Education 4.0: Value of Subjectivity in Meeting with Technology

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v11i2.25959

Keywords:

Education 4.0; Autonomy of thought; Thought authorship.

Abstract

Industry 4.0 is based on digital technological advances that demand educational processes that develop people to act in line with this scenario. Based on the ecological and systemic view, mainly on the concepts of bidirectionality and self-eco-organization, the aim of this text is to reflect on the effect of the connection between education 4.0 and industry 4.0 in Brazil in the constitution of subjectivity. Narrative review was applied in the fields of History and Philosophy of Education, Brazilian Industrialization and Educational and Organizational Psychology, to support a Brazilian socio-historical reading of the four industrial revolutions and their parallel with education, the influence on the Brazilian subjective position is inferred. Ethically positioned in terms of human and professional training, it is argued that technological advances should be at the service of human beings and not the other way around. In this sense, we conclude that dialogic and emancipatory education, aware of its subjective influence, has an important role in social justice. The appreciation of subjectivity supported by the construction of autonomy and thought authorship can serve as key elements to educational success in connection with Industry 4.0.

Author Biographies

Valéria Marques de Oliveira, Federal Rural University of Rio de Janeiro

Pós-Doutora em Educação/UERJ. Doutora em Psicologia/UFRJ. Mestre em Educação/UERJ. Psicóloga, Pedagoga, Psicopedagoga e Profa Pesquisadora no Programa de Pós-graduação Stricto Sensu em Psicologia/UFRRJ. Membro do Grupo: Aprendizagem e Cultura Organizacional na contemporaneidade: Narrativas Dialógicas Emancipatórias.

Hérica Landi de Brito, Centro Universitário Alves de Faria

Post-Doctor in Psychology/UFRRJ. Ph.D. in Psychology/UnB. Master in Psychology. Coordinator and Professor at the Alves de Faria University Center – UNIALFA, Goiânia, GO Brazil. Vice-leader of the Group: Learning and Organizational Culture in contemporary times: Emancipatory Dialogical Narratives.

Wilson de Jesus Beserra Almeida, Centro Universitário Alves de Faria

Post-Doctor in International Relations, Georgetown University - USA. Doctor in History of International Relations - UNB. Master in International Economics Universidad de Santiago de Compostela - Spain. Dean of Research, Graduate Studies, Coordinator and Prof. at the Alves de Faria University Center – UNIALFA, Goiânia, GO Brazil. Member of the Group: Learning and Organizational Culture in contemporary times: Emancipatory Dialogical Narratives.

Marcus Vinicius Barbosa, Federal Rural University of Rio de Janeiro

Doctoral student in Psychology/UFRRJ. Master in Environmental Sciences/UV. Professor / Vassouras University / Geraldo di Biase University Center. Member of the Group: Learning and Organizational Culture in contemporary times: Emancipatory Dialogical Narratives.

Alessandro Simões Marinho, Federal Rural University of Rio de Janeiro

Doctoral student in Psychology/UFRRJ. Master in Psychology/UFRRJ. Professor at Faculdade Sul Fluminense - FaSF. Member of the Group: Learning and Organizational Culture in contemporary times: Emancipatory Dialogical Narratives.

References

Andreotti, A. L. (2006). O governo Vargas e o equilíbrio entre a pedagogia tradicional e a pedagogia nova. Grupo de Estudos e Pesquisas "História, Sociedade e Educação no Brasil". Faculdade de Educação. UNICAMP. Coleção “Navegando pela História da Educação Brasileira”. <https://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/artigos/o-governo-vargas-e-o-equilibrio-entre-a-pedagogia-tradicional-e-a-pedagogia-nova>.

Araújo, J. N. G. (2012). Trabalho e usos da subjetividade. Arquivos Brasileiros de Psicologia. 64(2), 35-46. <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/arbp/v64n2/v64n2a04.pdf>.

Arquivo Nacional. (2021[1785]). Alvará de D. Maria I que proíbe o estabelecimento de fábricas e manufaturas no Brasil. 05 de janeiro de 1785. Junta da Fazenda da província de São Paulo. Folhas 27-28. http://historiacolonial.arquivonacional.gov.br/images/media/Junt%20da%20fazend%20COD439%20f27f27vf28.pdf.

Barreto, A. C. (2016). Paradigma Sistêmico no desenvolvimento humano e familiar: a teoria de Urie Bronfenbrenner. Psicologia em Revista, 22(2), 275-293. <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/per/v22n2/v22n2a03.pdf>.

Barroso Filho, J. (2021). Educação e suas pandemias: quando o vírus do passado contamina o futuro. Estadão.

