Brazilian Aquaculture: The view of the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply based on the General Registration System for Fisheries and Aquaculture

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.8398

Keywords:

Aquaculture; Cultivation; Data; Species; Production.

Abstract

Analysis of the aquaculture scenario from the MAPA database in order to outline the profile of Brazilian aquaculture. The methodology employed works data from SisRGP, statistical analysis and quali-quantitative improvement of the data, the results of which show aquaculture based on fish farming in a tank excavated with semi-intensive and intensive tilapia monoculture, using river water and inconsistent records regarding the licensing of the activity. For long-term planning, it is necessary that directive actions be taken, such as conducting a national aquaculture census, georeferencing and creating a database that concentrates the sector's information.

References

ABCC. (2020). Balança Comercial de Pescado Nº3. Rio Grande do Norte: Associação Brasileira de Criadores de Camarão Recuperado de https://abccam.com.br/wp-content/uploads/2020/07/Balan%C3%A7a-Comerical-ABCC-2020-JUNHO.pdf.

Albim, F (2020). É possível e lucrativo criar camarão marinho em viveiro. Revista Rural. São Paulo. Recuperado de https://www.revistarural.com.br/2020/03/20/e-possivel-e-lucrativo-criar-camarao-marinho-em-viveiro/

Barbieri, E.; Marquez, H. L. de A.; Campolim, M. B.; Salvarani, P. I. (2014). Avaliação dos Impactos Ambientais e Socioeconômicos da Aquicultura na Região Estuarina-Insular de Cananéia, São Paulo, Brasil. Gestão Costeira Integrada, 14(3), 385-398. Recuperado de http://www.scielo.mec.pt/pdf/rgci/v14n3/v14n3a03.pdf.

Biegańska, J. & Piḁtkowska, E. (2012). Waste Management in Aquaculture. Archives of Waste Management and Enviromental Protection, 14(2), 43-50. Recuperado de https://www.academia.edu/3602138/Waste_Management_in_Aquaculture

Bostock, J.; Mcandrew, B.; Richards, R.; Jauncey, K.; Telfer, T.; Lorenzen, K.; Little, D.; Ross, L.; Handisyde, N.; Gatward, I.; Corner, R. (2020). Aquaculture: global status and trends. Philosophical Transactions of the Royal Society of Biologial Sciences, 365, 2.897-2.912. doi: 10.1098/rstb.2010.0170

Brasil. (1988). Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Diário Oficial da União. Brasília. Recuperado de https://www.senado.leg.br/atividade/const/con1988/con1988_ 26.06.2019/ind.asp

Brasil. (2011). Instrução Normativa MPA n. 6, de 20 de maio de 2011. Dispõe sobre o Registro e a Licença de Aquicultor, para o Registro Geral da Atividade Pesqueira – RGP. Diário Oficial da União. Brasília. Recuperado de http://pesquisa.in.gov.br/imprensa/core/jornalList.action.

Brasil. (2011). Lei n. 12.527, de 18 de novembro de 2011. Regula o acesso a informações previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal; altera a Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990; revoga a Lei nº 11.111, de 5 de maio de 2005, e dispositivos da Lei nº 8.159, de 8 de janeiro de 1991; e dá outras providências. Recuperado de http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2011/lei/l12527.htm

Brasil. (2015). Zoneamento Aquícola: análise de contexto e abordagens técnicas. Palmas: Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuárias. Recuperado de https://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/item/120400/1/cnpasa-2015-doc10.pdf.

Brasil (2016). Nota Técnica de março de 2016: Apresenta a Intensificação Produtiva Da Aquicultura Brasileira e Novas Demandas Tecnológicas. Brasília: Empresa Brasileira de Pesquisas Agropecuária. Recuperado de https://www.researchgate.net/profile/Manoel_Pedroza/publication/321170388_NOTA_TECNIca_intensificacao_produtiva_da_aquicultura_brasileira_e_novas_demandas_tecnologicas/links/5a130fefa6fdcc717b524848/nota-tecnica-intensificacao-produtiva-da-aquicultura-brasileira-e-novas-demandas-tecnologicas.pdf.

