Applications of chitosan in post-harvest fruit

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25745

Keywords:

Fruit; Biopolymer; Chitin.

Abstract

Aiming to investigate solutions that improve the problems of processing and storing fruits after harvest, the present work carried out a bibliographical review about the use of chitosan in the postharvest quality of fruits, pointing out its main results in several researches. For this, inclusion criteria were used in the search in the databases of Portal de Periódicos from Capes, Scielo and Google Academic. The biopolymer is extracted from chitin, found mainly in crustacean shells and after the steps of deproteinization, demineralization, discoloration and deacetylation, and presents properties of biocompatibility, nontoxicity, versatility, adsorption, biodegradable, among others. Due to these, it is applied in several sectors, including agriculture, acting in plant production, as a biostimulant, inhibiting the growth of microorganisms and improving the growth, development and productivity of several plants. Also, it can be applied to fruits, due to the rapid deterioration that occurs as a result of reactions during its ripening, losing its quality as a result. Thus, 11 studies were surveyed that demonstrate that chitosan allows the preservation of different fruits through the formation of coverings around it, maintaining its physical and physicochemical characteristics, reducing infections, thus extending the shelf life and its period of ripening. In view of this, it has a positive performance in the agronomic field, in research with an emphasis on post-harvest, being a notable alternative to current techniques for the use of agrochemicals.

Author Biographies

Ana Raquel Lopes Soares de Almeida, Universidade Estadual do Ceará

Graduada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual do Ceará-UECE (2019). Foi bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação a Docência - PIBID, orientada pela professora Dr. Maria Elane. Também foi bolsista pelo Programa de Monitoria Acadêmica - PROMAC, com o professor Dr. Luis Flávio Saraiva na disciplina de Bioquímica e na disciplina de Morfologia e Anatomia de Espermatófitas orientada pelo Professor Eliseu Marlônio Pereira de Lucena. Atuou como monitora da exposição Caatinga um novo olhar - entre nesse clima oferecida pela Associação Caatinga na Seara da Ciência UFC. Atualmente é monitora do programa Ciência Itinerante, realizado pela Secretaria de Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Governo do Estado do Ceará. Também é mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais na Universidade Estadual do Ceará, desempenhando pesquisa na área de Fisiologia Vegetal com ênfase em frutos.

Oriel Herrera Bonilla, Universidade Estadual do Ceará

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1983), graduação em Licenciatura Agrícola pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1992), mestrado em Botânica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1991), doutorado em Ciências Naturais (Ecologia) na Alemanha pela Bielefeld Universität (1997) e pós-doutorado em Engenharia Agrícola (Ecologia de Halófitas em Ambientes Irrigados) pela Universidade Federal do Ceará (2019). Atualmente é professor Associado da Universidade Estadual do Ceará, junto ao Curso de Ciências Biológicas. Coordena o Laboratório de Ecologia da instituição. É membro do corpo docente do Mestrado Acadêmico em Ciências Naturais. Tem experiências na área de Ecologia da Restauração e Conservacionismo, com ênfase em Ecossistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: Ecofisiologia de halófitas, salinidade do solo, permacultura, biodiversidade do semiárido, bioprospecção com plantas da Caatinga, aproveitamento de recursos naturais, Monitoramento e análise de impactos ambientais. Desenvolve pesquisas relacionadas com Bioinvasão e Fitoremediação.

