Mobile apps and astronomy teaching

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8920

Keywords:

Astronomy teaching; Digital technologies; Mobile apps for astronomy.

Abstract

This article discusses the topics digital technologies and the teaching of astronomy and aims to partially describe an experiment carried out in a federal educational institution in the interior of Minas Gerais, involving 40 students of integrated technical education and presents the results of a survey carried out in internet sites, seeking to identify the ten most cited applications for astronomy. The students participated in workshops for observing the night sky with the naked eye, with telescopes and with the aid of two mobile applications for astronomy. The workshops took place once a week, on the institution's premises and outside of school hours. It is a qualitative study whose main data collection instrument was the participants' reports and observation. As a result, a large number of mobile applications for astronomy were identified, there was a good acceptance of this technology by the research participants and it was proved the contribution that this type of technology can add to the teaching of astronomy.

Author Biography

Cleonir Coelho Simões, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais

Professor of Basic,Technical and Technological Education of the subjects of Physics and Electronics in the Federal Institute of Minas Gerais, campus São João Evangelista.

 

References

Albrecht, E. & Voelzke, M. R. (2012) Análise comparativa entre os conteúdos de astronomia presentes nos PCN e nas propostas curriculares da Região Sul. Revista de Ensino de Ciências e Matemática, 3(3), 191-204

Albrecht, E. & Voelzke, M. R. (2016) Ensino de astronomia no ensino médio, uma proposta. Astronomy teaching in high school, a proposal. In: IV Simpósio Nacional de Educação em Astronomia, 1-12, Goiânia.

Anatel (2019) Brasil registra 228,64 milhões de linhas móveis ativas em maio de 2019. Recuperado de: https://www.anatel.gov.br/institucional/noticias-destaque/2310-brasil-registra-228-64-milhoes-de-linhas-moveis-ativas-em-maio-de-2019#:~:text=Mercado-,Brasil%20registra%20228%2C64%20milh%C3%B5es%20de%20linhas,ativas%20em%20maio%20de%202019&text=De%20acordo%20com%20n%C3%BAmeros%20divulgados,90%25)%20em%2012%20meses.

André, M. E. D. A. (2005) Estudo de caso em pesquisa e avaliação educacional. Brasília: Liberlivros.

Balduino, J. & Doia, A. (2019) Qual o papel do brincar frente ao fascínio pela tecnologia?. Portal IEDE, 2019. Recuperado de: https://www.portaliede.com.br/qual-o-lugar-do-brincar-frente-ao-fascinio-da-tecnologia/#:~:text=O%20brincar%20proporciona%20uma%20atitude,saberes%20e%20conhecimentos%20produzidos%20socialmente.

Bento, M. C. M & Cavalcante, R. S. (2013) Tecnologias móveis em educação: o uso do celular na sala de aula, Educação, Cultura e Comunicação, São Paulo, 4(7), 113-120, Jan./Jul. 2013.

Brasil (2018) Base Nacional Comum Curricular. Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Recuperado de: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf

Bretones, P. S. (2006) A astronomia na formação continuada de professores e o papel da racionalidade prática para o tema da observação do céu. Tese de Doutorado, Universidade de Campinas, São Paulo.

Carvalho, J. S., Oliveira, D.L., Souza, J. A. & Ramos, E. G. (2019) Efeitos do uso de TI móvel em sala de aula. Revista Pensamento Contemporâneo em Administração; Niteroi. 13(1), 169-184.

Carvalho, T. F. G. & Pacca, J. L. D. A. (2013) A importância da observação do céu no cotidiano escolar: o ponto de vista do professor. Simpósio Nacional de Ensino de Física, XX, São Paulo.

Costa, G. K. D. (2018) A observação do céu nos livros didáticos de ciências no Brasil. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

Coughlan, S. (2019) 1 em cada 4 jovens está viciado em celular, aponta estudo britânico. Recuperado de: https://www.bbc.com/portuguese/geral-50599245.

Coutinho, C. P. (2008) Web 2.0: uma revisão integrativa de estudos e investigações. Proceedings. Braga, Portugal: Universidade do Minho.

Falcão, P. M. & Mill, D. (2018) A criança e seu fascínio pelo mundo digital: o que o discurso nos revela. Tecnologia e Sociedade, 14 (30), 136-153.

Ferrarini, R.; Saheb, D. & Torres, P. L. (2019) Metodologias ativas e tecnologias digitais. Revista Educação em Questão, 57 (52).

Fraknoi, A. (2011) Astronomy apps for mobile devices, a first catalog. Astronomy Education Review, 10(1).

G1. (2018) Brasileiro é um dos campeões em tempo conectado na internet. Recuperado de: https://g1.globo.com/especial-publicitario/em-movimento/noticia/2018/10/22/brasileiro-e-um-dos-campeoes-em-tempo-conectado-na-internet.html.

Google play. (2018a) Carta Celeste. Recuperado de: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.escapistgames.starchart. Acesso em: 05 nov. 2018

Google play. (2018b) SkEye | Astronomy. Recuperado de: https://play.google.com/store/apps/details?id=com.lavadip.skeye.

Harshad, R. J. (2014) SkEye user manual - A how-to guide and reference for SkEye. Recuperado de: https://lavadip.com/skeye/media/v0_skeye_user_manual.pdf.