Brasil. (2017). Coleção SENAR: Produção de camarão marinho: preparação do viveiro, povoamento, manejo e despesca. Brasília: SENAR. Recuperado de https://www.cnabrasil.org.br/assets/arquivos/167-PRODU%C3%87%C3%83O.pdf.

Cavalcante, E.D. & Steinmuller, M. I. (2017). Rodolpho von Iehirng e a Comissão Técnica de Piscicultura do Nordeste: A descoberta da técnica da hipofisação no açude Bodocongó em Campina Grande-PB (1934-1935). Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Sul, (152), 129-155. Recuperado de https://seer.ufrgs.br/revistaihgrgs/article/view/73292/42704.

Crab, R.; Avnimelech, Y.; Defoirdt, T.; Bossier, P. & Verstraete, W. (2007). Nitrogen removal techniques in aquaculture fora a sustainable production. Aquaculture, 270 (1-4), 02-08. doi: http://dx.doi.org/10.1016/j.aquaculture.2007.05.006

FAO (2016). Superação da Fome e da Pobreza Rural – iniciativas brasileiras. Brasília: Food and Agriculture Organization. Recuperado de http://www.fao.org/3/a-i5335o.pdf.

FAO (2020). The State of World Fisheries and Aquaculture: Sustainability in Action. Rome: Food and Agriculture Organization. doi: https://doi.org/10.4060/ca9229en

Goiás (2017). Atlas Rural e Agropecuário. Goiás: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Recuperado de https://www.emater.go.gov.br/wp/biblioteca_virtual/?taxonomy=atlas-rural-e-agropecuario.

Gosch, A. C., Ratton, E. & Queiroz, S. M. P. de (2019). Avaliação Ambiental Integrada – Análise de impactos cumulativos e sinérgicos de empreendimentos na Bacia do Alto Paraguai. 10º Congresso Brasileiro de Gestão Ambiental, (pp.1-9). Fortaleza, CE, Brasil. Anais. Recuperado de https://www.ibeas.org.br/congresso/Trabalhos2019/V-055.pdf

Henry-Silva, G. G.; Camargo, A. F. M. (2008). Impacto das Atividades de Aquicultura e Sistemas de Tratamento de Efluentes com Macrófitas Aquáticas – Relato de caso. Boletim do Instituto de Pesca. São Paulo, 34(1), 163-173. Recuperado de https://www.pesca.sp.gov.br/34_1_163-173.pdf.

Marques, E. A. T., Sobral, M. do C. M., Cunha, M. C. C. & Melo, M. G. S. de (2015). Análise dos Procedimentos de Regularização Ambiental da Atividade Aquícola em Pernambuco. Revista Brasileira de Ciências Ambientais, 36, p. 60-78. doi: 10.5327/Z2176-947820151011

Mato Grosso (2020). Psicultura. Cuiabá: Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico. Recuperado de http://www.sedec.mt.gov.br/-/10101135-psicultura?ciclo=cv_agricultura_empresarial.

Mello, S. C. R. P.; Oliveira, E. da C. P. de; Seixas, J. T. de S., F. (2017). Aspectos da Aquicultura e sua Importância na Produção de Alimentos de Alto Valor Biológico. Revista Semioses. Rio de Janeiro, 11(2), 28-34. Recuperado de https://www.researchgate.net/publication/320731449_aspectos_da_aquicultura_e_sua_importancia_na_producao_de_alimentos_de_alto_valor_biologico.

Mendes, P. de P. (1999) Testes de Hipóteses e Significância. In: MENDES, P. de P. Estatística Aplicada à Aquicultura. (pp. 51-96). Recife: Bagaço.

Oliveira, P. K. de; Brito, K. C. T. de; Fermino, M. H.; Brito, B. G. de; Rocha, A. F. da; Cavalli, L. S. (2016). Mapa de Risco na Aquicultura – Uma ferramenta essencial na promoção da saúde e segurança do trabalhador. Panorama da Aquicultura, 26(154), 44-47. Recuperado de: https://www.researchgate.net/publication/303689940_Mapa_de_Risco_na_Aquicultura_ uma_ferramenta_essencial_na_promocao_da_saude_e_seguranca_do_trabalhador.

