Factors that influence early weaning

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8910

Keywords:

Breastfeeding; Early weaning; Lactating.

Abstract

Breast milk acts in the prevention and control of morbidities in childhood and adulthood, being essential for the protection and health promotion of infants, influencing biological and emotionally in their growth and development. However, many mothers prefer to promote early weaning and several may be the factors that influence the genesis of this event. Given the above, the aim of the study is to perform a bibliographic search on the factors that influence early weaning. This is an integrative literature review. To search and select studies, the following databases were used: Pubmed, Scielo and Virtual Health Library-VHL, after applying the inclusion and exclusion criteria, 15 studies were selected, which were published between the years 2015 to 2019. Having exposed the results and the articulation between the contents of the selected scientific papers, we noticed There are a variety of factors related to breastfeeding discontinuation. In the present study, there was a greater emphasis on the mother's return to work, the myth of weak and / or insufficient milk, as well as low education, maternal age and nipple trauma. It is concluded that it is necessary to work on public health policies aimed at preventing early weaning, individual and collective health education during prenatal care, and monitoring of nursing mothers by the health team throughout the lactation process.

References

Almeida, J. M., Luz, S. A. B., & Ued, F. V. (2015). Support of breastfeeding by health professionals: integrative review of the literature. Revista paulista de pediatria, 33(3), 356-362.

Andrade, H. S., Pessoa, R. A., & Donizete, L. C. V. (2018). Fatores relacionados ao desmame precoce do aleitamento materno. Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade, 13(40), 1-11.

Arantes, A. V. (2010). Desmame precoce em Serintinga MG: Uma proposta de intervenção junto ao programa Saúde da Família. Monografia (Especialização em Atenção Básica em Saúde da Família). Universidade Federal de Minas Gerais, Campos Gerais, MG, Brasil.

Barbieri, M. C., Bercini, L. O., Brondani, K. J. M., Ferrari, R. A. P., Tacla, M. T. G. M., & Sant’anna, F. L. (2015). Aleitamento materno: orientações recebidas no pré-natal, parto e Puerpério. Semina: Ciências Biológicas e da Saúde, 36(1), 17-24.

Bavaresco, L. (2014). O aleitamento materno e o desenvolvimento cognitivo. Especialização (Enfermagem). Monografia (Especialização em Linhas de Cuidado em Enfermagem –Saúde Materna, Neonatal e do Lactente). Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, Brasil.

Boccolini, C. S., Carvalho, M. L., & Oliveira, M. I. C. (2015). Fatores associados ao aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida no Brasil: revisão sistemática. Rev. Saúde Pública, 49(91), 1-16.

Ministério da Saúde. (2016). Aleitamento materno, distribuição de leites e fórmulas infantis em estabelecimentos de saúde e a legislação. (1 ed.). Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Brasília, DF: Ministério da Saúde.

Caminha, M. F. C., Filho, M. B., Serva, V. B., Arruda, I. K. G., Figueiroa, J. N., & Lira, P. I. C. (2010). Time trends and factors associated with breastfeeding in the state of Pernambuco, Northeastern Brazil. Revista de Saúde Pública, 44(2), 240-248.

Caminha, M. F. C., Cruz, R. S. B. L. C., Acioly, V. M. C., Nascimento, R. R., Azevedo, P. T. A. C. C., Lira, P. I. C., & Filho, M. B. (2015). Fatores de risco para a não amamentação: um estudo caso-controle. Rev. Bras. Saúde Matern. Infant., 15(2), 193-199.

Campos, F. K. L. (2015). Prevalência e fatores determinantes relacionados ao aleitamento materno exclusivo. Revista Interdisciplinar Centro Universitário Uninovafapi. 8(2), 109-118.

Castelli, C. T. R., Maahs, M. A.P., & Almeida, S. T. (2014). Identificação das dúvidas e dificuldades das gestantes e puérperas relacionadas ao aleitamento materno. Rev. CEFAC, 16(4), 1178-1186.

Cavalcanti, S. H., Caminha, M. F. C., Figueiroa, J. N., Serva, V. M. S. B. D., Cruz, R. S. B. L. C., Lira, P. I. C., & Filho, M. B. (2015). Fatores associados à prática do aleitamento materno exclusivo por pelo menos seis meses no estado de Pernambuco. Revista Brasileira de Epidemiologia, 18(1), 208-219.

Chaves, A. C. M. (2014). A Autoeficácia de gestantes e puérperas em amamentar. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, Universidade Federal do Paraná, Curitiba, PR, Brasil.

Cunha, É. C., & Siqueira, H. C. H. (2016). Aleitamento materno: contribuições da enfermagem. Ensaios Cienc., Cienc. Biol. Agrar. Saúde, 20(2), 86-92.

Dallazen, C. et al. (2018). Introdução de alimentos não recomendados no primeiro ano de vida e fatores associados em crianças de baixo nível socioeconômico. Cadernos de Saúde Pública, 34(2), e00202816.

Filho, F. A. F., Shitsuka, C., Moriyama, C. M., Duarte, D. A., Pacheco, J., Ferreira, M., & Barbosa, I. (2016). Fatores relacionados ao desmame precoce entre nutrizes cadastradas em uma unidade de saúde da família. Saúde. Com, 12(2), 588-592.

Furtado, L. C. R., & Assis, T. R. (2012). Diferentes fatores que influenciam na decisão e na duração do aleitamento materno: Uma revisão da literatura. Movimenta, 5(4), 303-312.

Lima, A. P. E., Castral, T. C., Leal, L. P., Javorski, M., Sette, G. C. S., Scochi, C. G. S., & Vasconcelos, M. G. L. (2019). Aleitamento materno exclusivo de prematuros e motivos para sua interrupção no primeiro mês pós-alta hospitalar. Revista Gaúcha de Enfermagem, 40, e20180406.