Kilbey, E. (2018) Como criar filhos na era digital. Editora Schwarcz-Companhia das Letras. Dissertação de Mestrado, Universidade de São Paulo, SP, Brasil.

Lattari, C. J. B. & Trevisan, R. H. (1999) Metodologia para o ensino de astronomia: uma abordagem construtivista. Atas do II Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências. Valinhos, SP: ABRAPEC.

Leite, B. S. (2017) Aplicativos para dispositivos móveis no ensino de astroquímica. Revista Debates em Ensino de Química, 3(1), 150-170.

Longhini, M. D. (2008) O conhecimento do conteúdo científico e a formação do professor das séries iniciais do ensino fundamental. Investigações em Ensino de Ciências, 13(2), 241-253.

Lourenço, P. & Afonso, A. S. (2012) Promover o questionamento durante as visitas de estudo a centros interativos de ciência: o que dizem os monitores experientes? Alexandria: Revista de Educação em Ciência e Tecnologia, 5(3), 3-23.

Macêdo, J. A. & Voelzke, M. R. (2014) O ensino de astronomia por meio de materiais interativos. Revista de Produção Discente em Educação Matemática. 3(2).

Magnus, E. B., Bassani, P. B. S. & Montardo, S. P. (2015) Aplicativos para dispositivos móveis: novas possibilidades para o desenvolvimento de coleção de moda. Moda Palavra e-periódico, 8(16), 163-181.

Marconi, M. A. & Lakatos, E. M. (2003) Fundamentos de metodologia científica. 5ª ed. São Paulo: Atlas.

Minayo, M. C. S. (org.). (2002) Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 21. ed. Petrópolis, RJ: Vozes.

Moraes, D. A. F. & Lima, C. M. (2019) A inter-relação do jovem adulto com os artefatos digitais na vida cotidiana: apropriações e implicações sociais, culturais e educacionais. Revista Educação e Cultura Contemporânea, 17(47), 32-49.

Moran, J. M. (1995) Novas tecnologias e o reencantamento do mundo. Tecnologia educacional, 23(126), 24-26.

Moran, J. M. (2007) As mídias na educação. Desafios na Comunicação Pessoal. 3ª ed. São Paulo: Paulinas, 162-166.

Mourão, R. R. F. (1987) Dicionário enciclopédico de astronomia e astronáutica. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Neves, B. G. B., Melo, R. S. & Machado, A. F. (2014) Universo Móvel: um aplicativo educacional livre para dispositivos móveis. Texto Livre: Linguagem e Tecnologia, 7(1), 34-48.

Odgers, C. (2018) Smartphones are bad for some teens, not all. Nature. February 22; 554(7693), 432–434.

O'Reilly, T. (2007) What is Web 2.0: Design patterns and business models for the next generation of software. Communications & strategies, (1), 17.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J. & Shitsuka, R. (2018) Metodologia da pesquisa científica.[e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1.

Pinheiro, P. P. (2019) Como educar os jovens da era digital. Direito digital aplicado, 2(2).

Santana, W. K. F., Cabral, A. A. & Da Nóbrega, M. B. (2019) Novas tecnologias de informação e comunicação e o caso específico do blog: contribuição para o sistema educacional escolar. Esferas, (13).

Silva, A. & Leite, C. (2019) Uma análise das atividades de observação do céu no Projeto “Ação conjunta de observação do equinócio de março”. Revista de Enseñanza de la Física, 31, 669-675.

Simões, C. C. & Voelzke, M. R. (2020) Ensino de astronomia e aprendizagem significativa: um olhar sobre o ensino técnico integrado. Research, Society and Development, 9(3).

Sobrinho, A. A. (2005) O olho e o céu: contextualizando o ensino de astronomia no nível médio. 87p. Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências Naturais e Matemática-Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Natal, Brasil.

Soler, D. R. (2012) Astronomia no currículo do estado de São Paulo e nos PCN: um olhar para o tema Observação do Céu. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo, SP, Brasil.

Timbane, S. A., Axt, M. & Alves, E. (2015) O celular na escola: vilão ou aliado. Nuevas Ideas en Informática Educativa. TISE. Sv. 768-773. Recuperado de: http://www.ufrgs.br/lelic/files_gerenciador_de_arquivos/artigo/2015/56/1452711749o_celular_na_escola_vilao_ou_aliado.pdf

Tozzi, V. V. & Schimin, E. S. (2014) Entendendo a astronomia através da história da humanidade. In: Cadernos, P. D. E. Os desafios da escola pública paranaense na perspectiva do professor PDE. 1.

Trogello, A. G., Neves, M. C. D. & Pilatti, L. A. (2012) Observação do céu noturno: um relato de experiência no ensino fundamental. Anais do III Simpósio Nacional de Ensino de Ciências e Tecnologia, Ponta Grossa, UTFPR, Paraná, Brasil.

Vandresen, A. S. R. (2011) WEB 2.0 e educação – usos e possibilidades. Anais do EDUCERE, 15. PUCPR, Paraná, Curitiba, Brasil.

Velloso. F. C. (2011) Informática: conceitos básicos. 8ª ed. - Rio de Janeiro: Elsevier.

Published

05/10/2020

How to Cite

SIMÕES, C. C.; VOELZKE, M. . R. Mobile apps and astronomy teaching. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e5089108920, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8920. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8920. Acesso em: 25 jun. 2022.

Issue

Section

Exact and Earth Sciences