Eliseu Marlônio Pereira de Lucena, Universidade Estadual do Ceará

Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal do Ceará (1993), Mestre em Fitotecnia (Produção Vegetal) pela Universidade Federal de Viçosa (1995), Doutor em Agronomia (Fitotecnia) pela Universidade Federal do Ceará (2006) e Pós-Doutor em Botânica Aplicada (Plantas Bioativas e Bioprocessos) pela Texas A&M University (2014). Foi Professor Visitante da Universidade Regional do Cariri em 1996. Foi Diretor Regional do Centro de Ensino Tecnológico (CENTEC) do Cariri de 1997 a 2002. Desde 2004 é Professor do Curso de Ciências Biológicas (CCB) do Centro de Ciências da Saúde (CCS) da Universidade Estadual do Ceará (UECE), onde ministra aulas de Botânica e orienta alunos de Iniciação Científica, Monitoria Acadêmica e Trabalhos de Conclusão de Curso, sendo atualmente professor Associado. Foi Coordenador do CCB/CCS de 2009 a 2013. É professor do Curso de Ciências Biológicas EaD da UECE desde 2010. Foi Presidente do 62° Congresso Nacional de Botânica em Fortaleza-CE (2011). É coordenador do Laboratório de Ecofisiologia Vegetal desde 2012. Foi conselheiro do Centro de Ciências da Saúde (CONCEN) de 2007 a 2009, Conselheiro do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) de 2009 a 2012, Conselheiro do Conselho Universitário (CONSU) de 2012 a 2018 e novamente Conselheiro do CEPE desde 2018. Em 2013 ingressou como Professor Permanente do Programa de Pós-Graduação em Ciências Naturais da UECE, orientando alunos de Mestrado e Doutorado. Desenvolve pesquisas sobre Ensino de Botânica, Botânica Aplicada, Etnobotânica, Fisiologia Vegetal, Ecofisiologia Vegetal, Fisiologia de Sementes, Fisiologia Pós-Colheita, Florística, Morfologia Vegetal, Anatomia Vegetal, Plantas Alimentícias Não Convencionais, Plantas Bioativas e Bioprocessos, tendo escrito livros e publicado regularmente estudos em periódicos de circulação nacional e internacional.

References

Abreu, F. O., Cavalcante, L. G., Doudement, P. V., Castro, A. M., Nascimento, A. P. D., & Matos, J. E. (2013). Propriedades e características da quitosana obtida a partir do exoesqueleto de caranguejo-uçá utilizando radiação de microondas. Polímeros, 23(5), 630-635. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0104-14282013000500011&script=sci_arttext

Alves, R. E., Filgueiras, H. A. C., Menezes, J. B., de Assis, J. S., de Lima, M. A. C., Amorim, T. B. F., & Martins, A. G. (2002). Colheita e pós-colheita: a cultura da mangueira. Embrapa Semiárido, ALICE.

Assis, O. B. G., & Britto, D. D. (2014). Revisão: coberturas comestíveis protetoras em frutas: fundamentos e aplicações. Brazilian Journal of Food Technology, 17(2), 87-97. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-67232014000200001&script=sci_arttext

Azevedo, V., Chaves, S. A., Bezerra, D. C., Lia Fook, M. V., & Costa, A. C. F. M. (2007). Quitina e Quitosana: aplicações como biomateriais. Revista eletrônica de Materiais e processos, 2(3), 27-34. https://www2.ibb.unesp.br/Museu_Escola/4_diversidade/alimentacao/Textos/Quitina_Quitosana.pdf

Berger, L. R. R., Stamford, T. C. M., & Stamford, N. P. (2011). Perspectivas para o uso da quitosana na agricultura. Revista Iberoamericana de Polímeros, 12(4), 195-215. http://www.ehu.eus/reviberpol/pdf/AGO11/ramos.pdf

Brito, G. F., Agrawal, P., Araújo, E. M., & Mélo, T. J. A. (2011). Biopolímeros, polímeros biodegradáveis e polímeros verdes. Revista eletrônica de materiais e Processos, 6(2), 127-139. http://www2.ufcg.edu.br/revista-remap/index.php/REMAP/article/download/222/204

Brugnerotto, J., Lizardi, J., Goycoolea, F. M., Argüelles-Monal, W., Desbrieres, J., & Rinaudo, M. (2001). An infrared investigation in relation with chitin and chitosan characterization. Polymer, 42(8), 3569-3580. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0032386100007138?casa_token =BJCsE10kSB0AAAAA:w9tDMN07bBQpQakHf0LQbU_oXUlPjKoEfLug3AyGUk32LnOwqJrdwQxhh2anmU48NVm7AgFs8eE

Carnelossi, M. A. G., Toledo, W. F. F., Souza, D. C. L., Lira, M. D. L., Silva, G. F. D., Jalali, V. R. R., & Viégas, P. R. D. A. (2004). Conservação pós-colheita de mangaba (Hancornia speciosa Gomes). Ciência e Agrotecnologia, 28, 1119-1125. https://www.scielo.br/j/cagro/a/dsvGBWxXX96LgTsg8hCn3Wf/abstract/?lang=pt

Castañeda, L. M. F. (2013). Avaliação da quitosana e da fécula de mandioca, aplicada em pós-colheita no recobrimento de maçãs (Tese de Doutorado). Universidade do Rio Grande do Sul, RS.

Chevalier, R. C., Alves da Silva, G. F., Silva, D. M. D., Pizato, S., & Cortez-Vega, W. R. (2016). Edible coating utilization the chitosan base to improve melon shelf life minimally processed. Journal of bioenergy and food science, 130-138. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/159266

Chitarra, M. I. F., & Chitarra, A. B. (2005). Pós-colheita de frutos e hortaliças: fisiologia e manuseio. Esal/Faepe.

de Barbosa, S. L., Macedo, J. L., dos Santos, C. M., & Machado, A. V. (2014). Estudo da secagem de frutos tropicais do Nordeste. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, 9(1), 186-190. https://editoraverde.org/gvaa.com.br/revista/index.php/RVADS/article/view/2702

de Farias, S. S., Siqueira, S. M. C., Cristino, J. H. S., & da Rocha, J. M. (2016). Biopolímeros: uma alternativa para promoção do desenvolvimento sustentável. Revista Geonorte, 7(26), 61-77. https://periodicos.ufam.edu.br/revista-geonorte/article/view/2759

da Silva, S. B., & Spinelli, M. G. N. (2015). Consumo de frutas em unidade de alimentação e nutrição no município de São Paulo: um estudo de caso. Revista Univap, 21(38), 5-14. http://revista.univap.br/index.php/revistaunivap/article/view/292

Dhall, R. K. (2013). Advances in edible coatings for fresh fruits and vegetables: a review. Critical reviews in food science and nutrition, 53(5), 435-450. https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10408398.2010.541568

Dias, K. B., Silva, D. D., Ferreira, L. A., Fidelis, R. R., Costa, J. D. L., Silva, A. D., & Scheidt, G. N. (2013). Quitina e quitosana: características, utilizações e perspectivas atuais de produção. Journal of Biotechnology, 4(3), 184-191. https://sistemas.uft.edu.br/periodicos/index.php/JBB/article/view/599

Divya, K. & Jisha, M. S. (2018). Chitosan nanoparticles preparation and applications, Environmental chemistry letters, 16(1), 101-112. https://link.springer.com/article/10.1007/s10311-017-0670-y

Felipe, L. O., Rabello, L. A., Júnior, E. N. O., & Santos, I. J. B. (2017). Quitosana: da química básica à bioengenharia. Química Nova na escola, 39(4), 312-320. https://revistas.ufpr.br/academica/article/view/570

Ferreira, A. P. S., Santos, I. J., Moreira, E. R., Atílio, L. B., & Conceição, B. A. (2010). Qualidade pós-colheita do pseudofruto do cajueiro sob ação de quitosana e refrigeração. Revista Cultura Agronômica, 19(1), 64-70. https://ojs.unesp.br/index.php/rculturaagronomica/article/view/2168

Fontelles, M. J., Simões, M. G., Farias, S. H., & Fontelles, R. G. S. (2009). Metodologia da pesquisa científica: diretrizes para a elaboração de um protocolo de pesquisa. Revista paraense de medicina, 23(3), 1-8. https://files.cercomp.ufg.br/weby/up/150/o/Anexo_C8_NONAME.pdf

Fráguas, R. M., Rocha, D. A., Queiroz, E. D. R., Abreu, C. M. P. D., Sousa, R. V. D., & Oliveira, E. N. D. (2015). Caracterização química e efeito cicatrizante de quitosana, com baixos valores de massa molar e grau de acetilação, em lesões cutâneas. Polímeros, 25, 205-211. https://www.scielo.br/j/po/a/y78Pk5934TvBtjyxNXVPXYH/?lang=pt&format=html

Galo, J. D. Q. B., Souza, M. L. D., Kusdra, J. F., & Mattiuz, C. F. M. (2014). Postharvest storage of papaya 'Sunrise Solo' with the use of chitosan. Revista Brasileira de Fruticultura, 36(2), 305-312. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-29452014000200005&script=sci_arttext&tlng=pt

Gerhardt, T. E. & Silveira, D. T. (2009). Métodos de Pesquisa. Editora da UFRGS. p. 120.

