Malaria in the Amazon region: analysis of epidemiological indicators essential to control

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9283

Keywords:

Epidemiological survey; Malaria; Malarial infection; Amazon region.

Abstract

The present study aimed to analyze the epidemiological profile of Malaria in the Amazon Region. This is an epidemiological, retrospective and descriptive study of a population nature, using secondary data, in which a survey of notified cases of Malaria in the Amazon Region, from 2010 to 2019, obtained in the Information System was carried out. of Notifiable Diseases (SINAN). Assessing aspects related to confirmed cases according to 1st year symptom (s), states of the Amazon Region, frequency in the extra-Amazon region, sex, age group, and parasitic species. Data were tabulated using the TABNET and Microsoft Office Excel 2019 programs. During the study period, 1,978,419 cases of Malaria were recorded in the Amazon Region. In 2010, the highest number of new cases was recorded (333,391), and in 2016, the smallest number (128,747) and pointed to a drop in the frequency of cases of Malaria from 2010 to 2016. In the distribution of cases in the Amazon Region, Amazonas state obtained 36% of the cases, followed by Pará, with 25%. In addition, 1,985,829 cases were recorded in the Amazon region and the country's extra-Amazon region, with 0.4% (7,410) cases in the extra-Amazon region and 99.6% (1,978,419) in the Amazon region. There was a male prevalence (n = 1,204,127; 60%), the predominant age group was between 20 and 39 years old (n = 680,370; 34.4%). The presence of Malaria in the Region is remarkable, becoming a major challenge of a social, political and economic order, mainly due to its strong repercussions on the health of the population.

Author Biography

Evaldo Hipólito de Oliveira, Universidade Federal do Piauí

Possui graduação em Farmácia pela Universidade Federal da Paraíba (1990), graduação em Farmácia e Bioquímica pela Universidade Federal da Paraíba (1991), graduação em Direito pela Universidade Federal do Piauí (1999), Doutorado em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários (2010), mestrado em Administração pela Universidade Federal da Paraíba (2002), especialização em Vigilância Sanitária e Epidemiológica (1997) e Citologia Clínica (2005). Foi Diretor do Laboratório Central de Saúde Pública do Estado do Piauí-LACEN-PI (2003 a 2007). Atualmente é professor Associado da Universidade Federal do Piauí de microbiologia clínica e imunologia clínica (1994). Tem experiência na área de Farmácia (Interdisciplinaridade), atuando principalmente nos seguintes temas: análises clínicas ( bacteriologia, virologia, imunologia, citologia e hematologia ) e Vírus Linfotrópico de Células T Humanas-1/2-HTLV-1/2, HIV, HBV e HCV (Epidemiologa, Imunologia e Análise Molecular).

References

Basílio, G. F. C. et al. (2019). Qual o papel do sistema imune nas mortes por malária?. Revista de Patologia do Tocantins, 6 (1): mar.

Brasil. (2014). Ministério da Saúde. Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Vigilância Epidemiológica. Malária: Tratamento. Brasília: Ministério da Saúde.

Brasil. (2019). Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. SIVEP-MALÁRIA. Sistema de informações de vigilância epidemiológica da malária. Brasília: Computorized Systems.

Brasil. (2020). Boletim Epidemiológico. Secretaria de Vigilância em Saúde . Ministério da Saúde. 51 (17 ): Abr.

Braz , R. M. et al.(2016). Avaliação da completude e da oportunidade das notificações de malária na Amazônia Brasileira, 2003-2012. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília ,25 (1): Jan./Mar..,https://doi.org/10.5123/s167949742016000100003 .

Braz, A. R. P. et al. (2020). Characterizationofmalaria cases in theBrazilianamazon extra regionbetween 2012 and 2017. J ManagPrim Health Care,;12:e5.

Braz, R. M. et al.(2013). Caracterização das epidemias de malária nos municípios da Amazônia Brasileira em 2010. Cad. Saúde Pública, Rio de Janeiro, 29(5):935-944, mai,.

Braz, R. M., Barcellos, C. (2018). Análise do processo de eliminação da transmissão da malária na Amazônia brasileira com abordagem espacial da variação da incidência da doença em 2016. Epidemiol. Serv. Saúde, 27 (3) 03 Set , https://doi.org/10.5123/S1679-49742018000300010.

Confalonieri, U., Margonari, C., Quintão, A. (2014). Environmental changeandthe dynamics ofparasiticdiseases in theAmazon. Acta Tropica, 129(1):33–41.

Cowman, A. F. et al. (2016). Malaria: biologyanddisease. Cell, 167 (3) :610-624.

