Kinesiotherapy in the treatment of urinary incontinence in the elderly: Narrative review

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25023

Keywords:

Kinesiotherapy in the elderly; Urinary incontinence in the elderly; Kinesiotherapy in incontinence; Kegel exercise; Physical therapy; Incontinence and pelvic floor.

Abstract

Kinesiotherapy is a set of therapeutic exercises that help in the rehabilitation of different situations, strengthening and stretching the muscles, and can also serve to optimize the general state of health and prevent motor alterations. One of the diseases treated by kinesiotherapy is urinary incontinence, which is caused by the involuntary loss of urine through the urethra. The disorder is more frequent in females and can manifest itself in the fifth or sixth decade of life as well as in younger women. The present study aimed to describe Kinesiotherapy in the treatment of urinary incontinence in elderly women, through a narrative review. Searches were performed in the Scielo, BVS, Google academic database. The initial search resulted in 26 articles and, in the end, 20 articles were selected to compose this review. The present review found benefits of kinesiotherapy such as improving or curing urine loss, preventing urinary incontinence, re-educating and strengthening the pelvic muscles. It was found that Kinesiotherapy in the treatment of urinary incontinence in elderly women is important, as it works with exercises to strengthen the pelvic muscles, it reinforces urethral resistance and improves the supporting elements of the pelvic organs.

References

Almeida, L. K. O. et al. (2020). Fisioterapia no tratamento de incontinência urinária em mulheres idosas: uma revisão integrativa. Anais do VII CIEH... Realize Editora. https://editorarealize.com.br/artigo/visualizar/73503.

Cesar, J. A. et al. (2018). Incontinência urinária entre idosos: um estudo em áreas pobres do norte e nordeste do brasil. Revista Baiana de Saúde Pública. 42(2), 231-243.

Cestari, C. E. et al. (2017). Impacto da incontinência urinária na qualidade de vida de idosas. Revista Ciência E Estudos Acadêmicos De Medicina. 1(07), 27-37. https://periodicos.unemat.br/index.php/revistamedicina/article/view/1773.

Funatsu, A. H. et al. (2020). A fisioterapia no tratamento da incontinência urinária em mulheres idosas: uma revisão de literatura. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium –UniSALESIANO de Araçatuba - SP. https://fisiosale.com.br/wp/wp-content/uploads/2019/02/A-fisioterapia-no-tratamento-da-incontin%C3%AAncia-urin%C3%A1ria-em-mulheres-idosas-uma-revis%C3%A3o-de-literatura.pdf

Guerra, T. E C. et al. (2014). Atuação da fisioterapia no tratamento de incontinência urinaria de esforço. Femina. 42(6), 251-254. http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2014/v42n6/a4823.pdf.

Jesus, E. S. & Cartaxo, E. (2008). A fisioterapia na incontinência urinária da mulher idosa: revisão de literatura. Universidade Católica do Salvador. http://ri.ucsal.br:8080/jspui/handle/prefix/3730

Krinski, G. G. et al. (2013). Os benefícios do tratamento fisioterapêutico na incontinência urinária de esforço em idosas - revisão sistemática. Brazilian Journal of Surgery and Clinical Research – BJSCR. 4(3), 37-40.

Langoni, C. S. et al. (2013). Incontinência urinária em idosas de Porto Alegre: sua prevalência e sua relação com a função muscular do assoalho pélvico. FAENFI/PUCRS − Porto Alegre (RS).

Marques, S. R. (2016). Tratamento fisioterapêutico na incontinência urinária em idosas. Revista saúde integrada. 9(17).

Oliveira, J. R. et al. (2011). Cinesioterapia no tratamento da Incontinência Urinária em mulheres idosas. rev. bras. geriatr. Gerontol, 14(2), 343-351.

Paiva, L. L. et al. (2019). Prevalência de incontinência urinária em idosos no brasil nos últimos10 anos: uma revisão sistemática. Estud. interdiscipl. envelhec. 24, 275-293.

Pereira, V. S. et al. (2012). Efeitos do tratamento fisioterapêutico em mulheres idosas com incontinência urinária: uma revisão sistemática. Rev Bras Fisioter, São Carlos. 16(6), 463-8.

Pires, M. N. et al. (2013). Intervenção de Fisioterapia no tratamento de incontinência urinária em idosas através do método de kegel: Uma Revisão sistemático. Pós-graduação em Geriatria e Gerontologia - Faculdade Ávila.

Previatto, A. B. et al. (2013). Atuação da fisioterapia na incontinência urinária em mulheres idosas. Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium- Araçatuba – Sp.

Rodrigues, M. P. et al. (2016). Perfil das pacientes do ambulatório de uroginecologia de um Hospital Público de Porto Alegre com relação à incontinência urinária e à qualidade de vida. Revista Clin. Biomed Res. 36, 135-141. https://doi.org/10.25248/reas.e734.2019

Rodrigues, T. S. (2018). Atuação da fisioterapia na incontinência urinária em idosas. FAEMA –Ariquemes/RO. http://repositorio.faema.edu.br:8000/jspui/handle/123456789/2429.

Rosa, L. H. T. et al. (2012). Prevalência da incontinência urinária em idosos de porto alegre – RS. Revista geriatria & gerontologia.

Rosa, T. S. M. et al. (2016). Risco de quedas em idosos com incontinência: uma revisão integrativa. Revista Kairós Gerontologia. 19(1), 161-173.

Silva, R. E. G. et al. (2015). Tratamento cinesioterapêutico como medida de prevenção da incontinência urinária de esforço em mulheres idosas e a sua relação com a qualidade de vida. Journal of Amazon Health Science. 1(1).

Silveira, C. M. et al. (2019). Os efeitos dos Exercícios de Kegel em idosas com Incontinência Urinária: uma Revisão Sistemática. REAS/EJCH. 26 (e734).

Souza, J. O. et al. (2019). Influência da fisioterapia na qualidade de vida de mulheres com incontinência urinária por esforço. Revista Científica do UBM. 21(40), 167-183. https://doi.org/10.52397/rcubm.v21i40.941

Published

17/01/2022

How to Cite

FERRO, T. N. de L. .; SILVA, M. A. da . Kinesiotherapy in the treatment of urinary incontinence in the elderly: Narrative review. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e1111225023, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25023. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25023. Acesso em: 21 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences