Seminar application with peer review: a proposal for an active methodology in final years science teaching

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25478

Keywords:

Content typology; TDIC; Presentation of oral work.

Abstract

This research presents the report of an investigation, of a set of didactic transpositions involving the application of an oral presentation in seminar format in the teaching of science in elementary school, in a ninth grade class, with the objective of investigating how students organize and produce oral presentations with the support of multimedia tools and how students evaluate the presentation of these works presented by their peers with the theme of electricity. Active methodologies are able to integrate conceptual, procedural and attitudinal contents, to develop skills and the integral development of the student, placing him as a protagonist, thus, the seminar revealed the possibility of creating a learning context, which is characterized as a active methodology. Students were challenged to seek information, build and express knowledge on the topic of electricity. Allied to the active methodology used in this study, it was found that students with this activity learned to know, learned to do, learned to live together and learned to be.

References

Amorim J. A., & Miskulin, G. S. (2010). Multimídia para educação e formação de professores em tecnologias digitais. Revista de Educação PUC. 29, 223-243.

Aberastury, A., & Knobel, M. (1980). Adolescência normal. Artes Médicas.

Abreu, J. R. P. (2009). Contexto Atual do Ensino Médico: Metodologias Tradicionais e Ativas - Necessidades Pedagógicas dos Professores e da Estrutura das Escolas. Dissertação (Mestrado) Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde. Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Anastasiou, L. G. C., & Alves, L. P. (2006). Processos de ensinagem na universidade: pressupostos para as estratégias de trabalho docente em aula. (6a ed.), Univille.

Andersen, E. L. (2016). Multimídia digital na escola. Paulinas.

Angoti, J. A. P. (2015). Ensino de física com TDIC. 125 p.

Bacich, L., & Moran, J. (2018). Metodologias ativas para uma educação inovadora: uma abordagem teórico-prática. Penso.

Bacich, L., Tanzi, N. A., & Trevisani, F. M. (2015). Ensino Híbrido personalização e tecnologia na educação. Penso, 258 p.

Bardin, Laurence. (2011). Análise de conteúdo. SP Edições 70, 279 p.

Barroqueiro, C. H. (2011). O uso das tecnologias da informação e da comunicação no processo de ensino-aprendizagem dos alunos nativos digitais nas aulas de física e matemática. RenCima, 2(2), 123-143.

Brasil. (1998). Ministério de Educação e Cultura/Secretaria de Educação Fundamental Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: introdução aos parâmetros curriculares nacionais. MEC/SEF.

Brasil. (2018). Ministério da Educação. Secretaria da Educação Básica. Base nacional comum curricular. MEC. <http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>.

Brasil. (2018). Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. MDH. https://www.gov.br/mdh/pt-br/assuntos/noticias/2018/dezembro/ministerio-faz-parceria-para-combater-evasao-escolar.

Burigo, E. R (2014)). A Evasão Escolar nas turmas de 8º e 9º anos do Ensino Fundamental do Colégio Novo Horizonte no munícipio de Toledo – Paraná no ano letivo de 2013: causas e consequências e possibilidades de intervenção. https://www.diaadiaeducacao.pr.gov.br/portals/cadernospdebusca/producoes_pde/2014/2014_unioeste_pde _pdp_elizete_regina_burigo.pdf.

Capellato, P., Vasconcelos, L. V. B., Ranieri, M. G. A., & Sachs, D. (2020). Método de ensino ativo utilizando avaliação por pares e autoavaliação. Research, Society and Development. 9 (7), 1-27.

David, T (2005) Pesquisa-ação: uma introdução metodológica. Educação e Pesquisa, 31 (3), 443-466.

Delizoicov, D., Angotti, J. A., & Pernambuco, M. M. (2011). Ensino de ciências fundamentos e métodos. Editora Cortez, (4a ed.).

Desouza, D. A., Rodrígues. S. N., & Antoni. C. (2014). Relacionamentos de amizade, grupo de pares e tribos urbanas na adolescência (118-131) In: Habigzang, L. E.; Diniz, E.; Koller. S. H. Trabalhando com adolescentes: teoria e intervenção psicológica. Anais...Porto alegre: Artmed.

Falchikov, N. (2005). Improving Assessment through Student Involvement. London: Routledge–Falmer. https://cursos.campusvirtualsp.org/plugin file.php/2 03477/mod_resource/content/1/9781134395750_sample_527172.pdf.

Fantin, M. (2005). Novo olhar sobre a Mídia-Educação. In: 28ª Reunião Anual da ANPED (Associação Nacional de Pós-graduação e Pesquisa em Educação), Caxambu (MG), Brasil.

Fantin, M. (2011). Mídia-educação: aspectos históricos e teórico-metodológicos. Olhar de professor, 14(1), 27-40.

Felder, R. M., & Brent, R. (2003). Learning by doing. Chemical Engineering Education, , 37(4), 282-283.

Ferreira, E. C. S., & Oliveira, N. M. (2020). Evasão escolar no ensino médio: causas e consequências. Scientia Generalis. 1(2) 39-48.

Filho, R. B. S., & Araújo, R. M. L. (2017). Evasão e abandono escolar na educação básica no Brasil: fatores, causas e possíveis consequências. Educação Por Escrito, Porto Alegre, 8(1), 35-48.

