Internalization of human rights, sustainability and the principle of the dignity of the human person in the consumer relationship

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25347

Keywords:

Dignity of the human person; Human rights; Consumption relationship; Sustainability.

Abstract

The concern with the inexhaustible use of natural resources is a major problem in the world scenario. This article aims to analyze the internalization of the promotion of Human Rights, the construction of effective Sustainability and the protection of the principle of Dignity of the Human Person, in the consumption relationship, by seeking to conserve the environment for present and future generations. For the approach, the hypothetical-deductive method and qualitative descriptive research based on bibliographic and documental survey will be used. The result is that the unbridled consumption relationship affects society in the social, political, environmental and economic spheres, thus requiring changes in habits, thoughts and attitudes that promote consumer control, aiming at a fair, balanced and ecologically sustainable society.

Author Biographies

Ciangeli Clark, Escola Superior Dom Hélder Câmara

 Doutoranda e Mestra em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável pela Escola Superior Dom Helder Câmara.  Educadora do Movimento Ecos Com o Projeto Socioambiental Ecos da EMGE e Dom Helder. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa Licenciamento Ambiental, Desenvolvimento Sustentável e Mudanças Climáticas. 

Clarisse Aparecida da Cunha Viana Cruz, Escola Superior Dom Hélder Câmara

Mestranda em Direito pela Escola Superior Dom Helder Câmara. Advogada. Bacharel em Direito pela PUCMG. Integrante do grupo de pesquisa Centro de Estudos de Biodireito (CEBID).  

Larissa Martins Alves dos Santos, Escola Superior Dom Hélder Câmara

Bacharel em Direito pela Escola Superior Dom Helder Câmara (2020). Mestranda em Direito Ambiental e Desenvolvimento Sustentável na Escola Superior Dom Helder Câmara. Suporte Administrativo do Movimento Ecos 2021.

 

References

Almeida, F. (2002). O bom negócio da sustentabilidade. Ed. Nova Fronteira.

Boff, Leonardo. (2021). Sustentabilidade: O que é: O que não é. Ed. Vozes.

Brasil. (1988) Constituição da República Federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília: em 5 de outubro de 1988. www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

Brasil. (1981). Lei 6.938. Política Nacional do Meio Ambiente. Diário Oficial da União, Brasília: de 31 ago. 1981. www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L6938.htm.

Brasil. (1990). Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990. Dispõe sobre a proteção do consumidor e dá outras providências. www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l8078compilado.htm.

Brasil. (1972). Programa das nações unidas para o meio ambiente. Responsabilidade Socioambiental. www.mma.gov.br/responsabilidade-socioambiental.html.

Carvalho, S. A. (2013). O direito ao desenvolvimento sustentável como direito humano fundamental. In: GORCZEVSKI, C. (org.). (2013). Direitos humanos e participação política. Ed. Imprensa Livre, 215-241.

Comissão mundial sobre meio ambiente e desenvolvimento (CMMAD). (1991). Nosso futuro comum. (2.ed.). Fundação Getúlio Vargas. www.edisciplinas.usp.br/pluginfile.php/4245128/mod_resource/content/3/Nosso%20Futuro%20Comum.pdf.

Daly, H. E. (2004). Crescimento sustentável? Não, obrigado. Ambiente & Sociedade. (7) (2), 197-202.

Habermas, J. (2000). Aclaraciones a la ética del discurso. Ed.Trotta.

Milhailova, I. (2004). Sustentabilidade: Evolução dos Conceitos Teóricos e os Problemas da Mensuração Prática. Revista Economia e Desenvolvimento. (16), 22-41. www.periodicos.ufsm.br/eed/article/view/3442.

Nascimento, E. P. (2012). Trajetória da sustentabilidade: Do ambiental ao social, do social ao econômico. Revista Estudos Avançados. (26) (74), 51-64. www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0103-40142012000100005&lng=pt&nrm=iso.

Oliveira, J. M. S. F. (2019). Pela Concretização da Dignidade da pessoa Humana nas relações de consumo: Estado da arte no código de defesa do consumidor. Revista Direito Diário. (1) (1). 53-66. www.direitodiario.com.br/wp-content/uploads/2019/12/Revista-Direito-Di%C3%A1rio-6%C2%AA-Edi%C3%A7%C3%A3o-v.-1-n.1-out-dez-2019.pdf.

Organização das nações unidas. (1945) Carta das Nações Unidas. www.direitoshumanos.usp.br/index.php/ONU-Organiza%C3%A7%C3%A3o-das-Na%C3%A7%C3%B5es-Unidas/carta-geral-das-nacoes-unidas.html.

Organização mundial das nações unidas. (1984). Declaração Universal dos Direitos Humanos. www.educacao.mppr.mp.br/arquivos/File/dwnld/educacao_basica/educacao%20infantil/legislacao/declaracao_universal_de_direitos_humanos.pdf.

Organização mundial das nações unidas. (1993). Declaração de Viena. www.onumulheres.org.br/wp-content/uploads/2013/03/declaracao_viena.pdf.

Ramos, A. C. (2017). Curso de direitos humanos. (4a ed.). Ed. Saraiva.

Ramos, A.C. et al. (2009). Manual prático de direitos humanos internacionais. Escola Superior do Ministério Público da União.

Santiago, M. R., & Bezerro, E. B. E. (2017). Relações de consumo na pós-modernidade: O consumo colaborativo como instrumento de sustentabilidade. Revista de Direito da Cidade. (09) (02). 463-481.www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/rdc/article/view/26970/20432.

Silva, D. F., & Adolfo, L. G. S., & Carvalho, S. A. (2015). Direito humanos, desenvolvimento sustentável e sustentabilidade. Revista Eletrônica do Curso de Direito UFMS. (10) (01). 01-24. www.periodicos.ufsm.br/revistadireito/article/view/15383.

Zanirato, S. H., & Rotondaro, T. (2016). Consumo, um dos dilemas da sustentabilidade. Estudos Avançados. www.scielo.br/pdf/ea/v30n88/0103-4014-ea-30-88-0077.pdf.

Published

18/01/2022

How to Cite

CLARK, C. .; CRUZ, C. A. da C. V. .; ALMEIDA, I. C. A. de .; SANTOS, L. M. A. dos . Internalization of human rights, sustainability and the principle of the dignity of the human person in the consumer relationship. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e6211225347, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25347. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25347. Acesso em: 2 mar. 2024.

Issue

Section

Human and Social Sciences