Giovannoni, J., Nguyen, C., Ampofo, B., Zhong, S., & Fei, Z. (2017). The epigenome and transcriptional dynamics of fruit ripening. Annual Review of Plant Biology, 68, 61-84. https://www.annualreviews.org/doi/abs/10.1146/annurev-arplant-042916-040906?casa_token=LYPwCrYErSYAAAAA:Zw OfYmSqLxVUQvAsG3fcto0OEW6CZoMNUj817hDobJzl113O9ycXmSTr9aXUAiVZocUh3ijnmHpLKF6wEA

Gol, N. B., & Rao, T. R. (2014). Influence of zein and gelatin coatings on the postharvest quality and shelf life extension of mango (Mangifera indica L.). Fruits, 69(2), 101-115. https://www.cambridge.org/core/journals/fruits/article/influence-of-zein-and-gelatin-coatings-on-the-postharvest-quality-and-shelf-life-extension-of-mango-mangifera-indica-l/FAE8D3801D5CBF0C8B96B7181752ACFC

Hossain, M. S., & Iqbal, A. (2016). Effect of shrimp chitosan coating on postharvest quality of banana (Musa sapientum L.) fruits. International Food Research Journal, 23(1), 277. http://ifrj.upm.edu.my/23%20(01)%202016/(41).pdf

Jafarizadeh, M. H., Osman, A., Tan, C. P., & Abdul, R. (2011). Development of an edible coating based on chitosan-glycerol to delay Berangan banana (Musa sapientum cv. Berangan) ripening process. International food research journal, 18(3). http://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&profile=ehost&scope=site&authtype=crawler&jrnl=19854668&AN=64500102&h=W0UkjIVGCWvbUFOstM7arak3SguKvV83sIM5AD%2Fa8b6TfaYGnFxobgWWgNiu506YsWCvxZj9qhKTk3L1XC2RLw%3D%3D&crl=c&casa_token=cugs06gPfc0AAAAA:w_l75kIPJSsKK5YRKB2olHULjo5TnfrtD1jQah38e83oRfINVv69u1DwXphE4kByKwY9qjtDBpuJAZx-

Jorge, P. C. S., Nucci, M., Rizzo, J. S., Assis, O. B. G., & Monteiro, M. (2011). Maçã “Royal Gala” revestida com quitosana estocada à temperatura ambiente. Boletim do Centro de Pesquisa e Processamento de Alimentos, 29(2), 253-264. https://www.researchgate.net/profile/Magali_Monteiro/publication/262957390_Shelf_Life_of_Fresh_and_Pasteurized_Organic_Passion_Fruit_Passiflora_Edulis_F_Flavicarpa_Deg_Pulp/links/56af5a0a08ae28588c62fca7/Shelf-Life-of-Fresh-and-Pasteurized-Organic-Passion-Fruit-Passiflora-Edulis-F-Flavicarpa-Deg-Pulp.pdf

Kean, T., & Thanou, M. (2010). Biodegradation, biodistribution and toxicity of chitosan. Advanced drug delivery reviews, 62(1), 3-11. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0169409X0900283X?casa_token=73Eb1Z-u9j0AAAAA:SX_tVOy92klLoFPURe4X2gyEX-2dHexu02qrQ0DRa5NitBrMDtlN5sNZ1fkgpIMswmT7rctIRu0

Kuniyoshi, J. N. La quitosana. (2012) Revista de química PUCP, 26(12), 10-12. http://revistas.pucp.edu.pe/index.php/quimica/article/view/6421

Leite, S. A., Castellani, M. A., Ribeiro, A. E. L., Moreira, A. A., & Aguiar, W. M. M. (2016). Perfil dos fruticultores e diagnóstico do uso de agrotóxicos no polo de fruticultura de Livramento de Nossa Senhora, Bahia. Extensão Rural, 23(2), 112-125. https://periodicos.ufsm.br/extensaorural/article/view/13538

Lorenzi, H.,Lacerda, M. T. C. & Bacher, L. B (2015). Frutas no Brasil: nativas e exóticas (de consumo in natura). Instituto Plantarum de Estudos da Flora.

