What is the High School discent understanding about the evolutionary process? An analysis carried out at a public school of the federal network

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9025

Keywords:

Evolution; Understanding; Biology teaching.

Abstract

The biodiversity of organisms is the result of biological evolution. Evolutionary processes are intertwined with the most varied areas of biology, which demonstrates the importance of this knowledge for the understanding of innumerable biological phenomena. Despite this, it is notorious in several situations, the difficulty of students in understanding the main aspects of the evolutionary process. This work had as objective to analyze the conceptions about the evolutionary process of the students of the integrated technical high school of a public school of the federal network. 137 students participated in this research, being interviewed through a questionnaire composed of seven items. The results demonstrate that the students incorrectly associate the evolutionary process with the terms: improvement, progress or complexity, in addition to having difficulties in associating evolution with other areas of biology. It is recommended that the contents to be taught during this stage of basic education occur in an articulated manner, in order to reduce the difficulties mentioned.

Author Biographies

Kaydsy Natiely Conceição Bezerra, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Licenciada em Biologia no Instituto Federal de Educação Ciências e Tccnologia do Maranhão, Campus Buriticupu. 

Rogério Soares Cordeiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Baiano

Professor EBTT  de Biologia- do Instituto Federal Baiano, Campus Bom Jesus da Lapa. 

Elson Silva de Sousa, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Professor - EBTT de Biologia do Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia, Campus Buriticupu. 

Artemisa Nazaré Costa Borges, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Professora - EBTT de Biologia do Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia do Maranhão - Campus Buriticupu.

Reinaldo Lucas Cajaiba, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão

Professor - EBTT de Biologia do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do MAranhão, Campus Buriticupu. 

Jesuino da Silva Costa Martins, IFMA - CAMPUS BURITICUPU

Professor - EBTT de Biologia do Instituto Federal de Educação, Ciências e Tecnologia do Maranhão , Campus Buriticupu. 

References

Almeida, A. V. & Falcão, J. T. R. A. (2010). As teorias de Lamarck e Darwin nos livros didáticos de biologia no Brasil. Ciência & Educação,16(3), 649-665.

Almeida, A. V. & Falcão, J. T. R. A. (2005). Estrutura Histórico-Conceitual dos Programas de Pesquisa de Darwin e Lamarck e sua Transposição para o Ambiente Escolar. Ciência & Educação,11(1),17-32.

Almeida, D. F. (2012). Concepções de alunos do ensino médio sobre a origem das espécies. Ciências&Educação,18(1),143-154.

Baptista, G. C. S. (2014). Do cientificismo ao diálogo intercultural na formação do professor e ensino de ciências. Interações, 31(1), 28-53.

Bardin, L. (2016). Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70 LDA.

Bizzo, N. M. V.; Sano, P. T. & Monteiro, P. H. N. (2016). Registros escritos do conhecimento mútuo entre Gregor Mendel e Charles Darwin: uma proposta para trabalho em sala de aula com história contrafactual da ciência e didática invisível. Genética na Escola, 11(1), 294-309.

Brasil. (2018). Base Nacional Comum Curricular: Ensino Médio. Brasília: MEC/Secretaria de Educação Básica.

Brasil. (2018). Orientações Curriculares para o Ensino Médio: Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias: Ministério da Educação – MEC, Secretaria de Educação Básica

Brasil. (2002). Parâmetros Curriculares Nacionais: Ensino Médio. Brasília: MEC/SEB,

Breunig, E. T., Amaral, A. S., & Goldschmidt, A. I. (2019). Imagens dos cientistas Jean-Baptiste de Lamarck e Charles Darwin: o que alunos concluintes do ensino médio sabem sobre eles?. Ensino em Re-Vista, 26(2), 366-389.

Cordeiro, R. R., Araújo, S. C. C., Morini, M. S. C., & Wuo, M. (2018). Filogenia: abordagem tridimensional e representações dos alunos da 3ª série do ensino médio. Revista Prática Docente, 3(2), 519-538.

Cordeiro, R. R., Morini, M. S. C., Frenedozo, R. C., & Wuo, M. (2018). Abordagem de Sistemática Filogenética com Ênfase em Biodiversidade nos Livros Didáticos. Acta Scientiae, 20(4), 610-625.

Costa, M. F., Schwantes, M. E., & Scur, L. (2019). Estratégia diferenciada para o ensino de evolução: Relato de uma oficina do MUCS. Scientia cum Industria, 7(1), 7-11.

Cruz, E. A. L., Silva, J. W. S., Silva, C. G., Souza, H. M. L., & Nunes, J. R. S. (2015). O ensino de biologia no ensino médio em uma escola periférica no município de Tangará da Serra - MT. EDUCERE - Revista da Educação, 15(2), 355-368.

Dell Antonio, B. M., & Caldara Junior, V. (2018) Os princípios de Darwin na consolidação dos conteúdos de evolução do ensino médio. Ensino, Saúde e Ambiente, 11(1) p. 103-124.

Flores, A. L. Z. D., & Pigatto, A. G. S. (2020). O ensino de evolução das plantas na perspectiva dos documentos norteadores da educação brasileira. Revista Diálogos em Educação, 1(1), 196-207.

Futuyma, D. J. (2002). Biologia Evolutiva. Ribeirão Preto: Sociedade

Brasileira de Genética.

Gould, S. J. (2002). The Structure of Evolutionary theory. EUA: Harvard University Press.

Hanley, P., Bennett, J., & Ratcliffe, M. (2014). The Inter-relationship of Science and Religion: a typology of engagement. International Journal of Science Education, 36(7), 210-229.

Harrison, R. G. (2001). Book review. Nature.

Lignani, L. B., & Azevedo, M. J. C. (2015). Aceitar o fato e questionar as teorias: desafios para o ensino da evolução. Ciência Hoje, 55(326), 32-35.

Mello, A. C. (2008). Evolução biológica: concepções de alunos e reflexões didáticas. Dissertação (Mestrado em Educação em Ciências e Matemática). Faculdade de Física, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 114f.

Nascimento, N.C. & Almeida, R.O. (2019). As posturas de estudantes do ensino médio diante de um tema que gera conflito entre ciência e crença: a origem da vida. Revista de Ensino de Biologia da SBEnBio, 12, (1), 95-114.

Oliveira, C.L.C.; Menezes, M.C.F.& Duarte, O.M.P. O ensino da teoria da evolução em escolas da rede pública de Senhor do Bonfim: análise da percepção dos professores de ciências do ensino fundamental II. Revista Exitus, 7(3), 172-196.

Oliveira, G. S. & Bizzo, N.M.V. (2017). Origem e evolução humana na concepção de jovens estudantes brasileiros do Ensino Médio. Revista de Educação, Ciência e Cultura, 22(2), 45-55.

Oliveira, G. S. & Bizzo, N. M. V. (2011). Aceitação da evolução biológica: atitudes de estudantes do ensino médio de duas regiões brasileiras. Revista Brasileira de Pesquisa em Educação em Ciências, 11(1), p.57-79.

Pegorato, A., Soares, L. G., Rizzon, M. Z., Molin, E. D., Fernandes, F. M., Lovato, L. B., & Cunha, G. F. (2016). A importância do ensino de evolução para o pensamento crítico e científico. Revista Interdisciplinar de Ciências Aplicada, 2(2), 10-15.

Pereira, A. S. (2018). Metodologia da pesquisa científica. Sant Maria: UFSM.

Ridley, M. (2006). Evolução. Porto Alegre: Artmed.

Rodrigues, M. E., Justina, L. A. D., & Meglhioratti, F. A. (2011). O conteúdo de sistemática e filogenética em livros didáticos do ensino médio. Revista Ensaio, 13(2), 65-84.

Rodrigues, W. G., & Clementino, P. P. (2014). O Ensino da Teoria Evolucionista na Perspectiva dos Professores de Ciências da Rede Adventista de Ensino. Revista Formadores: vivências e estudo, 7(3), 5-27.

Roma, V. N. (2011). Os livros didáticos de biologia aprovados pelo programa nacional do livro didático para o ensino médio (PNLEM 2007/2009): a evolução biológica em questão. (Dissertação de Mestrado em Ensino de Ciências. Universidade de São Paulo, São Paulo).

Roque, I. R. (2003). Sobre girafas, mariposas, corporativismo científico e anacronismos didáticos. Ciência Hoje, 34(200), 64-67.

Santos, C. M. D., & Calor, A. R. (2007). Ensino de biologia evolutiva utilizando a estrutura conceitual da sistemática filogenética. Ciência & Ensino, 2(1), 2007, 1-8.

Santos, S., & Bizzo, N. (2000). O ensino e a aprendizagem de Evolução Biológica no cotidiano da sala de aula. In: VII Encontro Perspectivas do Ensino de Biologia. Anais. São Paulo: Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo.

Sepúlveda, C., & El-Hani, C. N. Quando visões de mundo se encontram: religião e ciência na trajetória de formação de alunos protestantes de uma licenciatura em ciências biológicas. Investigações em Ensino de Ciências, 9(2), 137-175.

Sousa, E. S., Cordeiro, R. S., Martins, J. S. C., Sousa, E. S., Cajaíba, R. L. C., Pereira, M. S. B. P., Pereira, K. S. P., & Sousa, V. A. Análise de imagens sobre Evolução Humana por Estudantes de Ensino Médio. Brazilian Journal of Development, 6(9), 71324-71343.

Tidon, R., & Lewontin, R. C. (2004). Teaching evolutionary biology. Genetics and Molecular Biology, 27(1), 124-131.

Tidon, R., & Vieira, E. O ensino da Evolução Biológica: um desafio para o século XXI. ComCiência:revista eletrônica de jornalismo científico, 107(1). Recuperado de http:www.conciência.com.br.

Zamberlan, E. S. J., Silva, M. R. (2012). O Ensino de Evolução Biológica e sua Abordagem em Livros Didáticos. Educação e Realidade, 37(1),187-212.

Published

08/10/2020

How to Cite

BEZERRA, K. N. C.; CORDEIRO, R. S.; SOUSA, E. S. de .; BORGES, A. N. C. .; CAJAIBA, R. L. .; MARTINS, J. da S. C. What is the High School discent understanding about the evolutionary process? An analysis carried out at a public school of the federal network. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e5579109025, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.9025. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9025. Acesso em: 28 jun. 2022.

Issue

Section

Education Sciences