CPAO.

Castro, P. R.C. & Melotto, E. (1989). Bioestimulantes e hormônios aplicados via foliar. In: Boareto, A. E. & Rosolem, C. A. (Ed.). Adubação foliar. Campinas: Fundação Cargill.

Castro, P. R. C. & Pereira, M. A. (2008). Bioativadores na agricultura. In: Gazzoni, D. L. (Ed.). Tiametoxam: uma revolução na agricultura brasileira. São Paulo: Vozes.

Christoffoleti, P. J., Galli, A. J. B, Carvalho, S. J. P, Moreira, M. S, Nicolai, M., Foloni, L. L, Martins, B. A. A & Ribeiro, D.N. (2008). Glyphosate sustainability in South American cropping systems. Pesticide Management Science, 64(1), 422-427.

Constantin, J., Oliveira Júnior, R. S., Cavalieri, S. D., Arantes, J. G. Z., Alonso, D. G., Roso, A. C. & Costa, J. M. (2007). Interação entre sistemas de manejo e controle de plantas daninhas em pós-emergência afetando o desenvolvimento e a produtividade do milho. Planta Daninha, 25(3), 513-520.

Constantin, J., Oliveira Júnior, R., S., Contiero, R., L. (2013). Manejo de plantas daninhas na pré-semadura da soja. In: Simpósio sobre Manejos de Plantas Daninhas no Nordeste: Desafios, Avanços e Soluções no Manejo de Plantas Daninhas, Campina Grande.

Cunha, C.S.M. (2004). Comparação de métodos na detecção de sementes de soja geneticamente modificada, tolerante ao glifosato. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes).

Dourado Neto, D., Dario, G. J. A, Barbieri, A. P. P & Martin, T. N. (2014). Ação de bioestimulante no desempenho agronômico de milho e feijão. Bioscience Journal, 30(1), 371-379.

Funghetto, C. I., Tillmann, M. A. A., VIllela, F. A. & Dode, L. B. (2004). Detecção de sementes de soja geneticamente modificada tolerante ao herbicida glifosato. Revista Brasileira de Sementes, 26(1), 130-138.

Galli, A. J. B. & Montezuma, M. C. (2005). Alguns aspectos da utilização do herbicida glifosato na agricultura. São Paulo: Monsanto do Brasil.

Gazziero, D. N., Adegas, F. & Voll, E. (2007). Glyphosate como alternativa de controle de plantas daninhas em pós-emergência na soja transgênica. In: Simpósio Internacional Amazônico sobre Plantas Daninhas. Sete Lagoas: EMBRAPA Milho e Sorgo.

Hampton, J. G. & Tekrony, D. M. (1995). Handbook of vigor test methods. Zürich: ISTA.

Kollman, W. & Segawa, R. (1995). Interim report of the pesticide chemistry database. Califórnia: Environmental Protection Agency.

Kryzanowski, F. C., Vieira, R. D. & França Neto, J. B. (ed.) (1999). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates.

Melhorança, A. L., Constantin, J., Pereira, F. A. R., Gazziero, D. L. P., Valente, T. O. & Roman, E.S. (1998). Plantas daninhas e seu controle. In: Sistema Plantio Direto. O produtor pergunta a Embrapa responde. Dourados: Embrapa CPAO.

Miranda, D. M. (2004). Bioensaios na detecção e quantificação de sementes de soja geneticamente modificada resistente ao glifosato em amostras convencionais de sementes. Universidade Federal de Pelotas, Pelotas. (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Sementes).

Moterle, L. M., Santos, F. R., Scapim, C. A., Braccini, A. L., Bonato, C. M. & Conrado, T. (2011). Efeito de biorregulador na germinação e no vigor de sementes de soja. Revista Ceres, 58(5) 651-660.

Możdżeń, K., Bojarski, B., Rut, G., Migdałek, G., Repka, P. & Rzepka, A. (2015). Effect of drought stress induced by mannitol on physiological parameters of maize (Zea mays l.) seedlings and plants. The Journal of Microbiology, Biotechnology and Food Sciences, 4(especial), 86-91.