Luvielmo, M. M., & Vieira Lamas, S. (2012). Revestimentos comestíveis em frutas. Estudos Tecnológicos em Engenharia, 8(1). https://core.ac.uk/download/pdf/228891333.pdf

Maia, L. H., Porte, A., & Souza, V. F. (2000). Filmes comestíveis: aspectos gerais, propriedades de barreira a umidade e oxigênio. Boletim do Centro de Pesquisa de Processamento de Alimentos, 18(1). https://revistas.ufpr.br/alimentos/article/download/1129/930

Mariano-Torres, J. A., López-Marure, A., & Domiguez-Sánchez, M. Á.(2015). Síntesis y caracterización de polímeros a base de ácido cítrico y glicerol: Su aplicación en polímeros não biodegradáveis: Su aplicación en polímeros não biodegradáveis. Dyna, 82(190), 53-59. https://ipn.elsevierpure.com/en/publications/synthesis-and-characterization-of-polymers-based-on-citric-acid-a

Melo, N. F. C. B. (2020). Bioatividade de coberturas comestíveis a base de quitosana em gel e nanopartículas na conservação de morangos (Fragaria x ananassa) (Tese de Doutorado), Universidade Federal de Pernanbuco, PE.

Morin-Crini, N., Lichtfouse, E., Torri, G., & Crini, G. (2019). Applications of chitosan in food, pharmaceuticals, medicine, cosmetics, agriculture, textiles, pulp and paper, biotechnology, and environmental chemistry. Environmental Chemistry Letters, 17(4), 1667-1692. https://link.springer.com/article/10.1007/s10311-019-00904-x

Nasser, F. A. D. C. M., Boliani, A. C., Nasser, M. D., Pagliarini, M. K., & Mendonça, V. Z. (2016). Conservação de mangabas submetidas à aplicação de quitosana. Científica, 44(3), 279-285. http://cientifica.org.br/index.php/cientifica/article/view/793

Neves, L. C (2016). Manual pós-colheita da fruticultura brasileira. Eduel.

Pignati, W. A., Lima, F. A. N. D. S., Lara, S. S. D., Correa, M. L. M., Barbosa, J. R., Leão, L. H. D. C., & Pignatti, M. G. (2017). Distribuição espacial do uso de agrotóxicos no Brasil: uma ferramenta para a Vigilância em Saúde. Ciência & Saúde Coletiva, 22, 3281-3293. https://www.scielosp.org/article/csc/2017.v22n10/3281-3293/

Pinto, J. A. V., Brackmann, A., Schorr, M. R. W., Venturini, T. L., & Thewes, F. R. (2012). Indução de perda de massa na qualidade pós-colheita de Pêssegos 'Eragil' em armazenamento refrigerado. Ciência Rural, 42, 962-968. https://www.scielo.br/j/cr/a/4KnjWpKSPgLQtfBSK9nXs6C/?format=html&lang=pt

Rabea, E. I., Badawy, M. E. T., Stevens, C. V., Smagghe, G., & Steurbaut, W. (2003). Chitosan as antimicrobial agent: applications and mode of action. Biomacromolecules, 4(6), 1457-1465. https://pubs.acs.org/doi/abs/10.1021/bm034130m?casa_token=fOCx0HxEjuoAAAAA:BjLG9OH-tZJhO8iZz-i6i8CjDBVSsCtoDDSeWL4z0zTeqXVIscjYKPK8eNfFd0NvORXAb2YmbVr6Em9U

Rolim, A. E. H., Carvalho, vF. A., Costa, R. C. C., & Rosa, F. P. (2018). Arcabouços de quitosana-propriedades físico-químicas e biológicas para o reparo ósseo. Rev. Virtual. Quim, 10. https://www.researchgate.net/profile/Ana_Emilia_Rolim/publication/325160842_Chitosan_Scaffolds_-_Physico_-

Sanches, A. G., da Silva, M. B., Moreira, E. G. S., & Cordeiro, C. A. M. (2018). Preservação da qualidade pós-colheita da carambola com solução filmogênica de quitosana. Colloquium Agrariae, 14(2),122-132. http://revistas.unoeste.br/index.php/ca/article/view/1821

Sasaki, F. F. C., Pereira, M. E. C., de Morais, P. L. D., de Almeida, G. V. B., Terao, D., Oster, A. H., & Cerqueira, T. S. (2018). Manejo pós-colheita e desenvolvimento de tecnologias para aplicação em pós-colheita para redução do uso de agrotóxicos em mamão. In: Simpósio do papaya brasileiro, Vitória. ES.

Sena, E. D. O. A., Araújo Couto, H. G. S., Paixão, R. C., Silveira, M. P. C., Oliveira Jr., L. F. G., & Carnelossi, M. A. G. (2016). Utilização de biofilme comestível na conservação pós-colheita de pimentão verde (Capsicum annuum L.). Scientia Plena, 12(8). https://www.scientiaplena.org.br/sp/article/view/2938

Sharif, R., Mujtaba, M., Ur Rahman, M., Shalmani, A., Ahmad, H., Anwar, T. & Wang, X. (2018). The multifunctional role of chitosan in horticultural crops; a review. Molecules, 23(4), 872. https://www.mdpi.com/1420-3049/23/4/872

Signini, R., & Campana Filho, S. P. (1998). Purificação e caracterização de quitosana comercial. Polímeros, 8, 63-68. https://www.scielo.br/j/po/a/4s3Nd9ChqH79dqVNT7RyK4d/abstract/?lang=pt

Silva, M. G., Silva, S. B., Silva, J., Santin, C. K., Souza, D., & Frota Jr, M. (2015). Caracterização de filmes à base de quitosana. In Proceedings of the 9th Congresso Brasileiro de Engenharia Química em Iniciação Científica, São Paulo, SP

Slavin, J. L., & Lloyd, B. (2012). Health benefits of fruits and vegetables. Advances in nutrition, 3(4), 506-516. https://academic.oup.com/advances/article-abstract/3/4/506/4591497

Soares, N. D. F. F., Silva, D. F. P., Camilloto, G. P., Oliveira, C. P., Pinheiro, N. M., & Medeiros, E. A. A. (2011). Antimicrobial edible coating in post-harvest conservation of guava. Revista Brasileira de Fruticultura, 33(SPE1), 281-289. https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-29452011000500035&script=sci_arttext&tlng=pt

Souza, M. L. D., Morgado, C. M. A., Marques, K. M., Mattiuz, C. F. M., & Mattiuz, B. H. (2011). Pós-colheita de mangas' Tommy Atkins' recobertas com quitosana. Revista Brasileira de Fruticultura, 337-343. https://repositorio.unesp.br/handle/11449/4166

Souza, V. C., Lorenzi, H. & Flores, T. B (2019). Introdução à botânica: morfologia. Instituto Plantarum de Estudos da Flora.

Tanganini, I. C. (2019). Extração de quitosana a partir do resíduo de camarão e seu efeito sobre as leveduras do bioetanol. (Dissertação de Mestrado). Universidade Federal de São Carlos, Araras.

Xia, W., Liu, P., Zhang, J., & Chen, J. (2011). Biological activities of chitosan and chitooligosaccharides. Food hydrocolloids, 25(2), 170-179. https://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0268005X10000469?casa_token=UcztHoDDj7IAAAAA:93IgN6Ds1bNfU_wUei8CRAESrv_jrYcIcFl11J0VYDY8OMa-ohqg_RQVHXHYVhpKFWqUFxgnHnOo

Published

29/01/2022

How to Cite

ALMEIDA, A. R. L. S. de; BONILLA, O. H. .; LUCENA, E. M. P. de . Applications of chitosan in post-harvest fruit. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e39811225745, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25745. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25745. Acesso em: 21 feb. 2024.

Issue

Section

Review Article