Family dynamics and childhood depression: An analysis of signs, risk factors and psychotherapeutic interventions at school age

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v12i12.43982

Keywords:

Depression in children; Family network; School-age children; Child psychotherapy.

Abstract

Depression in childhood is a complex challenge to identify, as children are in full development and exposed to various environmental stimuli. Through a systematic review of the literature, this study addresses the need for a careful assessment focused on family dynamics in order to identify signs of depression in school-age children, since their behaviors and thoughts are different from those of adults. These signs encompass a variety of psychological factors, such as expressions of anger, irritation, disinterest and psychomotor and learning problems. Biological factors also play a role, including genetic predisposition and influences during pregnancy, such as trauma and substance use. In addition, social and economic factors, such as vulnerability, family relationships and the environment, have a direct impact on children's development. The family system can provide support, security and shelter, or trigger depressive disorders through neglect, lack of affective reciprocity, overprotection and activity overload. Children between the ages of 6 and 12 are especially focused on relationships and developing their own interests, making them susceptible to depression. Psychology intervenes in a preventive and therapeutic way, using approaches such as family therapy and psychoeducation (FPT) and interpersonal therapy (IPT) involving specialized listening and guidance for both children and their families, as well as targeting public policies aimed at vulnerability. In addition, in order for this disorder to be identified, prevented and better psychodiagnosed, more studies are needed to point out the particularities found in children.

References

Amaral, N. (2019). Depressão: Como um psicólogo pode ajudar na cura da depressão. http://www.psicologopsicoterapia.com.br/depressão.html

American Psychiatric Association. (2014). DSM – V – TR: manual diagnóstico e estatístico de transtornos mentais 5. Artmed.

Barbosa, I. C., Souza, J. A. D., & Ferreira, L. P. M. (2021). Comportamentos agressivos na infância: origens e influências da relação com os pais. https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/17240

Bastos, E. M., & de Medeiros Machado, E. T. (2019). Psicodiagnóstico na Depressão Infantil. Revista Interdisciplinar Encontro das Ciências-RIEC, 2 (1), 604-620.

Bertunes, L. dos S., & Bonini, T. F. (2022). Saúde mental de filhos de pais com diagnóstico de transtorno depressivo: o papel do psicólogo. Revista Unisan, 17(42), 1-67.

Calçada, A. (2014). Depressão na infância. Revista Psique Ciência & Vida, 7(98), 22-23.

Carvalho, T. C. F., Teixeira, Z. D., Vilela, P. R., & dos Santos, J. P. (2021). A depressão infantil e o pedagogo em cena. Research, Society and Development, 10 (17), 1-15.

Costa, E. L., & Souza, J. R. S. (2019). Família e escola: as contribuições da participação dos responsáveis na educação infantil. Khóra: Revista Transdisciplinar, 6(7).

Chaves, A. P. C. (2023). A depressão em crianças no processo de aprendizagem: com ênfase no 1° ano do Ensino Médio. Epitaya.

Cruvinel, M. & Boruchovitch, E. (2014). Compreendendo a depressão infantil. Vozes.

Fraga, B. P. (2015). Depressão na infância: uma revisão de literatura. https://lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/141362/000992358.pdf

Freitas, P. L., & Marback, R. F. (2016). Depressão infantil e impactos no desenvolvimento do indivíduo. Seminário estudantil de produção acadêmica, 15.

Freitas, S. M. B. (2019). A relação entre dificuldades no funcionamento familiar, auto-regulação e ansiedade e depressão infantil. (Dissertação de Mestrado), Universidade de Lisboa. Lisboa, Portugal.

Gusmão, A. B., Machado, R. D. M. X., Ferreira, B. W. R. C., Duarte, L. D. S. M., Coutinho, M. B., & Macedo, C. L. (2020). Tratamento da depressão infantil: atuação multiprofissional do psicólogo e do farmacêutico. Temas em Saúde, 20(1), 428-450.

Marinho, P. R. (2020), Depressão infantil: contribuições da psicoterapia clínica cognitivo-comportamental. Revista Saúde em Foco, 12(1), 27-38.

Mata, N. T., Silveira, L. M. B. D., & Deslandes, S. F. (2017). Família e negligência: uma análise do conceito de negligência na infância. Ciência & Saúde Coletiva, 22, 2881-2888.

Mello, K. C., & Cholodovskis, S. A. D. (2022). A Importância da representação social no diagnóstico da depressão infantil e seu papel como ferramenta para promoção da educação de crianças depressivas. Graduação em Movimento-Ciências Humanas e Sociais, 1(1), 73-73.

Organização das Nações Unidas (2021). Relatório global: OMS registra aumento no número de casos de depressão em todo o mundo. Brasil.: https://www.paho.org/pt/topicos/depressao.#gsc.tab=0

Oaklander, V. (1980). Descobrindo Crianças: Abordagem Gestaltica com crianças e adolescentes. Summus Editorial.

Paes, S. C. (2022). Depressão infantil e sua inserção na atualidade: uma análise da literatura. HPC Health and Science Journal, 1(1), 71-82.

Leite, S. R. M., & Carvalho, A. B. (2018). Relação entre a educação infantil e a família: em busca de uma educação acolhedora. Nuances [Internet], 29 (2), 211-223.

Ramos, V. A. B. (2018). Depressão na infância e adolescência. O portal dos psicólogos, 1-22.

Ribeiro, D. G., Perosa, G. B. & Padovani, F. H. P. (2014). Fatores de risco para o desenvolvimento de crianças atendidas em Unidades de Saúde da Família, ao final do primeiro ano de vida. Ciência & Saúde Coletiva. 19(1), 215-226.

Ribeiro, F. M. A., Fernandes, F. E. C. V., & Melo, R. A. (2021). Rede de proteção a crianças e adolescentes em situação de violência na visão dos profissionais. Revista Baiana de Enfermagem‏, 35.

Rodrigues, O. M. P. R. & Melchiori, L. E. (2014). Aspectos do desenvolvimento na idade escolar e na adolescência. Acervo digital da UNESP, 1-17. https://acervodigital.unesp.br/handle/unesp/155338

Rother, E. T. (2007). Revisão sistemática X revisão narrativa. Acta Paul Enferm. 20 (2), 1-5.

Santos, C. R, Dias, L. L. G. & Jesus, S. J. F. (2022). Fatores de risco e vínculos afetivos: implicações sobre o desenvolvimento social e emocional de crianças. Belo Horizonte, https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/30923

Santos, J. M., de Souza, J. F., Ribeiro, C. L., Esmeraldo, J. D. A., do Nascimento, S. M. M., & Nascimento, P. A. C. (2021). Fatores de risco para a depressão infantil. Saúde Coletiva (Barueri), 11(67), 6839-6850.

Silva, N. R., Bolsoni-Silva, A. T., & Loureiro, S. R. (2020). Problemas de comportamento e recurso pró-social na avaliação de mães e professoras. Psicologia Escolar e Educacional, 24, 1-11.

Published

13/11/2023

How to Cite

RODRIGUES, G. C. R. .; DELFINO, D. . Family dynamics and childhood depression: An analysis of signs, risk factors and psychotherapeutic interventions at school age. Research, Society and Development, [S. l.], v. 12, n. 12, p. e57121243982, 2023. DOI: 10.33448/rsd-v12i12.43982. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/43982. Acesso em: 26 feb. 2024.

Issue

Section

Health Sciences