Freire, P. (2009). Pedagogia da Autonomia. (36a ed.), Paz e Terra.

Gemignani, Y, M, Y, E. (2012). Formação de professores e metodologias ativas de ensino-aprendizagem: ensinar para a compreensão. Revista Fronteira da Educação. 1 (2), 1-27.

Gil, A. C. (2009). Didática do ensino superior. Atlas.

Gomes, J. G. (2014). Mídias sociais, adolescentes e cidadania: espaço de representações e de educação para a mídia. Dissertação (mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Ciências e Tecnologia, Presidente Prudente.

Kern, V. M., & Saraiva, L. M. (1999). Aplicação da Revisão Pelos Pares no Ensino de Graduação. Revista Alcance. Editora da UNIVALI.

Krasilchik, M. (2008). Prática de ensino de biologia. (4a ed.), Editora Edusp.

Liu, E. Z., Lin, S. S. J., Chiu, C., & Yuan, S. (2001). Web-Based Peer Review: The Learner as both Adapter and Reviewer. IEEE transactions on education, 44(3), 246-251.

Lopes, L. W. R., Magalhães, C. M. C., & Mauro, P. I. (2003). Interações entre Pré-Escolares: Possibilidades de Análises. Psicologia ciência e profissão, 23(4), 88-97.

Monteiro, V., & Fragoso, R. (2005). Avaliação entre pares. VIII Congresso Galaico Português. Educacion. Udc.es. http://www.educacion.udc.es/grupos/gipdae/documentos/congreso/VIIIcongreso/pdfs/100.pdf.

Moran, J. (2015). Mudando a educação com metodologias ativas. Coleção mídias contemporâneas. Convergência. Midiáticas, Educação e Cidadania: aproximações jovens. Vol. II Carlos Alberto de Souza e Ofelia Elisa Torres Morales. http://rh.unis.edu.br/wp-content/uploads/sites/67/2016/06/Mudando-a-Educacao-com-Metodologias-Ativas.pdf.

Moreno, E. L., & Heidelmann, S. P. (2017). Recursos Instrucionais Inovadores para o Ensino de Química. Química Nova na Escola. 39(1), 12-18.

Moya, C. M. (2017). Using Active Methodologies: The students´view. Procedia - Social and Behavioral Sciences. 237, 672-677.

Neri, M. (2015). Motivos da evasão escolar. Disponível em: http://www.bibliotecadigital.abong.org.br/bitstream/handle/11465/1166/1789.pdf?sequence=1

Pires, F. E. S. S., Araujo-Jorge, T. C., & Trajano, V. S. (2012). Avaliação sobre o uso do programa PowerPoint em sala de aula por estudantes da educação básica na rede pública. Revista Brasileira de Ensino de Ciência e Tecnologia, 5(1), 39-53.

Prince, M. J., & Felder, R, M. (2006). Inductive teaching and learning methods: definitions, comparisons, and research bases. J. Engr. Education, 95(2), 123-138.

Rabin, M. L., & Bacich, L. (2018). O protagonismo juvenil na era digital. Revista Juventude e Políticas Públicas, Brasília, 2, 40-54.

Saraiva, L. M. (2002). Proposta metodológica de aplicação de revisão pelos pares com instrumento pedagógico para a educação ambiental. Tese (Doutorado) Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Universidade Federal de Santa Catarina.

Sasseron, L. H. (2015). Alfabetização científica, ensino por investigação e argumentação: relações entre ciências da natureza e escola. Revista Ensaio, Belo Horizonte, 17, 49-67.

Silva, F. S., & Serafim, M. L. (2016). Redes Sociais no Processo de Ensino e Aprendizagem: com a palavra o adolescente. In: Sousa, R. P., et al., orgs. Teorias e práticas em tecnologias educacionais [online]. Campina Grande: EDUEPB, 2016, 67-98. http://books.scielo.org/id/fp86k/pdf/sousa9788578793265-04.pdf >.

Souza, L. K. (2009). Amizade em dois contextos educacionais. Barbarói. Santa Cruz do Sul, 31(2), 7-17.

Souza, L. K., & Hutz, C. S. (2007). Diferenças de gênero na percepção da qualidade da amizade. Psico, 38(2), 125-132.

Tavares, M., Caldeira, N. S., & Silva, O. (2016). EAACE: um instrumento para a psicologia escolar. IN: Ordem dos Psicólogos Portugueses (Ed.) (2016). Actas do 3º Congresso da Ordem dos Psicólogos Portugueses. Anais...Lisboa: Ordem dos Psicólogos Portugueses.

Valente, J. A., Bianconcini, A. M. E., & Fogli, S. G. A. (2017). Metodologias ativas: das concepções às práticas em distintos níveis de ensino. Revista Diálogo Educacional, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Paraná, Brasil, 17(52), 455-478.

Zabala, A. (1998). A prática educativa: como ensinar. Artmed, 224 p.

Published

29/01/2022

How to Cite

FAGUNDES, L. S.; SEPEL, L. M. N. . Seminar application with peer review: a proposal for an active methodology in final years science teaching. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e39311225478, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25478. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25478. Acesso em: 20 jun. 2024.

Issue

Section

Education Sciences