Margotti, E., & Epifanio, M. (2014). Exclusive maternal breastfeeding and the Breastfeeding Self-efficacy Scale. Revista Rene, 15(5), 771-779.

Margotti, E., & Mattiello, R. (2016). Fatores de risco para o desmame precoce. Rev Rene, 17(4), 537-544.

Mendes, K. D. S., Silveira, R. C. C. P., & Galvão, C. M. (2008). Revisão integrativa: método de pesquisa para a incorporação de evidencias na saúde e na enfermagem. Texto contexto – enfermagem, 17(4), 758-764.

Moimaz, S. A. S., Saliba, O., Borges, H. C., Rocha, N. B., & Saliba, N. A. (2013). Desmame precoce: Falta de conhecimento ou de acompanhamento?. Pesquisa Brasileira em Odontopediatria e Clínica Integrada, 13(1), 53-59.

Moraes, J. T., Oliveira, V. A. C., Alvin, E. A. B., Cabral, A. A, & Dias, J. B. (2014). A percepção da nutriz frente aos fatores que levam ao desmame precoce em uma unidade básica de saúde de divinópolis/mg. Revista de enfermagem do Centro-Oeste Mineiro, 4(1), 971-82.

Oliveira, M. I. C., & Gomes, M. A. S. M. (2009). As unidades básicas amigas da amamentacão: uma nova tática no apoio no aleitamento materno. Rio de Janeiro: Atheneu.

Oliveira, C. S., Iocca, F. A., Carrijo, M. L. R., & Garcia, R. A. T. M. (2015). Amamentação e as intercorrências que contribuem para o desmame precoce. Revista Gaúcha de Enfermagem, 36(spe), 16-23.

Parsons, C. E., Young, K. S., Rochat, T. J., Kringelbach, M. L., & Stein, A. (2012). Postnatal depression and its effects on child development: a review of evidence from low-and middle-income countries. British Medical Bulletin, 101(1), 57-79.

Pereira, A. S., et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_ Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Peres, K. G., Cascaes, A. M., Nascimento, G. G., & Victora, C. G. (2015). Effect of breastfeeding on malocclusions: a systematic review and meta-analysis. Acta paediatrica, 104(467), 54–61.

Rodrigues, A. P., Padoin, S. M. M., Guido, L. A., & Lopes, L. F. D. (2014). Fatores do pré-natal e do puerpério que interferem na autoeficácia em amamentação. Escola Anna Nery, 18(2), 257-261.

Stone, P. W. (2002). Popping the (PICO) question in research and evidence-based practice. Applied nursing research : ANR, 15(3), 197–198.

Salustiano, L. P. Q., Diniz, A. L. D., Abdallah, V. O. S., & Pinto, R. M. C. (2011). Fatores associados à duração do aleitamento materno em crianças menores de seis meses. Revista Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, 34(1), 28-33.

Silva, L. S., & Mendes, F. C. (2011). Motivos do desmame precoce: Um estudo qualitativo. Revista Baiana de Enfermagem, 25(3), 259-267.

Silva, C. S. at al. (2017). Association between postpartum depression and the practice of exclusive breastfeeding in the first three months of life. Jornal de Pediatria, 93(4), 356-364.

Silva, L. L. A., Cirino, I. P., Santos, M. S., Oliveira, E. A. R., Sousa, A. F., & Lima, L. H. O. (2018). Prevalência do aleitamento materno exclusivo e fatores de risco. Revista Saúde e Pesquisa., 11(3), 527-534.

Souza, S. A., Araújo, R. T., Teixeira, J. R. B., & Mota, T. N. (2016). Aleitamento materno: fatores que influenciam o desmame precoce entre mães adolescentes. Revista de enfermagem UFPE on line, 10(10), 3806-3813.

Tamasia, G. A., & Sanches, P. F. D. (2016). Importância do aleitamento materno exclusivo na prevenção da mortalidade infantil. Faculdades Integradas do Vale do Ribeira, 1-15.

Teter, M. S. H., Oselame, G. B., & Neves, E. B. (2015). Amamentação e desmame precoce em lactantes de Curitiba. Revista espaço para a saúde (Online).,16(4), 55-63.

Yu, C., Binns, C. W., & Lee, A. H. (2019). The Early Introduction of Complementary (Solid) Foods: A Prospective Cohort Study of Infants in Chengdu, China. Nutrients, 11(4), 760.

Published

11/10/2020

How to Cite

MARQUES, V. G. P. da S. .; SILVA, M. P. B.; SOARES, I. L.; OLIVEIRA, B. de L. .; SOUSA, F. L. L. de .; SILVA, E. R. da; ROCHA, F. da S.; FAGUNDES, G. R. S.; SOUZA, C. S.; SANTOS, M. P. .; ALMEIDA, L. F. de; SOUSA, L. M. .; SILVA, P. I. de O.; CÂNDIDO, G. da S.; SILVA , J. V. da; BRITO, V. A.; SETÚBAL, A. S.; LIMA, M. W. H.; ALMEIDA , D. J. de; BRAGA, W. dos S.; SOUSA, J. G. da S. .; RESENDE, C. A. A.; SANTANA , B. B. de; SILVA , C. F.; CARVALHO, G. da S.; LIMA, M. S.; PEREIRA, L. O. R.; BRITO, K. M. de; SILVA, L. I. de L. P.; SILVA, S. de A.; FERREIRA, L. N. S.; MACHADO, M. D. de M. Factors that influence early weaning. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e6249108910, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8910. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8910. Acesso em: 8 aug. 2022.

Issue

Section

Review Article