Detection of antibiotic residues in UHT milk and in natura milk sold informally in fairs and markets in the municipality of Rolim de Moura – RO

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.21804

Keywords:

Milk; Informal milk; Resídues; Antibiotic; Rolim de Moura.

Abstract

Milk is one of the most consumed animal products in the world due to its high nutritional value, it is considered one of the most complete foods in nature. About 20 to 30% of the production of bovine milk in Brazil is marketed without sanitary inspection or adequate thermal treatment. This product is called “informal milk” and is sold in plastic or glass utensils made for other products, such as soft drinks. Despite the irregularity in the commercialization of informal milk, there is little information about the presence of microorganisms, toxins, antimicrobial residues, total bacterial and somatic cell counts, as well as nutritional and physicochemical constituents. The lack of information on the quality of this product exposes the population to the consumption of low quality milk, to the risk of undesirable organic reactions, in addition to conveying toxins and microorganisms with zoonotic potential. This study aimed to verify the presence of antibiotic residues in UHT milk and in milk sold informally in the city of Rolim de Moura. in small commercial establishments tested by the commercial kit Charm® Cowside II Test that uses the colorimetric, qualitative method to assess the presence of antibiotics in raw milk or UHT. Of the 99 samples collected, 17 (17.17%) were considered positive. Brazilian legislation regulates that residues of antibiotics and other microbial growth inhibiting agents must be absent. More scientific studies that institute research on the quality of products must be encouraged and programs to encourage the quality of milk must be instituted in order to produce milk with excellence in quality and to have a safe product for consumers.

References

Almeida, F. M. (2016). Qualidade de leite bovino produzido em propriedades de agricultura familiar, cacoal/ro. 54 f. Dissertação (Mestrado em Produção Animal) - Universidade Camilo Castelo Branco, Descalvado.

ANVISA. (2009). Programa de Análise de Resíduos de Medicamentos Veterinários em alimentos de Origem Animal - PAMVet -Relatório 2006/2007 -Monitoramento de Resíduos em Leite Exposto ao Consumo (5º e 6º anos de atividades).

Borges, G. T. et al. (2000). Ocorrência de resíduos de antibióticos em Leite pasteurizado integral e padronizado produzido e comercializado no estado de Goiás. Ciência Animal Brasileira, 1: 59-63.

Brasil. (2017). Decreto nº 9.013, de 29 de março de 2017. Das disposições preliminares e do âmbito de atuação. <https://www.saude.rj.gov.br/comum/code/MostrarAr-quivo.php?C=NzU2NQ%2C%2C>.

Caselani, K. (2014). Resíduos de medicamentos veterinários em alimentos de origem animal. Arquivo Ciência Veterinária Zoologia UNIPAR, 17(3): 189-197.

Colville, T. & Bassert, J. M. (2010). Anatomia e fisiologia clínica para medicina veterinária. (2a ed.).

Costa, G. M. et al. (2013). Resistência a antimicrobianos em Staphylococcus aureus isolados de mastite em bovinos leiteiros de Minas Gerais, Brasil. Arquivo Instituto de Biologia, 80(3): 297-302.

Costa, A. B. L. et al. (2017). Avaliação de resíduos de antibióticos em leite cru produzido na região de Marília. Unimar Ciências, 26(1-2): 114-123.

Costa, A. S. (2009). Avaliação da Presença de Resíduos de Antimicrobianos em Leite e Bebida Láctea UHT por Teste de Inibição Microbiana Comercial. 73f. Dissertação (Mestrado em Ciência e Tecnologia de Alimentos), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, Seropédica.

EMBRAPA. (2011). Avaliação da qualidade composicional e da saúde da glândula mamária de rebanhos bovinos localizados na bacia leiteira de Ji-Paraná e Rolim de Moura, Rondônia. Comunicado técnico num 366. Porto Velho, julho de 2011.

EMBRAPA. (2014). Qualidade do leite armazenado em tanques de resfriamento de Rondônia. Comunicado técnico num. 393. Porto Velho, Rondônia.

Folly, M. M. & Machado, S. C. A. (2001). Determinação de resíduos de antibióticos, utilizando-se métodos de inibição microbiana, enzimático e imunoensaios no leite pasteurizado comercializado na região norte do estado do rio de janeiro, Brasil. Ciência Rural, 31(1): 95-98.

Freitas, C. R. et al. (2017). Análise da ocorrência de resíduos de antibióticos em leite proveniente de propriedades em Patos de Minas –MG. Revista Agroveterinária, Negócios e Tecnologias, 2(2): 08-25.

Gasparotto P. H. G. et al. (2016). Principais gêneros bacterianos causadores de mastite isolados no Laboratório de Microbiologia Veterinária do Hospital Veterinário do Centro Universitário Luterano de Ji-Paraná/RO. Veterinária em foco, 14(1): 60-74.

Hill, R. W., Wyse, G. A. & Anderson, M. (2012). Fisiologia Animal. (2a ed.), <https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=DklCD-QAAQBAJ&oi=fnd&pg=PR1&dq=fisiologia+animal&ots=CrqyDFLaid&sig=YKiVe6kmSx-mpV5P4EEU4CAfEAfo#v=onepage&q&f=false>.

IBGE. (2018). Bovino/Leite de vaca/Quantidade produzida. <https://www.milkpoint.com.br/noticias-e-mercado/panorama-mercado/ibge-producao-total-de-leite-cai-05-em-2017-210514/>.

Jung, C. F. & Júnior, A. A. M. (2017). Produção leiteira no Brasil e características da bovinocultura leiteira no Rio Grande do Sul. Ágora, 19(1): 34-47.

König, H. E. & Liebich, H. G. (2016). Anatomia dos Animais Domésticos: Texto e Atlas Colorido. (6a ed.), <https://books.google.com.br/books?hl=pt-BR&lr=&id=Vi1fDAAAQBAJ&oi=fnd&pg=PR1&dq=Anatomia+de+grandes+animais&ots=wVgAP5EBLa&sig=XjhI5ZDOF6dVR4oVbXx9plIPOGo#v=one-page&q&f=false>.

Magnavita, A. P. A. (2012). Avaliação das características físico-químicas e da presença de resíduos de antimicrobianos em leite pasteurizado nas regiões Sudoeste e Sul Baiano. 68 f. Dissertação (Mestrado em Engenharia de alimentos) -Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Itapetininga-BA.

Martin, J. G. P. (2011). Resíduos de antimicrobianos em leite – uma revisão. Segurança Alimentar e Nutricional, 18(2): 80-87.

Neto, A. E. et al. (2015). Avaliação de resíduo de antibiótico em amostras de leite de vacas após aterapia de vacas secas. Arquivo do Instituto Biológico, 82: 1-4.

Rodrigues, M. X., Agnoll. D. & Bittencourt, J. V. M. (2012). Levantamento da Ocorrência de Resíduos de Antibióticos em Leite Cru Produzido na Região dos Campos Gerais, Paraná. UNOPAR Cientifica Ciências Biológicas e da Saúde, 14(4).

SEBRAE. (2015). Diagnóstico do Agronegócio do Leitee Derivados do Estado de Rondônia.

Silva, D. P. et al. (2014). Ocorrência de resíduos de antibióticos em leite de células de refrigeração da região Sul do estado do Pará – Brasil. Revista Brasileira de Produtos Agroindustriais, 16(4): 359-368.

Silva, M. H. et al. (2016). Detecção de resíduos deantibióticos e de substâncias antimicrobianas em leite pasteurizado. I CONGRESSO NACIONAL DE PESQUISA E ENSINO EM CIÊNCIA, Campina Grande-PB, 2016. <https://www.editorarealize.com.br/revistas/conapesc/trabalhos/TRABALHO_EV058_MD4_SA80_ID1270_08052016111528.pdf>.

Vidal-Martins, A. M. C. (2013). Avaliação do consumo de leite e produtos lácteos informais e do conhecimento da população sobre os seus agravos à saúde pública, em um município do es-tado de São Paulo, Brasil. Boletim de Indústria Animal, 70(3): 221-227.

Villa, F. B. (2007). Qualidade fisico-químico, microbiológica e resíduos de antimicrobianos em leite in natura comercializado informalmente em brotas, SP. 58f. Dissertação (mestrado) – Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Botucatu.

Vilela, D. et al. (2017). A evolução do leite no Brasil em cinco décadas. Política agrícola, 26(1): 5-24.

Published

06/02/2022

How to Cite

SILVA, J. de O. L. .; SOUZA, J. G. da S. G. de .; LOPES, T. V. .; MUNIZ, I. M. .; SCHONS, S. de V. .; SOUZA, F. A. . Detection of antibiotic residues in UHT milk and in natura milk sold informally in fairs and markets in the municipality of Rolim de Moura – RO. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e38811221804, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.21804. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/21804. Acesso em: 1 mar. 2024.

Issue

Section

Health Sciences