Global disease burden: use in health planning in the State of Rio Grande do Sul

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8987

Keywords:

Global burden of disease; Health planning; Health management.

Abstract

The objective of this article is to present the experience and the results of adopting the Global Burden of Disease (CGD) approach in Health Planning in the State of Rio Grande do Sul (RS), Brazil, specifically for the 2020-2023 Health Plan. Methodology: The CGD is calculated with secondary data and population studies and it shows health loss due to diseases, injuries and risk factors by age, sex, year and place. Our source was the data available in the Institute for Health Metrics and Evaluation website, from the University of Washington. We developed a descriptive analysis of the RS data for the Health Plan. Results: Analyzing the Global Burden of Disease of the State of RS by Disability Adjusted Life Years (DALYs) from 1990 to 2017, we noticed an increase in chronic conditions. Despite the contributions of the approach, some challenges were identified, such as the difficulty of understanding of this content by non-specialists and the need to let the information available by Brazilian Health Regions. Conclusions: The potential of adopting the Global Burden of Disease is pointed out to identify possible paths for health planning and decision-making, as well as the challenge for SUS management to translate, in the priority goals of the planning and management instruments, the health demands identified from the GCD.

Author Biographies

André Luis Alves de Quevedo, Secretaria Estadual de saúde do Rio Grande do Sul

Especialista em Saúde - Enfermeiro, na Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul, lotado na Assessoria Técnica e de Planejamento (ASSTEPLAN). Possui Mestrado em Epidemiologia pelo Programa de Pós-Graduação em Epidemiologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPG Epidemiologia/UFRGS) (2015), Graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Pelotas (2010), Residência em Atenção Básica em Saúde Coletiva - Enfermagem - pelo Programa de Residência Integrada em Saúde, da Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (ESP/RS) (2013), Especialização em Avaliação em Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca (ENSP/Fiocruz-RJ) (2015), Especialização em Avaliação de Tecnologias em Saúde pelo Instituto de Avaliação de Tecnologias (IATS/UFRGS) (2015), Especialização em Economia da Saúde pelo Instituto de Patologia Tropical e Saúde Pública da Universidade Federal de Goiás (UFG) (2018), Especialização em Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (2019). Atualmente graduando em Ciências Jurídicas e Sociais (UFRGS). Tem experiência na área de Saúde Coletiva, atuando principalmente nos seguintes temas: Sistema Único de Saúde (SUS), políticas públicas de saúde, epidemiologia e avaliação em saúde.

Ana Paula de Carvalho, Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Biomedicina pela Universidade Luterana do Brasil, Campus Cachoeira do Sul (2013), Especialização em Biomedicina Estética pelo Núcleo de Estudos e Treinamento Ana Carolina Puga (2016), Especialização em Residência Integrada Multiprofissional em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2017). Atualmente é residente pelo Programa de Gestão em Saúde da Escola de Saúde Pública da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul.

Bruna Campos De Cesaro , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Fonoaudióloga. Mestre em Saúde Coletiva pelo Programa de Pós-Graduação Saúde Coletiva da UFRGS; servidora pública - especialista em saúde, na Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. Possui especialização em Gestão de Redes de Atenção à Saúde pela Fiocruz/RJ e em Formação Integrada Multiprofissional em Educação Permanente em Saúde pela UFRGS. Graduada em Fonoaudiologia pela Fundação Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre - UFCSPA. Membro titular do Comitê de Ética em Pesquisa da Secretaria Estadual de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul (CEPS - EPS/RS). Atuou como Ouvidora / Diretora da Ouvidoria da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul de 2019 a 2020.

Camila Guaranha , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Doutoranda em Psicologia Social e Institucional na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), Mestre em Psicologia Social e Institucional pela UFRGS (2014), Especialista em Gestão Pública pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (2018), Especialista em Saúde Coletiva pela Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (2008), Psicóloga graduada na UFRGS (2006). Experiência na área de Psicologia Social, Saúde Coletiva, Saúde Mental, Relações de Gênero e Sexualidade e Gestão em Saúde.

Carla Cristina Santos dos Santos, Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2012) e Especialização em Gestão Pública em Serviços em Saúde pela Faculdade Internacional Signorelli (2018). Atualmente é Especialista em Saúde - Contabilidade do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Cristian Fabiano Guimarães , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Psicólogo, Doutor em Psicologia Social e Institucional pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS, Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS e Residência Multiprofissional em Saúde Mental Coletiva na Escola de Saúde Pública-RS. Atualmente desenvolve atividades de docência em Instituições de Ensino Superior para cursos de Graduação e Pós-graduação latu e stricto sensu no Brasil e no exterior. Pesquisador do núcleo de Saúde Coletiva/Saúde Pública da IMED. Diretor Assessoria Técnica e de Planejamento - ASSTEPLAN / Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul.

Cristiane Fischer Achutti, Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade La Salle - Canoas (2004) e Especialização em Gestão Pública pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Atualmente servidora pública no cargo de especialista em saúde, na função de contadora, na Assessoria Técnica e de Planejamento (ASSTEPLAN) da Secretaria de Saúde do Governo do Estado do Rio Grande do Sul.

Fernanda Duarte Mergel , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Administração - Empreendedorismo e Sucessão pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2012). Em decorrência do desempenho acadêmico obteve a Láurea Acadêmica, o Destaque e a Distinção. Foi professora voluntária de empreendedorismo no Projeto Pescar por dois anos. Já atuou como examinadora voluntária do PGQP. Tem formação em inglês avançado pelo ICBNA. Atualmente é Especialista em Saúde na Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de Administração, com ênfase em Estratégia Empresarial

Guilherme Silva de Farias, Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011), Residência pelo Programa de Vigilância em Saúde da Escola de Saúde Pública do Rio Grande do Sul (2019). Atualmente é residente pelo Programa de Gestão em Saúde da Escola de Saúde Pública da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. Atua na área de Saúde do Trabalhador.

Gustavo Cascardi , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Administrador registrado no CRA, com pós-graduação e cursos complementares na área de gestão e no exterior. Possui experiência, dentre outras, na área de consultoria em gestão. Atualmente Especialista em Saúde na Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul.

Karen Chisini Coutinho, Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Enfermeira graduada pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) (2011). Mestranda em Enfermagem pelo Programa de Pós-Graduação da Escola de Enfermagem da UFRGS. Especialização em Enfermagem de Urgências e Emergências Adulto e Pediátrica pela UFRGS (2013), Especialização em Enfermagem em Saúde da Família pela Universidade de Brasília (UnB/UNASUS) (2015) e Especialização em Gestão do Trabalho e Educação na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) (2019). Membro do Grupo de Pesquisa em Envelhecimento e Enfermagem (GPEEN) da UFRGS. Especialista em Saúde na Assessoria Técnica e Planejamento (ASSTEPLAN) da Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul (SES/RS).

Marilia Canterle Gonçalves , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Maria (2009). Tem experiência na área de Arquitetura e Urbanismo. Atualmente é Especialista em Saúde na Secretaria Estadual de Saúde do Rio Grande do Sul. 

Marina do Amaral Schenkel , University College Dublin

Mestra em Políticas Públicas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (PPGPP/UFRGS). Graduada em Políticas Públicas pela mesma universidade, tendo obtido título de Láurea Acadêmica. Foi bolsista de Iniciação Científica na UFRGS (2013), estagiária na Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul (2013-2014), assistente de pesquisa no Grupo de Trabalho de Avaliação de Políticas Públicas do Centro de Estudos Internacionais sobre Governo - CEGOV (2016-2017) e bolsista de mestrado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). Atualmente é Mestranda em Social Data Analytics pela University College Dublin, Irlanda. Principais áreas de atuação: formulação, gestão, monitoramento e avaliação de políticas públicas; saúde coletiva.