Myers, J. P., Antoniou, M. N., Blumberg, B. Carroll, L., Colborn T., Everett, L. G., Hansem, M., Landrigan, P. J., Lanphear, B. P., Mesnage, R., Vandenberg, L. N., Saal, F. S., Welshons, W. V. & Benbrook, C. M. (2016). Concerns over use of glyphosate-based herbicides and risks associated with exposures. Environ Health. 17, 15-19.

Nagata, R. T., Dusky, J. A., Ferl, R. J., Torres, A. C. & Cantliffe, D. J. (2000). Evaluation of glyphosate resistance in transgenic lettuce. Journal of the American Society for Horticultural Science, 125, 669-672.

Nakagawa, J. (1999). Testes de vigor baseado no desempenho de plântulas. In: Kryzanowski, F. C., Vieira, R. D. & França Neto, J. B. (ed.). Vigor de sementes: conceitos e testes. Londrina: Abrates.

Oliveira, R. S. G. P., Silva, J. E. N., Silva, C. C., Bezerra, J. L. S. & Melhorança, A. L. (2013). Efeito de subdoses de glifosato sobre germinação e desenvolvimento inicial do feijoeiro. Revista Eletrônica de Biologia, 6(1), 35-47.

Panobianco, M. & Marcos Filho, J. (2001). Envelhecimento acelerado e deterioração controlada em sementes de tomate. Scientia Agricola, 58(3), 525- 531.

Prata, F., Lavorenti, A., Regitano, J. B. & Tornisielo, V. L. (2000). Influência da matéria orgânica na sorção e dessorção do glifosato em solos com diferentes atributos mineralógicos. Revista Brasileira de Ciência do Solo, 24, 947-951.

Pinto, C. C.; Lazarini, E.; Vazquez, G. H.; Oliveira, C. O.; Hayashi, F. K. Doses e épocas de aplicação de glifosato em soja RR: qualidade fisiológica das sementes. Resumos. XVII Congresso Brasileiro de Sementes. Natal – RN, vol. 21, n 2, p. 540, 2011.

Rossetto, C. A. V. & Marcos Filho, J. Comparação entre os métodos de envelhecimento acelerado e de deterioração controlada para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de soja. Scientia Agricola, v.52, p.123-131, 1995.

Sá, M. E. & Lazarini, E. Relação entre os valores de condutividade elétrica e níveis de emergência em sementes de diferentes genótipos de soja. Inf. Abrates, v. 5, p. 143, 1995.

Tillmann, M. A. A. & West, S. H. Identification of genetically modified soybean (Glycine max L. Merr.) seeds resistant to glyphosate. Scientia Agricola, v.61, n.3, p.336- 341, 2004.

Toledo, M. Z., Cavariani, C., França-Neto, J. B. Qualidade fisiológica de sementes de soja colhidas em duas épocas após dessecação com glyphosate. Revista Brasileira de Sementes, vol. 34, nº 1, p. 134-142, 2012.

Vieira, E. L. & Castro, P. R. C. Ação de bioestimulante na cultura da soja (Glycine max (L.) Merrill). Cosmópolis: Stoller do Brasil, 47p., 2004.

Vieira, E. L. & Castro, P. R. C. Ação de bioestimulante na germinação de sementes, vigor de plântulas, crescimento radicular e produtividade de soja. Revista Brasileira de Sementes, v.23, p. 222- 228, 2001.

Vieira, E. L., Castro, P. R. C. & Monteiro, C.A. Efeito de Stimulate na germinação e vigor de sementes de soja. In: I Congresso Brasileiro de Soja, Londrina. Resumos. Embrapa Soja. p.361- 361, 1999.

Vieira, E. L. & Monteiro, C. A. Hormônios vegetais. In: Introdução à fisiologia vegetal. Maringá, Eduem. p.79-104, 2002.

Published

07/10/2020

How to Cite

OLIVEIRA, T. R. de; THOMÉ, S. E. N.; ANDRADE, M. G. de O.; CONTARDI, L. M.; LIMA, S. F. de. Physiological performance of RR soybean seeds in Glyphosate subdoses submitted to biostimulant. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e5489108725, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8725. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8725. Acesso em: 28 jun. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences