Perception of teachers from the state network of the Municipality of São João da Barra - RJ about the use of Google Classroom in emergency remote education

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9023

Keywords:

Emergency remote teaching; Covid-19; Google classroom.

Abstract

Emergency Remote Teaching (ERT) has the main objective of providing temporary access to the teaching and learning process with the support of Digital Technologies (DT) reliably, during an emergency or crisis.  In this sense, a survey was carried out with teachers from the state public network in the municipality of São João da Barra, in the interior of Rio de Janeiro, to investigate the perception of teachers about the use of the Google Classroom platform during the ERT period.  The research was developed according to a qualitative approach and was exploratory.  This article aims to present an analysis of the data collected through an online questionnaire.  The results signaled that a Google Classroom platform was well accepted in the view of the teachers participating in the research.  Some positive and negative points were observed by the teachers.  The positive aspects were corrected to the possibility of the student maintaining the link with the school, an interaction between teacher and student through DT and an excellent junction between education and technology, a bridge that seeks to facilitate the understanding and consequent student learning.  The negative points were the students who do not have access to the teaching platform in a social exclusion because they do not have computers, the lack of internet by many students, the lack of maturity and commitment in this type of education and of not yet feeling comfortable recording video.

Author Biographies

Flávia Cristina dos Santos Silva, Secretaria de Estado de Educação

Licenciada em História pela Universidade Salgado de Oliveira Campus Campos dos Goytacazes (2006), especialista em Docência no Século XXI pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Fluminense Campus Campos-Centro (2014). Professora de História efetiva (2013) do Ensino Médio Regular e da modalidade EJA (Educação de Jovens e Adultos - Ensino Médio) da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro. Além disso, habilitada em Sociologia, leciona no Ensino Médio Regular na Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro desde 2013.

Gilmara Teixeira Barcelos Peixoto, Instituto Federal Fluminense

Doutora em Informática na Educação pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2011), mestre em Engenharia de Produção pela Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (2004) e possui graduação em Licenciatura em Ciências - Habilitação em Matemática pela Faculdade de Filosofia de Campos (1988). Professora titular do Mestrado em Ensino e suas Tecnologias. Segunda secretária da Sociedade Brasileira de Educação Matemática - Regional Rio de Janeiro (2019-2021). Membro do conselho editorial científico da revista Vértice (IFF) e do comitê editorial da Revista Novas Tecnologias na Educação RENOTE (UFRGS). Editora da seção de Ensino da Revista Princípia (IFPB).Desenvolve pesquisas área de Ensino de Matemática e Informática na Educação, atuando principalmente nos seguintes temas: Ensino Híbrido, Formação de Professor e Tecnologias Digitais. https://orcid.org/0000-0002-5088-6511 (Texto informado pelo autor)

References

Araújo, H. M. C. (2016). Uso das ferramentas do aplicativo Google Sala de Aula no Ensino de Matemática. Repositório UFG, Catalão. Recuperado de https://repositorio.bc.uf g.br/tede/browse?type=author&value=Ara%C3%BAjo%2C+Helenice+Maria+Costa

Bacich, L. & Morán, J. (2015). Aprender e ensinar com foco na educação híbrida. Revista Pátio. Recuperado de http://www2.eca.usp.br/moran/wp-content/uploads/2015/07/hibrida.pdf

Bacich, L., Tanzi Neto, A., & Trevisani, F. M. (2015). Ensino híbrido: Personalização e tecnologia na educação. Penso: Porto Alegre.

Brasil. Decreto Nº 9.057, DE 25 DE MAIO DE (2020b). Recuperado de https://www.in.gov.br/materia/-/asset_publisher/Kujrw0TZC2Mb/content/id/20238603/do1-2017-05-26-decreto-n-9-057-de-25-de-maio-de-2017-20238503

Brasil, Ministério da Saúde (2020a). Resposta nacional e internacional de enfrentamento ao novo coronavírus. Recuperado de https://coronavirus.saude.gov.br/linha-do-tempo/

Cetic, br. TIC Educação (2019). Três em cada quatro brasileiros já utilizam a Internet, aponta pesquisa TIC Domicílios 2019. Recuperado de https://cetic.br/pt/noticia/tres-em-cada-quatro-brasileiros-ja-utilizam-a-internet-aponta-pesquisa-tic-domicilios-2019/

Conjuve, Conselho Nacional de Juventude (2020). Pesquisa Juventudes e a Pandemia do Coronavírus. Recuperado e https://4fa1d1bc-0675-4684-8ee9-031db9be0aab.filesusr .com/ugd/f0d618_41b201dbab994b44b00aabca41f971bb.pdf

Gerhardt, T. E., & Silveira, D. T. (2009). Métodos de pesquisa. Rio Grande do Sul: Plageder.

Gil, A. C. Conselho e técnicas de pesquisa social (2008). (5a ed.), São Paulo: Atlas S.A.

Google Meet. Prévia da App Store (2020). Recuperado de https://apps.apple.com/br/app/g oogle-meet/id1013231476

Hodges, C., et al. (2020). A diferença entre ensino remoto de emergência e aprendizado on-line. Recuperado de https://er.educause.edu/articles/2020/3/the-difference-between-emergency-remote-teaching-and-online-learning

Lévy, P. (1999). Cibercultura. São Paulo.

Luthra, P. (2020). Uma oportunidade para reinventar a escola. Recuperado de https://pt.unesco.org/courier/2020-3/uma-oportunidade-reinventar-escola

Morán, J. (2015). Educação Híbrida: um conceito-chave para a educação, hoje. In: Bacich, L., Tanzi N. A., & Trevisani, F. M. (Org.). Ensino Híbrido: personalização e tecnologia na educação. Porto Alegre: Penso, 103-122, 2015.

Morán, J. (2017). Mudando a educação com metodologias ativas. In: Souza, C. A. de; Morales, O. E. T. (Org.). Convergências Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens (Coleção Mídias Contemporâneas), v. 2. Ponta Grossa: UEPG/PROEX, 15-33.

Morán, J. (2020). A culpa não é do on-line: contradições na educação evidenciadas pela crise atual. Recuperado de https://porvir.org/a-culpa-nao-e-do-online-contradicoes-na-educacao-evidenciadas-pela-crise-atual/

Nova Escola (2020). A situação dos professores no Brasil durante a pandemia. Revista Nova Escola. Recuperado de https://nova-escola-producao.s3.amazonaws.com/ME WKNnJz3TJ8kKd7UhRpCuVcR95vP4VAEk83JtQSe4cferz85NnUvehrccET/ne-pesquisa-professor-final-1.pdf

Ribeiro, A. E. (2020). Que futuros redesenhamos? Uma releitura do manifesto da Pedagogia dos Multiletramentos e seus ecos no Brasil para o século XXI. Recuperado de http://natal.uern.br/periodicos/index.php/DDL/article/view/2196

Rio de Janeiro (2020a). Atividades com plataforma online têm início nessa segunda. Recuperado de http://www.rj.gov.br/NoticiaDetalhe.aspx?id_noticia=5725

Rio de Janeiro (2020b). Controle Interno SEEDUC/ SEI Nº22, Rio de Janeiro, 05 de abril de 2020. Orientações Pedagógicas em relação à Plataforma Google for Education e ao conjunto de ferramentas que a compõem, em especial o Google Classroom.

Sá F. P., & Gomes, R. M. M. (2019). Tecnologias Digitais e Usabilidades no Ensino a Distância. Revista Universidade Federal Goiano – Revista UFG, 19, 1-13. Goiânia. Recuperado em https://www.revistas.ufg.br/revistaufg/article/view/61452

Schiehl, E. P., & Gasparini, I. (2016) Contribuições do Google Sala de Aula para o Ensino Híbrido. Revista Novas Tecnologias na Educação - Renote, 14(2), 1-10 UFRGS. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/renote/article/view/70684

Silva, F. C. S., & Barcelos, G. T. (2017). Sala de Aula Invertida: uso do Google Classroom no estudo de História. In: Congresso Integrado Da Tecnologia Da Informação, 9., dez. 2017, Campos dos Goytacazes. Anais... IFF Campos dos Goytacazes, Essentia Editora, 2017. pp. 1-10. Recuperado de http://essentiaeditora.iff.edu.br/index.php/citi/article/view/11284

Valente, J. A. (2014a). A Comunicação e a Educação baseada no uso das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação. Revista UNIFESO – Humanas e Sociais, 1(1), 141-166. Recuperado de http://www.revista.unifeso.edu.br/index.php/revistaunifesohumanasesociais /article/view/17

Valente, J. A. (2014b). Blended learning e as mudanças no ensino superior: a proposta da sala de aula invertida. Educar em Revista, Curitiba, (4), 79-97, Edição especial. Recuperado de https://revistas.ufpr.br/educar/article/view/38645/24339

Vygotsky, L. S. (2007). A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. (7a ed.), São Paulo: Martins Fontes.

Published

09/10/2020

How to Cite

SILVA, F. C. dos S.; PEIXOTO, G. T. B. Perception of teachers from the state network of the Municipality of São João da Barra - RJ about the use of Google Classroom in emergency remote education. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e5729109023, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.9023. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9023. Acesso em: 25 jun. 2022.

Issue

Section

Education Sciences