Paraná (2019). Resolução SEDEST n 59, 20 de novembro de 2019. Estabelece normas e critérios para o licenciamento ambiental de empreendimentos e atividades de aquicultura e maricultura. Diário Oficial do Estado do Paraná. Curitiba. Recuperado de https://www.legislacao.pr.gov.br/legislacao/listarAtosAno.do?action=exibir&codAto=229667&indice=1&totalRegistros=106&anoSpan=2020&anoSelecionado=2019&mesSelecionado=0&isPaginado=true

PEIXEBR (2020). Anuário 2020: Peixe BR da Piscicultura. São Paulo: Associação Brasileira de Piscicultura. Recuperado de: https://www.peixebr.com.br/anuario-2020/.

Pereira, L.A. & Rocha, R.S. da. (2015). A maricultura e as bases econômicas, social e ambiental que determinam seu desenvolvimento e sustentabilidade. Ambiente & Sociedade. (3). P.41-54. Recuperado de https://www.scielo.br/pdf/asoc/v18n3/1809-4422-asoc-18-03-00041.pdf.

Piedras, S. R. N.; Pouey, J. L. O. F.; Moraes, P. R. R. (2005) Uso de Áreas Degradadas pela Extração de Areia no Cultivo Intensivo de Pescado em Tanque-Rede. Revista Brasileira Agrociência. 11(4), 467-470. Recuperado de: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/CAST/article/view/1287/1074.

Rio Grande do Sul (2018). Resolução CONSEMA 372, 22 de fevereiro de 2018. Dispõe sobre os empreendimentos e atividades utilizadores de recursos ambientais, efetiva ou potencialmente poluidores ou capazes, sob qualquer forma, de causar degradação ambiental, passíveis de licenciamento ambiental no Estado do Rio Grande do Sul, destacando os de impacto de âmbito local para o exercício da competência municipal no licenciamento ambiental. Diário Oficial do Rio Grande do Sul. Porto Alegre. Recuperado de https://www.sema.rs.gov.br/resolucoes

Rocha, C. M. C. da; Resende, E. K. de; Routledge, A. B.; Lundstedt, L. M. (2013). Avanços na Pesquisa e no Desenvolvimento da Aquicultura Brasileira. Pesquisa Agropecuária Brasileira. 48(8), 4-6. Recuperado de http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100-204X2013000800003.

Rondônia (2020). Piscicultura. Rondônia: Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural. Recuperado de http://www.emater.ro.gov.br/ematerro/piscicultura/.

Silva, R. M. D.; Bacholsky & R. G.; Jerônimo, C. H. de M. (2015). Produção de Biodiesel por Algas: Integração com Processos de Carcinicultura. Revista Eletrônica em Gestão, Educação e Tecnologia Ambiental. 19(3), 713-724. Recuperado de https://periodicos.ufsm.br/reget/article/view/17784.

Siqueira, T. V. de (2017). Aquicultura: A Nova Fronteira para Aumentar a Produção Mundial de Alimentos de Forma Sustentável. IPEA – Boletim Regional, Urbano e Ambiental. 17, 53-60. Recuperado de http://repositorio.ipea.gov.br/bitstream/11058/8142/1/BRU_n17_ Aquicultura.pdf.

Tocantins (2018). Situação Atual da Aquicultura Tocantinense. Palmas: Secretaria do Desenvolvimento da Agricultura e Pecuária. Recuperado de https://central3.to.gov.br/arquivo/425909/.

Vidal, M. de F. & Ximenes, L.F. (2019) Produção de pescados na área do BNB. Caderno Setorial ETENE. 4(91), 1-18. Recuperado de https://www.bnb.gov.br/documents/80223/5851169/91_Pesca_Aquicultura.pdf/8c5c8ea8-12d8-2d68-bda7-558647a18452

Published

26/09/2020

How to Cite

ANDRADE, A. S. . Brazilian Aquaculture: The view of the Ministry of Agriculture, Livestock and Supply based on the General Registration System for Fisheries and Aquaculture. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e2759108398, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.8398. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/8398. Acesso em: 6 oct. 2022.

Issue

Section

Agrarian and Biological Sciences