Analysis of the study routine of Medical students at a Federal University in the hinterland of Ceará

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9076

Keywords:

Students; Learning; Curriculum.

Abstract

The main objective of this study is to trace the profile of students at the Universidade Federal do Ceará (UFC) Medical School, Campus Sobral in relation to study habits and participation in curricular and complementary activities. Data collection occurred between September and October 2019, through the application of a questionnaire with twelve questions on varied topics, such as general information, study methods used and   participation in complementary and parallel activities. The data obtained were duly tabulated, resulting in graphs and tables analyzed using descriptive statistics. The analysis of the 264 respondent students indicated that most students are male and, on average, 22 years old. These students use the internet as the main source of study, mainly seeking access to textbooks. About 56% of the students reported difficulties in adapting to academic life, due to the total volume of content and inadequate study methods. The most frequent complementary activity was participation in academic leagues. The theme “Radiology” was considered the main deficiency in the curriculum, being cited by 29.03% of the participants. The parallel activities most performed by the students include cultural events, sports activities, and religious practices.  From the topics analyzed in this study, it is possible to observe and understand the reality of the students. This fact is fundamental for the elaboration of more appropriate educational models, aiming at an approach that provides improvements in current medical education.

References

Assis, R. M., & Bonifácio, N. A. (2011). A formação docente na universidade: ensino, pesquisa e extensão. Educação e Fronteiras, 1(3), 36-50.

Ávila, R. C. (2014). Formação das Mulheres nas Escolas de Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, 38 (1), 142-149.

Bampi, L. N. S., Baraldi, S., Guilhem, D., Araújo, M. P. & Campos, A. C. O. (2013). Qualidade de Vida de Estudantes de Medicina da Universidade de Brasília. Revista Brasileira de Educação Médica, 37 (2), 217-225.

Cardoso Filho, F. A. B., Magalhães, J. F., Silva, K. M. L., & Pereira, I. S. S. D. (2015). Perfil do estudante de Medicina da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), 2013. Revista Brasileira de Educação Médica, 39(1), 32-40.

Carvalho, R. A., & Struchiner, M. (2017). Conhecimentos e expertises de universidades tradicionais para o desenvolvimento de cursos a distância da Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS). Interface - Comunicação saúde educação, 21(63), 991-1003.

Chaer, G, Diniz, R. R. P., & Ribeiro, E. A. (2011). A técnica do questionário na pesquisa educacional. Evidência - Araxá, 7(7), 251-266.

Chehuen, J. A., Neto, Sirimarco, M. T., Cândido, T. C., Ferreira, I. A., Campos, R. C. F., & Martins, S. C. (2013). Currículo paralelo na graduação médica na perspectiva dos estudantes. Revista Médica de Minas Gerais, 23(4), 467-478.

Chehuen, J. A., Neto, Sirimarco, M. T., Vital, L. V., Balbi, G. G. M., Marangoni, M. C., Oliveira, V. S., & Ferreira, R. E. (2016). Fontes de estudo e pesquisa entre os estudantes de medicina. Revista Médica de Minas Gerais, 26, e-1787.

Ferreira, I. G., Carreira, L; B., Botelho, N. M, & Souza, L. E. A. (2016). Atividades extracurriculares e formação médica: diversidade e flexibilidade curricular. Interdisciplinary Journal of Health Education, 1(2), 114-124.

Figueiredo, A. M., Ribeiro, G. M., Reggiani, A. L. M., Pinheiro, B. A., Leopoldo, G. O., Duarte, J. A. H., Oliveira, L. B., & Avelar, L. M. (2014). Percepções dos estudantes de Medicina da UFOP sobre sua qualidade de vida. Revista Brasileira de Educação Médica, 38(4), 435-443.

Figueiredo, E. T., Morais, A. M., Costa, A. M. D. D., & Terra, F. S. (2009). Influência da rotina acadêmica na prática de atividade física em graduandos de Medicina. Revista da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, 7(3), 174-176.

Fiorott, K. P., Rossoni, R. R., & Miranda, A. E. (2010). Perfil do Estudante de Medicina da Universidade Federal do Espírito Santo, 2007. Revista Brasileira de Educação Médica, 34(3), 355-362.

Guedes, T. R. M. T. (2019). Uso de aplicativos móveis em Medicina: atitude dos discentes e docentes. Dissertação de mestrado, Programa de Mestrado Profissional em Ensino na Saúde da Faculdade de Medicina (FAMED), Universidade Federal de Alagoas. Maceió, Brasil.

Machado, C. D. B., Wuo, A., & Heinzle, M. (2018). Educação médica no Brasil: uma análise histórica sobre a formação acadêmica e pedagógica. Revista Brasileira de Educação Médica, 42(4), 66-73.

Marconi, M. & Lakatos, E. M. (2010). Fundamentos de metodologia científica (7ª ed.). São Paulo: Atlas.

