Transfer of Health Care from a reference clinic to primary care: paths towards integrality

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8954

Keywords:

Transfer of health care; Cooperation between health care services; Integrality; Health Policy.

Abstract

This research was carried out in a pediatric outpatient clinic of a secondary and tertiary health care unit, in the state of Rio de Janeiro. The transfer of care is a set of actions aimed at guaranteeing the access of patients to primary care, the integrality between the levels of care through the cooperation between health care services in partnership with the health care network and with the Primary Care Units (PCUs) at patient’s neighborhood. Promoting and supervising the transfer of children form secondary to primary care becomes the general objective of this research. The results have shown that most transfers were successful and the difficulties reported by some managers are related to the underfunding of the PCUs. The transfers resulted in lower costs for the patients and increased offer of consultations at the outpatient clinic, increasing the access to the adequate level of health care according to the patient’s necessities, respecting SUS principles.

References

Bardin. L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Carnut, L. (2017). Cuidado, integralidade e atenção primária: articulação essencial para refletir sobre o setor saúde no Brasil. Saúde debate, 41(115), 1177-1186.

Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília: Senado Federal. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_ 03/constituicao/constituicao.htm

Brasil. (2018). Departamento de Atenção Básica. Teto, credenciamento e implantação das estratégias de Agentes Comunitários de Saúde, Saúde da Família e Saúde Bucal no estado do Rio de Janeiro. Recuperado de http://dab.saude.gov.br/po rtaldab/historico_cobertura_sf.php.

Fiocruz. (2019, agosto 7). Vice-Presidência de Pesquisa e Coleções Biológicas. Programa de Políticas Públicas e Modelos de Atenção e Gestão à Saúde (PMA). WebTV. Transferência de Cuidados de um Ambulatório de Referência para a Atenção Básica. [Arquivo de Vídeo]. Recuperado de https://youtu.be/oqAvyV1Y19U.

Fracolli, L. A., Zoboli, E. L. P., Granja, G. F., & Ermel, R. C. (2011). Conceito e prática da integralidade na Atenção Básica: a percepção das enfermeiras. Revista da Escola de Enfermagem da USP, 45(5), 1135-1141. Recuperado de https://dx.doi.org/10.1590/S0080-62342011000500015.

Inácio Filho, A. R. (2010). Aspectos da linha de cuidado desenvolvida a partir do ambulatório geral de pediatria do Instituto Fernandes Figueira. (Dissertação de Mestrado). Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira. Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

Júnior, F. B. (2014). Políticas de Saúde no Sistema Único de Saúde. In: M. I. S Bravo & J. S. B. Menezes (orgs). A Saúde nos Governos do Partido dos Trabalhadores e as Lutas Sociais Contra a Privatização. Rio de Janeiro: UERJ, Rede Sirius, 98 p.

Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União. Brasília.

Malta, D. C., Santos M. A.S., Stopa S. R., Viera J. E. B., Melo E. A. & Reis A. A. C. (2016). A Cobertura da Estratégia de Saúde da Família (ESF) no Brasil, segundo a Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Ciênc. saúde coletiva [Internet]. 21(2):327-338. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232016000200327&lng=en.http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015212.23602015.

Mattos, R. A. de. (2004). A integralidade na prática (ou sobre a prática da integralidade). Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 20(5), 1411-1416.

Mendes, E. V. (2010). As redes de atenção à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 15(5): 2297-2305.

Minayo, M. C. S. (2006). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 9 ed.revista e aprimorada. São Paulo: HUCITEC.

Moreira, M. E. L. & Goldani, M. Z. (2010). A criança é o pai do homem: novos desafios para área de saúde da criança. Ciência & Saúde Coletiva, 15 (2): 321-327.

Portaria nº 2.436, de 21 de setembro de 2017. Aprova a Política Nacional de Atenção Básica, estabelecendo a revisão de diretrizes para a organização da Atenção Básica, no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS). Diário Oficial da União, 22 set 2017; seção 1.

Soranz, D; Pinto, L. F. & Penna, G. O. l. (2016). Eixos e a Reforma dos Cuidados em Atenção Primária em Saúde (RCAPS) na cidade do Rio de Janeiro, Brasil. Ciênc. Saúde Coletiva, 21(5), 1327-1338. ISSN 1413-8123. Recuperado de http://dx.doi.org/10.1590/1413-81232015215.01022016.

Vidal, D. L. da C., Albernaz, A. L. G., Santos, A. R.., Pala, A. M., A, Moura, D. V., Marques, C. P. Saboia, A P A. & Silva, L. B. (2019). Tecnologia da transferência de nível de atenção: Compartilhando Saberes. Cartilha. IFF/FIOCRUZ.

Published

09/10/2020

How to Cite

VIDAL, D. L. da C.; SANTOS, A. R. dos; PALA, A. M. .; SILVA, L. B.; ALBERNAZ, A. L. G.; MARQUES , C. P.; VIEIRA, D. de M. Transfer of Health Care from a reference clinic to primary care: paths towards integrality . Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e5909108954, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8954. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8954. Acesso em: 26 jun. 2022.

Issue

Section

Health Sciences