Priscila Farfan Barroso , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Bacharelada (2009) e Licenciada (2010) em Ciências Sociais pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Mestra em Antropologia Social pela UFRGS (2013) e Doutora pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2020). Entre 2018 e 2019, foi contemplada com bolsa PDSE-Capes para realizar mobilidade acadêmica no Centre de Recherche Médecine, Science, Santé et Société - CERMES 3, na França. Tem experiência na área de Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana e da Imagem, Antropologia do Trabalho e Antropologia da Saúde. É parecerista de revistas acadêmicas relevantes na área de atuação. O foco atual é o estudo de Políticas Públicas sobre Drogas e Saúde Pública.

Renata Varela , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Possui graduação em Ciência da Computação pela Universidade de Passo Fundo (2000); pós-graduação lato sensu em Banco de Dados pela Universidade Gama Filho do Rio de Janeiro (2010). Atualmente é especialista em saúde na Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul. Tem experiência na área de análise de sistemas, programação e instrumentos de gestão em saúde pública.

Richer Rodrigues Ribeiro , Secretaria Estadual da Saúde do Rio Grande do Sul

Atualmente, além de cursar Bacharelado em Políticas Públicas na UFRGS, realiza estágio curricular não obrigatório na Secretaria Estadual de Saúde na Assessoria de Gestão e Planejamento, é vinculado ao Projeto de Extensão Contraponto - Debatendo política nas escolas e também é vinculado ao PET (Programa de Educação Tutorial) Conexões - Participação e Controle Social em Saúde.

References

(2017). Estudo de carga global de doença 2015: resumo dos métodos utilizados. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20(supl. 1), 4-20. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700050002

Brasil (2020). DATASUS. População residente - estudo de estimativas populacionais por município, idade e sexo 2000-2019 - Brasil. Recuperado de http://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?popsvs/cnv/popbr.def

Brasil (2016). Ministério da Saúde. Manual de planejamento no SUS. Ministério da Saúde, Fundação Oswaldo Cruz. 1. ed., rev. Brasília: Ministério da Saúde. (Série Articulação Interfederativa; v. 4). Recuperado de http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/articulacao_interfederativa_v4_manual_planejamento_atual.pdf

Brasil (2011). Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Decreto nº 7.508, de 28 de junho de 2011. Regulamenta a Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990, para dispor sobre a organização do Sistema Único de Saúde - SUS, o planejamento da saúde, a assistência à saúde e a articulação interfederativa, e dá outras providências. Brasília/DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2011-2014/2011/Decreto/D7508.htm

Brasil (1990). Presidência da República. Casa Civil. Subchefia para Assuntos Jurídicos. Lei nº 8.142, de 28 de dezembro de 1990. Dispõe sobre a participação da comunidade na gestão do Sistema Único de Saúde (SUS) e sobre as transferências intergovernamentais de recursos financeiros na área da saúde e dá outras providências. Brasília/DF. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8142.htm

Carvalho, A. L. B., Souza, M. F., Shimizu, H. E., Senra, I. M. V. B. & Oliveira, K. C. (2012). A gestão do SUS e as práticas de monitoramento e avaliação: possibilidades e desafios para a construção de uma agenda estratégica. Ciência & Saúde Coletiva, 17(4), 901-911. https://doi.org/10.1590/S1413-81232012000400012

Fleury, S. & Ouverney, A. (2012). O sistema único de saúde brasileiro: Desafios da gestão em rede. Revista de Gestão dos Países de Língua Portuguesa, 11(2-3), 74-83. Recuperado de http://www.scielo.mec.pt/pdf/rpbg/v11n2-3/v11n2-3a07.pdf

IHME (2013). Institute for Health Metrics and Evaluation. Carga de Doença Global: gerando evidências, política de orientação. Seattle, WA: IHME. Recuperado de http://www.healthdata.org/sites/default/files/files/policy_report/2013/GBD_GeneratingEvidence/IHME_GBD_GeneratingEvidence_FullReport_PORTUGUESE.pdf

Institute for Health Metrics and Evaluation. Global Burden Disease. Compare. Viz Hub. Recuperado de https://vizhub.healthdata.org/gbd-compare/

Marinho, F. A. P. & et al. (2018). Burden of disease in Brazil, 1990–2016: a systematic subnational analysis for the Global Burden of Disease Study 2016. Lancet, 392(10149), 760-775. doi: 10.1016/S0140-6736(18)31221-2

Marinho, F., Passos, V. M. A. & França, E. B. (2016). Novo século, novos desafios: mudança no perfil da carga de doença no Brasil de 1990 a 2010. Epidemiologia e Serviços de Saúde, 25(4), 713-724. https://dx.doi.org/10.5123/S1679-49742016000400005

Malta, D. C., França, E., Abreu, D. M. X., Perillo, R. D., Salmen, M. C., Teixeira, R. A., Passos, V., Souza, M. F. M., Mooney, M. & Naghavi, M. (2017a). Mortality due to noncommunicable diseases in Brazil, 1990 to 2015, according to estimates from the Global Burden of Disease study. Sao Paulo Medical Journal, 135(3), 213-221https://doi.org/10.1590/1516-3180.2016.0330050117

Malta, D. C., Felisbino-Mendes, M. S., Machado, I. E., Passos, V. M. A., Abreu, D. M. X., Ishitani, L. H., Velásquez-Meléndez, G., Carneiro, M., Mooney, M. & Naghavi, M. (2017b). Fatores de risco relacionados à carga global de doença do Brasil e Unidades Federadas, 2015. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20 (supl. 1), 217-232. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700050018

Matos, F. S., Passos, R. S., Boery, E. N., Vilela, A. B. A., Nery, A. A. & Martins-Filho, I. E. (2018). Perfil dos conselheiros e seu conhecimento em relação ao Conselho Municipal de Saúde: Revisão Integrativa. Revista Saúde.Com, 14(4), 1298-1302. https://doi.org/10.22481/rsc.v14i4.4443

Mendes, E. V. (2010). As redes de atenção à saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 15(5), 2297-2305. http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232010000500005

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J. & Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Rio Grande do Sul (2016). Secretaria da Saúde. Plano Estadual de Saúde: 2016/2019. Grupo de Trabalho de Planejamento, Monitoramento e Avaliação da Gestão (Org.). Porto Alegre, 2016. 228 p. Il. Recuperado de https://saude.rs.gov.br/upload/arquivos/201701/05153251-pes-2016-2019-sesrs.pdf

Saliba, N. A., Moimaz, S. A. S., Ferreira, N. F. & Custódio, L. B. M. (2009). Conselhos de saúde: conhecimento sobre as ações de saúde. Revista de Administração Pública, 43(6), 1369-1378. https://doi.org/10.1590/S0034-76122009000600007

Souza, M. F. M., França, E. B. & Cavalcante, A. (2017). Carga da doença e análise da situação de saúde: resultados da rede de trabalho do Global Burden of Disease (GBD) Brasil. Revista Brasileira de Epidemiologia, 20(supl. 1), 1-3. https://doi.org/10.1590/1980-5497201700050001

Quevedo, A. L. A., Bagatini, C. L. T., Bellini, M. I. B., Machado, R. Z. & Guaranha, C. (2017). Determinantes e condicionantes sociais: formas de utilização nos Planos Nacional e estaduais de saúde. Trabalho, Educação e Saúde, 15(3), 823-842. https://doi.org/10.1590/1981-7746-sol00085

Published

07/10/2020

How to Cite

QUEVEDO, A. L. A. de .; CARVALHO, A. P. de .; CESARO , B. C. D. .; GUARANHA , C. .; SANTOS, C. C. S. dos; GUIMARÃES , C. F.; ACHUTTI, C. F. .; MERGEL , F. D. .; FARIAS, G. S. de .; CASCARDI , G. .; COUTINHO, K. C.; GONÇALVES , M. C. .; SCHENKEL , M. do A. .; BARROSO , P. F. .; VARELA , R. .; RIBEIRO , R. R. . Global disease burden: use in health planning in the State of Rio Grande do Sul. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e5429108987, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8987. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8987. Acesso em: 8 aug. 2022.

Issue

Section

Health Sciences