Martinez, J. E., Pereira, D. A., Barril, E. S., Matos, S. F., & Santos, R. M. (2016). Resiliência em estudantes de Medicina ao longo do curso de graduação. Revista da Faculdade de Ciências Médicas de Sorocaba, 18(1), 15-18.

Monteiro, P. C. C., Oliveira, L. B., Marques, N. A., Rego, R. M., Lins, N. A. A., & Caldas, C. A. M. (2019). A sobrecarga do curso de Medicina e como os alunos lidam com ela. Brazilian. Journal of Health Review, 2(4), 2998-3010.

Moreira, L. M., Mennin, R. H. P., Lacaz, F. A. C., & Bellini, V. C. (2019). Ligas acadêmicas e formação médica: estudo exploratório numa tradicional escola de Medicina. Revista Brasileira de Educação Médica, 43(1), 115-125.

Motta, E. V., & Baracat, E. C. (2018). Treinamento de habilidades cirúrgicas para estudantes de medicina – papel da simulação. Revista de Medicina, 97(1), 18-23.

Oliveira, V. A., Savassi, L. C. M., Lemos, A. F., & Campos, F. E. (2016). E-learning for health in Brazil: UNA-SUS in numbers. Journal of the international society for telemedicine and ehealth, 4(e9), 1-7.

Paes, A. T., Dias, B. F., Eleutério, G. N., & Paula, V. P. (2018). Perfil dos ingressantes na primeira turma de graduação em Medicina da Faculdade Israelita de Ciências da Saúde Albert Einstein. Einstein (São Paulo), 16(3), 1-11.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., Shitsuka, R. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria: UAB/NTE/UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

Pereira, G. A. M., Santos, A. M. P. V., & Lopes, P. T. C. (2017). O ensino da Radiologia: uma análise dos currículos da área da saúde de instituições de ensino superior na região sul do Brasil. Revista Brasileira de Educação Médica, 41(2), 251-259.

Pereira, M. G. (1995). Epidemiologia: teoria e prática. (1ª ed). Rio de Janeiro: Guanabara Koogan.

Peres, C. M., Andrade, A. S., & Garcia, S. B. (2007). Atividades extracurriculares: multiplicidade e diferenciação necessárias ao currículo. Revista Brasileira de Educação Médica, 31(3), 203-211.

Pinheiro, A. M. N., Britto, D. G., Rocha, A. K. A., Fernandes, C., Bachur, T. P. R., & Aragão, G. F. (2020). Estratégias de ensino-aprendizagem na disciplina de Mecanismos de Agressão e Defesa num curso de Medicina. Revista Brasileira de Educação e Saúde, 10(1), 100-109.

Pinto, A. N., & Falcão, E. B. M. (2014). Religiosidade no contexto médico: entre a receptividade e o silêncio. Revista Brasileira de Educação Médica, 38(1), 38-46.

Purim, K. S. M., Santos, L. D. S. S., Murara, G. T., Maluf, E. M. C. P., Fernandes, J. W., & Skinovsky, J. (2013). Avaliação de treinamento cirúrgico na graduação de Medicina. Revista do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, 40(2), 152-156.

Querido, I. A., Naghettini, A. V., Orsini, M. R. C. A., Bartholomeu, D., & Montiel, J. M. (2016). Fatores associados ao estresse no internato médico. Revista Brasileira de Educação Médica, 40(4), 565-573.

Raddi, L. L. O., Silva Júnior, J. P., Ferrari, G. L. M., Oliveira, L. C., & Matsudo, V. K. R. (2014). Nível de atividade física e acúmulo de tempo sentado em estudantes de Medicina. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 20(2), 101-104.

Rego, R. M., Marques, N. A., Monteiro, P. C., Oliveira, C. L. O, Lins, N. A. A, Caldas, C. A. M. (2018). O perfil atual do estudante de Medicina e sua repercussão na vivência do curso. Research Medical Journal, 2(e05), 1-4.

Ribeiro, R. C., Reinaldo, A. R. G., Oliveira, D. P. A., Rezende, A. C. C., Estrela, Y. C. A., Rodrigues, V. R., & Pereira, F. E. L. et al. (2018). Relação da qualidade de vida com problemas de saúde mental em universitários de Medicina. Revista Brasileira de Qualidade Vida, 10(1), e7646.

Silva, J. R., Medeiros, F. B., Moura, F. M. S., Bessa, W. S., & Bezerra, E. L. M. (2015). O uso das tecnologias de informação e comunicação no curso de Medicina da UFRN. Revista Brasileira de Educação Médica, 39(4), 537-541.

Published

11/10/2020

How to Cite

SILVA, A. C. B. da; LIRA, R. C. M.; RIOS, F. H. C.; FERRANTE, N. P.; SOUSA, B. P.; SOUSA, G. G.; FREITAS, S. F. A. de. Analysis of the study routine of Medical students at a Federal University in the hinterland of Ceará. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e6159109076, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.9076. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9076. Acesso em: 28 jun. 2022.

Issue

Section

Health Sciences