Ferreira, I. M. et al. (2012). Fatores associados à incidência de malária em áreas de assentamento no distrito de Juruena, Mato Grosso, Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 17(9):2415-2424.

Guedes, J. A. et al. (2019). Distribuição espacial da malária e uso e ocupação da terra no município de cametá, estado do Pará. IX Simpósio de Geografia e Saúde ,Junho. Blomerau,Santa Catarina.

IBGE. (2020). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Panorama. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/geociencias/cartas-e-mapas/mapas-regionais/15819-amazonia legal.html?=&t=o-que-e. Acesso em: 20 de junho 2020.

Lima Maciel, G. B. M. L., Espinosa, M. M., Santos, M. (2013). A.Epidemiologia da malária no município de Colniza, Estado de Mato Grosso, Brasil: estudo descritivo do período de 2003 a 2009. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, 22(3):465-474, jul-set.

Lopes, T. M. R. et al. (2019). Situação epidemiológica da malária em uma região de Garimpo, na região da Amazônia brasileira, no período de 2011 a 2015. Revista Eletrônica Acervo Saúde / Electronic Journal Collection Health. 25 : e759:1-8. DOI: https://doi.org/10.25248/reas.e759.2019| ISSN 2178-2091.

Lorenz, C., Virginio, F., Aguiar, B.S et al. (2015). Epidemiologia espacial e temporal da malária em regiões extra-amazônicas do Brasil. Malar J., 14: 408 https://doi.org/10.1186/s12936-015-0934-6.

Monteiro, M. R. C. C., Ribeiro, M. C., Fernandes, F. S. C. (2013). Aspectos clínicos e epidemiológicos da malária em um hospital universitário de Belém, Estado do Pará, Brasil. Rev Pan-Amaz Saude 4 (2): Ananindeua jun. 2013.

Nascimento, T. L., Vasconcelos, S. P., Peres, Y., Oliveira, M. J. S., Taminato, M., Souza, K. M. J. (2019). Prevalência de recaída por malária: revisão sistemática com metanálise. Rev. Latino-Am. Enfermagem;27:e3111.

OPAS. (2020). Organização Pan-Americana de Saúde. OPAS BRASIL. OPAS destaca importância de se manter queda de casos de malária no Brasil. Brasília, DF, Brasil.

Otienoburu, S. D. et al. (2019). Um banco de dados de mapeamento on-line de molecular marcadores de resistência aos medicamentos em Plasmodium falciparum : o medicamento molecular parceiro Surveyo. Malaria Journal. 18:12 https://doi.org/10.1186/s12936-019-2645-x.

Parise, E. V., Gessi Araújo, C., Castro, J. G. D. (2012). Situação epidemiológica da malária no Estado do Tocantins, Brasil, a partir da emancipação política e administrativa, 1989 a 2009. Epidemiol. Serv. Saúde, 21 (1): Brasília mar.,http://dx.doi.org/10.5123/S167949742012000100013.

Pereira Júnior, A., Oliveira, G. P., Maia, J. O. (2017). Fatores ambientais (lixo), climáticos (chuva) e a evolução da dengue e malária: o caso da praça são francisco, cidade nova, Marabá – PA. Enciclopédia biosfera, Centro Científico Conhecer - Goiânia, 14 (25).

Siqueira, A. et al. (2018). Malária na Atenção Básica Belo Horizonte: Nescon/UFMG,. ISBN: 978-85-60914-46-3.

SOUSA, J. R. (2015). Situação da malária na Região do Baixo Amazonas, Estado do Pará, Brasil, de 2009 a 2013: um enfoque epidemiológico. Rev Pan-Amaz Saude, 6(4):39-47.

Vasconcelos, B. M. et al., (2020). Aspectos epidemiológicos da malária na Amazônia Legal, Brasil, 2000 a 2013. Braz. J. Hea. Rev., Curitiba, 3 (3): 5230-5243 may/jun.

WHO (2017). World malariareport 2017. World Health Organization

WHO. World Health Organization. (2019). World malariareport 2019. World Health Organization.

Wolfarth-Couto, B., Silva, R. A., Filizola, N. (2019). Variabilidade dos casos de malária e sua relação com a precipitação e nível d’água dos rios no Estado do Amazonas, Brasil. Cad. Saúde Pública ; 35(2):e00020218.

Published

27/10/2020

How to Cite

ANDRADE, . S. M. de .; CUNHA, M. A. .; HOLANDA, E. C. .; TAMINATO, R. L. .; OLIVEIRA, E. H. de . Malaria in the Amazon region: analysis of epidemiological indicators essential to control. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e9279109283, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.9283. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9283. Acesso em: 15 aug. 2022.

Issue

Section

Health Sciences