Training, identity and inclusive practices of children's education teachers

Authors

DOI:

https://doi.org/10.33448/rsd-v9i10.9197

Keywords:

Teacher of Early Childhood Education; Identity; Formation.

Abstract

Day cares centers and pre-schools share caring with the family, which is fundamental to the child's development. However, it was up to this professional to build and consolidate this identity, understanding that early childhood education is not just drawing and playing, it is serious work, which demands care, knowledge and commitment to work. This time, a research was carried out in the municipal education network in the city of Itaúna-MG and São Miguel das Matas-BA with early childhood teachers, in which it was sought to highlight the training of professionals and their constitution, the identity of teachers belonging to the network and, mainly, the practice of the teacher of early childhood education in order to know and understand the working relationship of these professionals. The results indicate that early childhood teachers are advancing in the construction of their identity, investing in training and professional qualification, but the practice still presents several difficulties, mainly regarding inclusion.

References

Antunes, R. (2011). Adeus ao trabalho? Ensaios sobre metamorfoses e a centralidade do mundo. São Paulo (SP): Cortez.

Bahia, C. D. C. (2012) Identidade da professora de creche: constituição e condição da docência. Unicamp, Campinas, SP: Anais... ENDIPE, 16, Junqueira & MariEditores.

Bakhtin, M. (2010) A cultura popular na Idade Média e no Renascimento: o contexto de François Rabelais. São Paulo: Hucitec.

Barros, V. A., Oliveira, R, T, Silva, R. O. (Orgs) (2009) O trabalho na contemporaneidade: delimitações em um mundo de exclusão. Belo Horizonte: Conselho Regional de Psicologia de Minas Gerais.

Brasil, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica, DPE, COEDI. (2005) Política Nacional de Educação Infantil: pelo direito das crianças de zero a seis anos à educação. Brasília: MEC/ Secretaria de Educação Básica/DPE/COEDI.

Brasil, (2016). Altera a Lei nº 8.069, de 13 de julho de 1990. Estatuto da Criança e do Adolescente, a fim de fixar em cinco anos a idade máxima para o atendimento na educação infantil. Lei nº 13.306, de 4 de julho de 2016.

Brasil, (1996). Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996.

Brasil, (1971). Lei de Diretrizes e Bases da Educação, n. 5692. Brasília.

Brasil, Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. (1998). Referencial Curricular para a Educação Infantil. Brasília: MEC/SEF, v.1. v. 2, v.3.

Brasil, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. (2006). Parâmetros nacionais de qualidade para a educação infantil/Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Brasília.

Brasil, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. (2016). Ser docente na educação infantil: entre o ensinar e o aprender. Brasília. Recuperado em 13 de fevereiro de 2020, de http://pacto.mec.gov.br/materiaislistagem/item/download/4_6b11cd00a69bb01d6841b41899c14361.

Brasil, Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. (2009). Projeto de cooperação técnica MEC e UFRGS para construção de orientações curriculares para a educação infantil práticas cotidianas na educação infantil: bases para a reflexão sobre as orientações curriculares. Brasília. Recuperado em 15 março 2020, de http://portal.mec.gov.br/dmdocuments/relat_seb_praticas_cotidianas.pdf.

Cerisara, A. B. (2002). Professoras de educação infantil: entre o feminino e o profissional. São Paulo: Cortez.

Codo, W. (2006). Por uma psicologia do trabalho; ensaios recolhidos. São Paulo: Casa do Psicólogo.

Codo, W., & Mostafá, J. (2017, 06 maio). FÓRUM prof. Wanderley Codo e mestra em economia Joana Mostafá. Sinesp1. S Sindicato dos Especialistas de Educação do Ensino Público Municipal de São Paulo. [YouTube]. Recuperado a partir de https://www.youtube.com/watch?v= lLazrA6K4XY.

Dias, et. al. (2015). Educação infantil: desafios e perspectivas. Picos/PI, 2015. Picos.

Freire, P. (1993). Professora sim, tia não: cartas a quem ousa ensinar. São Paulo: Olho D’água.

Gomes, F. P. C. (2016). Ser professora de creche: constituindo sua identidade. 2016. 188f. Dissertação (Mestrado Profissional em Educação: Formação de Formadores) - Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo.

Haddad, L. (2009). Professora de educação infantil? em busca do núcleo central da representação social a partir da análise das evocações livres. In: Nuances: estudos sobre Educação. Presidente Prudente: FCT/UNESP, 2007. ano XV, v. 16, n.17 jan./dez.

Itaúna. (1995) Lei que estabelece as funções do professor de educação Infantil. Lei Municipal nº 3023-95.

Kuhlmann, M. (2000). Educando a infância brasileira. Belo Horizonte: Autêntica.

Matos, Â. B. (2012). Itaúna em Dados. 5.ed. Itaúna – MG. Recuperado em 29 janeiro 2020, de hittp://www.itauna.mg.gov.br/site/resources/anexos/%7BAACDE3CA-DCA4-43EC-E017-E8BDDCCCEE1B%7D.

Minayo, M. C. (2001). O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. São Paulo: Hucitec.

Movimento interfóruns de educação infantil do Brasil. (2002). Educação Infantil: construindo o presente. Campo Grande: UFMS.

Paula, J. C., Akamine, A. A., & Azevedo, H. H. (novembro de 2016). Identidade e profissionalidade na formação inicial de professores de educação infantil. Quaestio: revista de estudos em educação, pp. 807-827.

Pereira A.S. et al. (2018). Metodologia da pesquisa científica. [e-book]. Santa Maria. Ed. UAB/NTE/UFSM. Recuperado em 20 de outubro de 2020 de https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1

São Miguel das Matas. (2009). Concurso público para provimento de vagas no quadro da prefeitura municipal de São Miguel das Matas. São Miguel das Matas. Recuperado em 06 março 2020 de https://www.pciconcursos.com.br/concurso/prefeitura-de-sao-miguel-das-matas-ba-110-vagas.

Saviani, D. (2011). Formação de professores no brasil: dilemas e perspectivas. Poíesis Pedagógica, 9(1), 07-19. doi: https://doi.org/10.5216/rpp.v9i1.15667.

Yves L. T., Oliveira M. K., Dantas. H. (1992). Piaget, Vygotsky, Wallon: teorias psicogenéticas em discussão. São Paulo: Summus.

Published

23/10/2020

How to Cite

MACHADO, L. R. .; SACRAMENTO, A. M. dos S. .; LOBATO, G. de A. B. . Training, identity and inclusive practices of children’s education teachers. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 10, p. e8589109197, 2020. DOI: 10.33448/rsd-v9i10.9197. Disponível em: https://www.rsdjournal.org/index.php/rsd/article/view/9197. Acesso em: 27 sep. 2022.

Issue

Section

Education Sciences