Borges, E. F., & Cecílio, S. (2018). O Trabalho Docente no Brasil [década de 1950 aos dias atuais]: a precarização no contexto de (re)democratização. Holos, 5, 177-194. <https://www2.ifrn.edu.br/ojs/index.php/HOLOS/article/view/6535>.

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. <https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_05.10.1988/ind.asp>.

Brito, S. H. A. (2006). A educação no projeto nacionalista do primeiro governo Vargas (1930-1945). Grupo de Estudos e Pesquisas "História, Sociedade e Educação no Brasil". Faculdade de Educação. UNICAMP. Coleção “Navegando pela História da Educação Brasileira”. <http://www.histedbr.fe.unicamp.br/navegando/periodo_era_vargas_intro.html>.

Bronfenbrenner, U., & Morris, P. A. (1998). The ecology of developmental processes. In: Damon, W., Lerner, R. M. (Orgs.). Handbook of child psychology, Vol. 1: Theoretical models of human development. John Wiley, 993-1028.

Castells, M. (1999). A sociedade em rede. Paz e Terra.

Castro, H., & Tiezzi, S. (2005). A reforma do ensino médio e a implantação do ENEM no Brasil. In Schwartzman, S., Brock, C. (org.). Os desafios da educação no Brasil. Nova Fronteira.

CETIC. (2021). Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Home. Página de apresentação do site. <https://www.cetic.br/>.

Conforti, L. P. (2017). A Interpretação do Conceito de Trabalho Análogo ao Escravo no Brasil: O Trabalho Digno sob o Prisma da Subjetividade e a Consciência Legal dos Trabalhadores. Anais XXVI Encontro Nacional do Conpedi. <https://www.anamatra.org.br/files/ConpediFINAL.pdf>.

Corrêa, T. H. B., & Barbosa, N. A. P. (2018). Educação ambiental e consciência planetária: uma necessidade formativa. REMEA - Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 35(2), 125–136, 10.14295/remea.v35i2.7692. https://periodicos.furg.br/remea/article/view/7692.

Dejours, C. (2005). O Fator Humano. Tradução Maria Irene Stocco Betiol, Maria José Toneli. Editora FGV.

Delors, J. (1998). Os quatro pilares da educação. In: Educação: um tesouro a descobrir. Cortez.

Dewey, J. (1959). Interesse e esforço. In: Vida e Educação. Companhia Editora Nacional.

Freire, P. (1996). Pedagogia da Autonomia: saberes necessários à prática educativa. Paz e Terra.

Friedrich, M., Benite, A. M. C., Benite, C. R. M., & Pereira, V. S. (2010). Trajetória da escolarização de jovens e adultos no Brasil: de plataformas de governo a propostas pedagógicas esvaziadas. Ensaio: avaliação e políticas públicas na Educação, Rio de Janeiro, 18(67), 389-410, https://doi.org/10.1590/S0104-40362010000200011.

Furtado, M. B., Pedroza, R. L. S., & Alves, C. B. (2014). Cultura, identidade e subjetividade quilombola: uma leitura a partir da psicologia cultural. Psicologia & Sociedade. 26(1), 106-115, <https://doi.org/10.1590/S0102-71822014000100012>.

Gotardo, C. A., & Favaro, N. A. L. G. (2019). Escola pública: origens e funções no período da revolução industrial inglesa. Horizontes - Revista de Educação, 7(13), 37-54. https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/horizontes/article/view/9122.

Gouvêa, C. B. (2009). Subjetividade, Cidadania, Pessoas Constitucionais e emancipação: Conceitos Adversos que Necessitam Maior Compreensão. Seara Jurídica. 2, 63-71. <http://web.unijorge.edu.br/sites/searajuridica/pdf/anteriores/2009/2/searajuridica_2009_2_pag63.pdf>.

Harouche, C. (2009). Reflexões sobre a subjetividade na colonização. Conexão Letras. 4(4). <https://seer.ufrgs.br/conexaoletras/article/download/55581/33791>.

Hermann, M., Pentek, T., & Otto, B. (2015). Design Principles for Industrie 4.0 Scenarios: A Literature Review. Working paper, nº1/2015. Technische Universität Dortmund Fakultät Maschinenbau Audi Stiftungslehrstuhl Supply Net Order Management. https://www.researchgate.net/publication/307864150_Design_Principles_for_Industrie_40_Scenarios_A_Literature_Review.Acesso em 31/07/2021.

Mogilka, M. (2010). A mediação na educação popular e seu impacto na subjetividade. Extensão em Foco, 6, 101-111, <https://revistas.ufpr.br/extensao/article/view/32118/20421>.

Mometti, C. (2021). O saber necessário à prática docente na humanidade digital. Revista de Educação Matemática, 18, e021010, 24 <http://revistasbemsp.com.br/index.php/REMat-SP/article/view/482>.

Rahman, A. W. S. R., Widya, R. N., & Yugafiati, T. R. (2019). Elementary Education Literacy in the Era of Industrial Revolution 4.0. Advances in Social Science, Education and Humanities Research, 257. UPI 2nd International Conference on Language, Literature, Culture and Education (ICOLLITE 2018). 190-193. <https://www.atlantis-press.com/proceedings/icollite-18/55915098>.

Ribeiro, J. L. P. Revisão de Investigação e Evidência Científica. (2014). Psicologia, Saúde & Doenças. 15(3), 671-682. https://www.redalyc.org/pdf/362/36232744009.pdf.

Saes, D. A. M. (2001). A questão da evolução da cidadania política no Brasil. Estudos Avançados. 15(42), 379-410. <https://www.scielo.br/j/ea/a/4tXzWL8S6w3q59BHL4Pc99h/?format=pdf&lang=pt>.

Santos, B. S. (1991). Subjetividade, Cidadania e Emancipação. Revista Crítica de Ciências Sociais, 32, <https://www.ces.uc.pt/publicacoes/rccs/artigos/32/Boaventura%20de%20Sousa%20Santos%20-%20Subjectividade,%20Cidadania%20e%20Emancipacao.pdf>.

Sartori, G., Zanotto, M. P., & Fachinelli, A. C. (2018). Liderança em Tempos de Indústria 4.0: Novos Papéis para um Novo Perfil? XVIII Mostra de Iniciação Científica, Pós-graduação, Ensino e Extensão. Programa de Pós-graduação em Administração. UCS. <http://www.ucs.br/etc/conferencias/index.php/mostraucsppga/xviiimostrappga/paper/viewFile/6022/1963>.

Saviani, D. (2007). O pensamento pedagógico brasileiro: da aspiração à ciência sob suspeição. In: Educação e Filosofia, Uberlândia. 21(42), 13-35, http://www.seer.ufu.br/index.php/EducacaoFilosofia/article/view/463/445.

Schwab, K. S. (2016). A Quarta Revolução Industrial. Edipro.

Schwartzman, S. (2005). Os desafios da educação no Brasil. In: Schwartzman, S., Brock, C. (org.). Os desafios da educação no Brasil. Rio de Janeiro: Nova Fronteira.

Siqueira Junior, P. H. (2007). Direito informacional: direito da sociedade da informação. Revista dos Tribunais, 96(859), 743-749.

Silva, F. G. (2009). Subjetividade, individualidade, personalidade e identidade: concepções a partir da psicologia histórico-cultural. Psicologia da Educação, São Paulo, 28, 1º sem., 169-195. <http://pepsic.bvsalud.org/pdf/psie/n28/v28a10.pdf>.

Silva, M. L. (2014). Biopolítica e espaço escolar: subjetividade e racismo no Brasil. Horizontes. USF. 32(2), 111-122, <https://revistahorizontes.usf.edu.br/horizontes/article/download/94/49>.

Silva, R. A. (2020). Educação 4.0 para a Indústria 4.0: Protagonismo do Avanço Social no Cenário Introduzido pela Sociedade da Informação. Boletim Piauí. Primeira à Última Infância. Núcleo Estudos do Futuro. Programas de Pós-Graduação em Economia e Administração da PUC-SP. <https://www5.pucsp.br/catedraignacysachs/boletim-piaui/artigo-2-piaui.pdf>.

Sopa, A., Asbari, M., Purwanto, A., Santoso, P. B., Mustofa, Hutagalung, D., Maesaroh, S., Ramdan, M. & Primahendra, R. (2020). Hard Skills versus Soft Skills: Which are More Important for Indonesian Employees Innovation Capability. International Journal of Control and Automation. 13(2), 156–175. https://www.researchgate.net/profile/Agus-Purwanto-10/publication/340412466_Hard_Skills_versus_Soft_Skills_Which_are_More_Important_for_Indone sian _Empl oyees_Innovation_Capability/links/5e979b2aa6fdcca7891c232f/Hard-Skills-versus-Soft-Skills-Which-are-More-Important-for-Indonesian-Employees-Innovation-Capability.pdf.

Downloads

Published

31/01/2022

How to Cite

OLIVEIRA, V. M. de .; BRITO, H. L. de; ALMEIDA, W. de J. B.; BARBOSA, M. V.; MARINHO, A. S. Education 4.0: Value of Subjectivity in Meeting with Technology. Research, Society and Development, [S. l.], v. 11, n. 2, p. e44611225959, 2022. DOI: 10.33448/rsd-v11i2.25959. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/25959. Acesso em: 3 mar. 2024.

Issue

Section

Review Article